ter�a-feira, 26 de outubro de 2021
Colunistas / Cantinhos da Bahia
Agapito Paes

Dona Ném das contas e sua tenda na ladeira do Pelô

Dona Maria da Glória tem 58 anos de idade e é da comunidade da Rocinha
18/08/2016 às 19:37
 O cantinho da Bahia desta semana vai para a tenda de contas de dona Ném, localizada na Rua Alfredo de Brito, 47, Pelourinho, Salvador.

   Dona Maria da Glória tem 58 anos de idade e nasceu em Jequié. Veio morar em Salvador com 12 anos de idade na casa de uma tia, na Baixa dos Sapateiros.

   O objetivo era Mudar de vida, melhorar de vida, deixando a ensolarada Jequié para morar na capital, sem nada conhecer. Com o passar dos anos foi conhecendo melhor o Pelourinho e já adulta foi morar na Rocinha do Pelô, com um namorado.

   Morava na casa 12 e dispensou o companheiro depois que viu que não dava. Hoje, está solteira e deixou a Rocinha diante da promessa do governo em construir unidades do Minha Casa, Minha Vida, ainda no governo Wagner, até hoje não concluidas.

   - Paciência, diz ela, a vida tem esses problemas.

   Sua tenda está na cota de proteção da comunidade da Rocinha e ela produz e vende colores (guias) de todos os modelos, para o povo-de-santo, para os baianos de uma forma geral e para os turistas.

   Chega a produzir 100 a 150 colares de missangas por dia. 

   - Agora, pra produzir um desses aqui - mostra o modelo chicote de tatu - só consigo fazer dois deles por dia, no máximo.

   Tem umas sobrinhas de dona Ném que, eventualmente, ajudam. 

   Ela se orgulho muito de uma delas, chamada Elisabert Silva, a qual aprendeu a tocar tambor com uma latinha, na Rocinha, e hoje toca surdo e faz apresentações públicos, em shows com sua banda.

   Dona Ném diz que é feliz da vida, em sua tende também há um isopor onde vende refrigerantes, água e cerveja.

   Conta que os turistas compram bastante porque aqui faz sol, tem ladeira e o pessoal fica cansado.
Agora, o forte mesmo de dona Ném são os colares (guias) que variam de prelos entre R$10,00 e R$60,00 cada um deles.