quarta-feira, 08 de dezembro de 2021
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAVI duplo pelo Nordestão. Bahia 3x0 Sergipe

Bahia de Feira vence o clássico feirense contra o Fluminense por 2x1
02/04/2017 às 21:03
O Bahia venceu bem o segundo confronto contra o Sergipe enfiando 3 x 0 na Fonte Nova, neste domingo à noite, classificando-se para as semifinais da Copa do Nordeste. 

O confronto será contra o grande rival Vitória, em dois jogos fulminantes. O primeiro no Barradão e o segundo e definitivo na Fonte Nova, mando de campo do Tricolor, o time com melhor aproveitamento, de melhor na competição até agora.

*
Assim, teremos semifinais do Nordestão 2017 com dois clássicos estaduais, nos dois maiores centros esportivos do Nordeste. Em Recife, jogam Santa Cruz x Sport; em Salvador, Bahia x Vitória. Confrontos de tricolores x rubro-negros. Portanto, as quatro melhores equipes nordestinas – Bahia, Vitória, Sport e Santa Cruz – na disputa do título regional.

Uma final de Copa do Nordeste plena de emoções e grandes rivalidades, estaduais e regionais. Obrigatoriamente teremos uma final entre Pernambuco x Bahia. Não podia ser melhor. 

Esperamos jogos quentes, limpos e de boa qualidade técnica, com boas e justas arbitragens.

**
A Fonte tricolor

Bahia 3 x 0 Sergipe, Fonte Nova , noite friaça dominical de outono. Público mais que razoável, levando-se em conta a chuva que caiu durante o dia e que o tricolor entrou em campo praticamente classificado, com a vantagem de ter ganho em Aracaju com o placar de 4 x 2. 
*
Bola rolando ... 

Os donos da casa assumiram o mando da partida logo que a bola rolou, com uma postura ofensiva, buscando o gol, tendo mais posse de bola. O time visitante marcando muito e duro, o campo inteiro, mas explorando com inteligência e velocidade os contragolpes.

Tanto que foi o Sergipe que chegou primeiro, aos 11 minutos, com uma jogada de velocidade pela direita, nas costas da zaga, a saída em falso do goleiro Anderson e a finalização de Yago; Eduardo salvou quase em cima da linha. 

Aos 15’, o tricolor deu a resposta com um chutaço de Allione, de fora da área, forçando uma plástica defesa do goleiro Ferreira. Dois minutos depois, o mesmo Ferreira salvou em cima da linha uma cabeçada de Tiago, após cobrança de escanteio da direita.

Aos 26’, após boa triangulação pela direita, Eduardo rolou na conta para o meio e Hernane livre, de frente, chutou de primeira para o alto, perdendo chance clara de gol. Aos 32’, após cobrança de falta de Juninho, alçada de longe, Hernane cabeceou e acertou o poste, o goleiro só espiando e torcendo.
Aos 36’, lançado em profundidade, Ze Rafael livrou-se do goleiro e passou para o meio da pequena área, onde Hernane, na leseira, permitiu o corte do zagueiro, mais esperto. Aos 43’, o bandeira anulou erroneamente um gol de cabeça de Hernane, marcando impedimento quando um zagueiro do lado oposto dava condições de jogo ao atacante. 

Foi um bom primeiro tempo, um Bahia superior, com apetite, mais troca de passes e bom volume de finalizações mas o gol esperado não saiu, deixando alguns torcedores impacientes. 

*
O tricolor voltou dos vestiários com a mesma postura, tentando por a bola no chão, trocando passes. Mas, aos 4 minutos, quase os visitantes marcam. Numa bola atravessada da direita, apareceu Yago livre do lado oposto para finalizar, de cara, mas Anderson Salvou o gol no reflexo. 

Dois minutos depois, Juninho bateu falta, a defesa sergipana fez linha burra de impedimento e Edson pegou livre, em condições, de cara, e só fez tirar do goleiro, colocando: 1 x 0 Bahia. 

O Sergipe, perdido e precisando fazer quatro gols, foi todo pra cima, fazendo pressão, jogando bolas altas na área tricolor. Aos 11’, após cobrança de escanteio, Yago finalizou de frente e Ânderson defendeu no susto. 
Aos 17 min, Régis cobrou escanteio largo, Hernane alcançou do outro lado, testando para o meio da pequena área onde Édson apareceu e meteu a sola: 2 x 0. 

O que parecia fácil, complicou, dois minutos depois, quando o árbitro expulsou muito rigorosamente o lateral baiano Eduardo, após um carrinho no meio campo. Na sequência o treinador Guto recompôs a defesa fazendo entrar o zagueiro Lucas Fonseca, deslocando Éder para a lateral direita e retirando Zé Rafael. Aos 28, trocou o meia Régis, que correu muito, por Edigar Júnio, inteiro. 

Os sergipanos valentes, em cima, tentando o gol, exigindo muito da defesa e goleiro do tricolor. Aos 33’, após uma falha bisonha da zaga visitante, Ernane entrou livre, de cara, encheu o pé e a bola bateu no travessão e subiu. Mais um gol perdido, a torcida indócil com o ‘brocador’. 

Mas Edigar jr, aos 38’, fechou o caixão, enchendo pé e estufando as redes após o becão cortar mal um cruzamento de Eder. Golaço: 3 x 0, o tricolor na frente mesmo com um atleta a menos em campo. 
Um triunfo convincente, com superioridade coletiva e individual. Poderia ser mais, não fossem dois erros de arbitragem: um gol anulado erroneamente de Hernane e uma chance clara de Régis, de cara, em que o árbitro inventou um falta do avante. 
*
Destaques

Régis, voando, dando ritmo, comandando o meio campo. Édson pela valentia e pelos dois gols.
Allione bem, Tiago seguro, o goleiro Anderson fazendo um bom trabalho. Quanto ao ‘brocador’ Hernane, duas bolas na trave, um gol anulado, chances perdidas, vaias do torcedor: precisa urgente de um banho de folhas com muito sal grosso. 

Na equipe sergipana, o bom futebol do hábil e rápido Yago. E o goleiro Ferreira mostrou bons reflexos, sem culpas nos gols sofridos.
** 
Os resultados/Nordestão:

Vitória 1 x 0 River (PI); Santa Cruz 1 x 0 Itabaiana – no sábado. Vitória e Santa classificados.
No domingo à tarde : Sport 3 x 1 Campinense, em Recife. Como se deu o mesmo resultado acontecido em Campina Grande, na Paraíba, a decisão foi para a disputa em tiros livres da marca penal. Deu Sport, em casa, 4 x 2. Garantida a primeira semifinal Sport x Santa Cruz, clássico pernambucano decidindo um finalista. 
*

Pelo Baianão 2017, no clássico de Feira de Santana, Bahia (Feira) 2 x 1 Fluminense.