quarta-feira, 26 de junho de 2019
Colunistas / Filosofia Popular
Rasta do Pelô

MULHER DO RASTA quer usar "look" de Fernanda Lima e Badu sugere debate

Crônica: Mulher do Rasta do Pelô não topa debate proposto por Badu e marido e mulher discutiram iguais a Dilma x Aécio
21/10/2014 às 18:08

Concentrado nas aventuras de Zé Alfredo e suas lambanças com a ninfeta Isis - a pequena que o deixa fora de sí - e também nos tormentos de Cora, a víbora, mas, de olho na missa e outro no padre, ouço dona Céu, minha santíssima esposa dialogando com sua personal-style Zaís Pinharada dizendo que gostaria de ter um "look" igual ou parecido ao usado pela penépole Fernanda Lima em "Amor & Sexo", a serelepe série da TV Globo.


   Só estava astuciando com meu ouvido mouco ela descrever como gostaria de ter o tal "look", no modelo Barbarela século XXI, maiô cavado e dourado, tiras de couro sobre a peça, botas de cano longo e por aí vai, muito parecido com o que Fernanda Lima usou na TV.

   Quando ela desligou o telefone e sentou-se no sofá, ao meu lado, para assistir o final do capítulo diário de Império, questionei-a educadamente: - Você tava sugerindo o que mesmo para Zaís Pinharada! Eu teria ouvido algo como a roupa daquela atriz da Globo? 

  - Isso mesmo! Achei aquele "look" da Fernandinha - olha só a intimidade como trata a atriz - maravilhoso e pedi a Zaís um igual ou parecido para eu causar- respondeu.

   - Pense bem! Aquela moça é uma atriz e tem local e cenários próprios para usar uma peça daquelas. E você vai usar um modelo desses aonde? - mirei.

   - No ensaio do Olodum, no Museu do Ritmo de Brown com a Timbalada, na terça da benção ...locais não faltam - informou com ar de superioridade.

   - Você não tá vendo que isso não vai dar certo. Que v não tem aquele corpo da atriz, que aquilo é uma fantasia de televisão - argui.

   - Eu também tenho minhas fantasias ora bolas - ponderou fazendo caras & bocas.

   - Com todo respeito que tenho ao nosso casamento acho que v tá mais pra usar um modelo daqueles da nossa chefe de estado ou daquela chanceler européia do que de Fernanda Lima - respondi.

   - Você tá louco...nem morta eu uso um modelito daqueles de nossa dirigente-mor, muito menos da grã-chanceler.

    - As batas vermelhas de Zilma são atraentes e o modelito de Merfel com o verde floresta que ela repete é sensual - frisei.

   - Esses modelos que você citou aí é pra espantar as pessoas ou pra senhoras super-discretas e que não frequentam o nosso meio. Lembre que somos emergentes da C e estamos ocupando nossos espaços, daí que precisamos de coisas mais atraentes - explicou.

   - Mas a dirigente maior, agora, está usando uns modelos em azul e branco que são charmosos - tentei convencê-la.

   - Isso é "look" de politica. Se ainda fosse o "look" de Christine Lagarde, aquela francesa estilosa do FMI, tudo bem, eu e minhas amigas toparíamos. A Andréa Lady Lú veio foi de Fortaleza e trouxe uns modelos tropicias de cair o queixo deixando a barriguinha de fora - arreliou.

   - Tá bem. Se é assim, que seja.

   No outro dia fui vender minhas toucas no Pelourinho e como já tem um tempo que não ouço os conselhos de Badu, o intelectual de bigode, liguei para ele.

   - Novidades aí na boa terra de Todos os Santos - procurou saber.

   - Sim. Aqui no Pelô tem um bistrô vendendo a melhor tequila Cuervo do México - falei.

   - Ah! que bom. E a familia? Dona Céu, como anda? - perguntou.
   
   - Aprontando. Agora quer usar uma roupa igual a que Fernanda Lima usa no Programa Amor & Sexo - comentei.

   - É...ali é pra quem está em forma. 

   - Pior é que ela quer ir ao ensaio do Olodum com aquele "look".

    - Se for na época do Carnaval, menos mal, todo mundo se fantasia de alguma coisa - ponderou Badu.

    - É nada! Estamos no pré-verão e os tambores do Olodum sequer aqueceram, lembrei. 

    - Isso pode ser a influência de alguma amiga dela caixa alta.

   - Depois que ela começou a andar com Zita da Moto, com Tina Copo e trocar figurinhas sobre moda com a irmã Cervejão deu pra isso. Agora, então, que aprendeu a usar o WhatApp tá demais. É um trocar de fotos com "looks" de fartar. E o pior que só falam em peças estilosas caras.

   - Bem! creio que dinheiro pra v não seria problema. Podes recorrer aos caixas altas seus amigos o conselheiro Souza, o doutor Zéu, o consultor Mendes Jr.

   - Não tenho mais crédito. Tô devendo os olhos da cara. Até meia dúzia de bramosas tá na pendura em Clarindo da Cantina da Lua - afiancei.

   - Então use sua autoridade e proiba tal ousadia - recomendou.

   - Mas aí ela pode me denunciar na Associação de Direitos das Mulheres do Pelô e tô frito. Veja que Aécio foi chamar Dilma de leviana e há uma movimentação enorme contra ele - argui.

   - Então promova um debate democrático com ela com intermediação de Clarindo. Quem vencer leva.

   - É uma boa idéia. Vou fazer essa proposta pra ela - aceitei.

   Depois do trabalho quando cheguei em casa, dona Céu ao telefone com a irmã Cervejão, comentei a proposta de Badu de fazermos um debate na Cantina embaixo do toldo com presença de plateia organizada.

   - Que debate! V é louco! Eu já encomendei o "look" e não tem debate algum. Não vou me submeter a um ridiculo desses- frisou.

   - Então, já que é assim, no dia que v vestir esse "look" vou aparecer em seu evento vestido com aquele maiô de Borat, o inglês humorista.
- Cruz credo. Vão jogar latinhas de cerveja vazias em você - sorriu.

   - Latinhas vão jogar é em você - falei grosso.

   As discussões já estavam ficando acaloradas tais as de Aécio x Dilma quando faltou luz em nossa casa. Ainda pensei que fosse um apagão, mas, a casa da vizinha tava toda iluminada. Fui até a porta de casa, a rua tava toda acesa. 

   - Que diabo aconteceu - perguntei a Céu.

   Ela ficou meio sem graça, repleta de arrodeios, e tirando a conta da luz da bolsa disse: - Não paguei a conta da luz prar dar entrada no "look" da Fernandinha.

   É isso, fomos dormir a luz de velas, sem assistir o furdunço do comendador Zé Alfredo no restaurante, dona Céu usando seu "look" de vaquita e yo com meu pijamão de listras.