segunda-feira, 21 de outubro de 2019
Colunistas / Filosofia Popular
Rasta do Pelô

RASTA DO PELÔ conta como sua esposa deseja a boa forma Claudia Leitte

Mulher do Rasta exigiu um personal trainer de categoria e ele só conseguiu recursos para contratar Zezé Musculoso
14/01/2013 às 09:48

 Era só que me faltava! Depois de ser obrigado a comprar um queijo Jong para a ceia do Natal, a minha senhôra andou lendo em A Tarde que Claudia Leitte, a belíssima cantora da axé, está em forma neste verão e chegou em casa falando grosso, me intimando a contratar um "personal trainer" para ela.


   Ainda tentei explicar que essa notícia sobre a boa forma de Cláudia Leitte, Ivete Sangalo, Daniela Mercury faz parte do marketing promocional das estrelas, mas ela tesou e como boa emergente da classe C disse que, "não queria nem saber se era ou não venda organizada do produto axé", e eu que providenciasse o quanto antes um personal senão a casa ia cair.

   E mais disse que não queria um personal da academia da Freitas Henrique de Cima, da gloriosa Caixa D'Água, onde moramos, e sim do Jardim Apipema ou, no mínimo, de Paulo Meira.

   Ai me retei e disse que não adiantava nada disso porque Claudia Leitte tem personal para o cabelo, personal para as unhas, personal para as batatas das pernas, personal abdominal, personal estilista, personal sapato e assim por diante, e isso custava uma fortuna.

   Ela então bateu com a mão direita nas proximidades do pomo do amor, da borboleta de Xangai, da maçã de Eva, e se exaltou: - Aqui, oh! (deu três tapas perto da bichana) tudo é igual.

   Tomei um susto diante do destempero da mulher e me mandei para o Pelô vender minhas boinas de lã ecológica, pois, o momento tem sido produtivo neste verão.

   Ainda assim, liguei para meu consultor de Floripa, Badu, o intelectual de bigode, para um aconselhamento e expliquei: - A mulher amanheceu com a ideia de que deseja ser uma Claudia Leitte e me exigiu um personal trainer de categoria.

   - Você tem que fazer todo esforço para atendê-la, afinal é sua e posa, mãe dos seus filhos e merece até mais - recomendou.

   - Tá bom. Até concordo. E o capilé onde vou conseguir para contratar um profissional desse porte? - questionei.

   - Procure, pesquisa, vá nas academias que você encontra algo em conta - destacou.

   - A mulher só deseja algo do nível de Paulo Meira ou de uma academia nova que abriu no Iguatemi - expliquei.

   - Dá um jeito, barganhe preço com um deles, mas atenda a esposa. Você sabe que, quando não se atende a mulher pode haver alguma greve e isso é um horror - ameaçou-me.

    Nos despedimos nesse tom. Após meu expediente no Pelô fui até ao Jardim Apipema, a Barra e ao Iguatemi conversar com essas pessoas, mas de nada adiantou. Sai desolado. Os camaradas me pediram uma grana tão alta que mesmo vendendo 10 boinas ao dia minha economia não comportava. Salvou-me uma academia da Baixa dos Sapateiros.

   Voltei para casa com o discurso na ponta-da-língua e, por sinal, encontrei minha senhôra costurando as boinas.

   Logo após o beijinho que sempre dou em sua face quando chego em casa me questionou: - Conseguiu o personal?

   - Consegui um em conta, dentro das minhas possibilidades, mas, nada de Jardim Apipema ou Iguatemi. Aqui na Academia de Igor Tampinha da Baixa dos Sapateiros ele me recomendou Zezé Musculoso, conservei com o personal e acho que pode lhe ajudar bastante - respondi.

   - Prefiro ficar como estou a submeter meu corpo a Musculoso. Ele, pelo que sei, já aleijou duas amigas minhas aqui da rua e não serei a próxima - frisou destacando que, se não poderia ter Paulo Meira melhor seria pegar suas marombas produzidas com latas de leite Ninho, e fim de papo.

    A mulher fechou uma cara de carranca do São Francisco. Ponderei que essa era nossa condição financeira, que o capílé só daria para pagar a Musculoso, ainda assim com sacrifício, e sua porção Claudia Leitte ficaria para outra oportunidade, com um melhor crescimento do PIB, em 2013.

   Aquiesceu e esboçou um sorriso. Aproveitei o embalo, tomei um banho rápido, me sentei no sofá para assistir o programa do Ratinho e arrisquei uma pedida: - Gorda! (falando carinhosamente) sobrou um latão da ceia do Natal?

   Instantes depois, eis que, com enlevo era servido de um latão supergelado e até arrisquei novo pedido: - Tem um tira-gosto para nós? 

   Mais uns instantes e fui servido por uma porção de pipocas. Ninguém merece - pensei calado - tomar um latão comendo pipocas é demais.

   Ainda por cima, a esposa, cheia de prosa e educação, disse que me perdoaria por não ter contratado um personal trainer como queria, que estava fazendo todos os meus desejoas (pipoca com latão), mas, que eu me preparasse com antecedência que ela (a Claudia Leitte aqui - fez pose de artista) quer passar a semana santa na Argentina, Buenos Aires e Mendoza.

   Santo pai...pensei com meus botões...ou meu latão...ser classe média C emergente é duro.