quarta-feira, 08 de dezembro de 2021
Esporte

BAHIA PERDE PARA SPORT E VITÓRIA FORA DO NORDESTÃO, p ZÉDEJESUSBARRÊTO

Futebol baiano em baixa
ZedeJesusBarrêto , da redação em Salvador | 18/11/2021 às 23:54
Moccelin fez o gol do Sport 1x0
Foto: Anderson Stevens/ Sport


   Uma noite muito ruim para o futebol baiano. Pela Série A, o Bahia perdeu mais uma para o Sport em Recife, jogando mal, apático, sem fibra, nada competitivo, muito distante de uma equipe que precisa lutar para não cair para a Segundona. Freguesia com o Leão da Ilha?  O tricolor está na zona da degola, e se continuar jogando essa bolinha...  cai.  

  Pelo Pré-Nordestão, o Vitória, depois de estar vencendo por 2 x 0 o Botafogo da Paraíba, no primeiro tempo, afrouxou na segunda etapa, sofreu o empate e terminou eliminado nas cobranças de penalidades, após o chute de Renan (o sexto da série) ser defendido pelo goleiro Paulo. Resultado, o Vitória está fora, não vai disputar a Copa do Nordeste 2022, um grande prejuízo técnico e financeiro para o clube. E o torcedor mais que injuriado. O foco agora é não cair para a terceirona, o inferno. Pela Série B, faltam dois jogos, precisa ganhar os dois.  
*
Classificação

- Fechada a 33ª rodada da Série A, ficou assim o grupo de cima da tabela: O Atlético/Galo Mineiro lidera com folgas, com 71 pontos ganhos. Seguem, Flamengo (63 pts), Palmeiras (58), Red Bul Bragantino (52), Corínthians (50) e Fortaleza com 48. 

 Na parte de baixo, a Chapecoense é lanterna e já desclassificada, com apenas 15 pontos; na vice lanterna está o Grêmio, com 32 pontos, depois o Sport, que foi a 33, e o Bahia ficou com os mesmo 36 (na zona); Juventude e Atlético Go com 39. 
*
Na Arena Pernambuco

 - Briga de cachorro zangado. Ùltimo jogo da rodada, Bahia e Sport entre os quatro últimos, precisando vencer a todo custo. A situação dos times na tabela de classificação só acirrava a velha rivalidade, histórica. Bahia e Sport sempre fazem jogos difíceis e renhidos, Bahia e Pernambuco brigaram sempre pela hegemonia do futebol nordestino, hoje cearense. No primeiro turno, o Leão da Ilha do Retiro venceu (1 x 0), em Pituaçu (e repetiu o placar em casa). 

- Choveu durante o dia em Recife (26 graus) , gramado em boas condições, torcida reduzida nas arquibancadas, cerca de 8 mil ingressos disponibilizados. O Sport com seu traje rubro-negro tradicional e o Bahia inteiro de branco.   

- Com bola rolando ... 
 A partida começou estudada, cautelosa. O Tricolor tentando trabalhar mais com a bola no chão, cadenciando, e o Rubro-negro explorando bolas longas, pondo velocidade. Disputado, poucas faltas.

- Depois de tentativas de longe, lá e cá, sem perigo, o Bahia chegou bem com Capixaba aos 14, pela esquerda, Gilberto tentou já na pequena área inimiga, mas Maílson ficou com a bola. O Bahia era coletivamente melhor, ocupava bem os espaços, tinha mais posse de bola, assediava, mas sem nenhuma eficiência nas finalizações de jogadas.  Aos 28’, Hernanes arriscou de longe, assustou. Depois dos 30 o Sport equilibrou. 
*
 O Bahia teve mais volume, mais posse de bola na primeira etapa, mas pouco apetite ofensivo. O Sport não penetrava, mas chutou mais, sempre de longa distância. O zero no placar disse tudo.  
*
 Nos vestiários, Guto trocou: entraram Rodallega e Rodriguinho no lugar de Maicon Douglas e Daniel que pouco jogaram. Mudança tática, também, e a equipe passou a jogar num esquema 4-4-2. 

- O Leão da Ilha voltou mais aceso, buscando mais o ataque, mais perigoso, abafando, fazendo pressão, mais vontade de ganhar. Aos 5’, Mikael finalizou a primeira, girando bem na grande área visitante, chutou fora. Aos 8’, a resposta com Capixaba, que invadiu bem mas decidiu mal, chutando de perna direita, pra longe, ao invés de passar. O jogo ficou mais aberto, maiores espaços em campo, a marcação mais frouxa no meio. 

  - Aos 14’, Rai tentou também de fora, nas mãos de Maílson. Aos 15’, o rodado Moccelin entrou em campo no lugar do garoto Gustavo.  

- Gol ! 1 x 0, Moccelin, por volta dos 20 minutos. O Bahia inteiro na frente, e o esporte armou o contragolpe pela esquerda com Mikael e Moccelin, que cortou pra dentro e bateu seco, cruzado, rasteiro, acertando o canto, abrindo o placar. Jogada manjada, replay de gol do atacante.

  Com o gol, no Sport, entrou Chico no lugar de Hernanes; os pernambucanos se fechando, buscando administrar a vantagem, já travando o ritmo, ganhando tempo. No Bahia, saiu Gilberto, que nada fez, entrou Ronaldo.  

 O relógio andando, o Bahia tinha mais a bola mas não conseguia penetrar, finalizar. Passou dos 30’ e o goleiro pernambucano nada trabalhou. Aos 34’, Ramirez no lugar de Raí. Aos 37’, após bate e rebate na área do Sport, Rodriguinho arrematou de canhota, passou perto.  

  Ronaldo e Trellez no Sport, mais força de marcação e catimba dos pernambucanos, gastando tempo, sem mais querer jogar, picotando, todo postado atrás. Aos 45’, bom cruzamento de Capixaba, Ronaldo testou limpo na linha da pequena área, mas em cima de Maílson. Foi só.    

Um Bahia apático, nervoso, sem força ofensiva. Não merecia mesmo vencer. 
*
Destaques

Um Bahia de totó, muito longe da equipe que precisa brigar pra não cair. Mal coletiva e individualmente. Nem Guto se salvou, nem conseguiu motivar o time. 

No Sport, Mailson um goleiro grande e um grande goleiro. Muita luta, disposição, vontade em campo.  

Pra variar, a torcida do Sport confrontou torcedores do Bahia, antes do jogo começar.  
*
Escalações

- Sport: Mailson, Ewerton, Thyere, Sabino e Sander; Marcão, Zé Wélison e Hernanes; Gustavo, Mikael e Everton Felipe. Treinador, Gustavo Florentin, paraguaio. 

- Bahia: Danilo Fernandes, Nino Paraíba, Conti, Luis Otávio e Capixaba; Patrick, Mugni e Daniel; Raí, Gilberto e Maicon Douglas. Treinador, Guto Ferreira.

- Arbitragem paulista, com VAR. No apito, Flávio Rodrigues de Souza, sem reparos. 
*
 Na próxima rodada, a 34ª, o Bahia recebe o Cuiabá (com 42 pontos ganhos) na Fonte Nova, domingo, dia 21, às 19h. Não pode  tropeçar. 
** 
No Barradão 

No mesmo horário do jogo do Bahia pela Série A, o Vitória recebeu o Botafogo da Paraíba em duelo decisivo pela disputa de uma vaga no Nordestão, a Copa Nordeste de 2022. No primeiro confronto, em João Pessoa, deu empate. Um sobraria. Sobrou o Leão.  

Mesmo em situação mais que delicada na Série B, faltando apenas dois jogos e na zona de degola (18º lugar) com 40 pontos ganhos, o Vitória foi a campo com sua força máxima, sem poupar titulares, em busca de classificação.  
- Tempo estável em Salvador, lua gorda. Arbitragem sergipana, sem VAR.
 *
 O jogo 
 Equilíbrio de ações. Mas o Leão foi se soltando aos poucos, fustigando mais.  

 - Gol ! 1 x 0 Vitória, aos 28’; Raul Prata tabelou com Fabinho e definiu já na grande área alagoana. 
 O adversário sentiu o golpe e o Leão não deixou respirar:

 - Gol ! 2 x 0 Vitória, aos 31’. Fernando Neto, escorando de cabeça um cruzamento da direita; a bola desviou na zaga e matou o goleiro. 
 Bom resultado no primeiro tempo. 
 O Leão voltou do intervalo lento, recuado, tentando garantir a vantagem mas oferecendo espaços ao adversário. 
- Gol ! aos 20 min, o Botafogo diminuiu, numa cabeçada do zagueiro Daniel Felipe.
 Minutos depois, o Leão cochilando...

 - Gol ! 2 x 2, Esquerdinha, também de cabeça, aos 25’, em falha, rara, de Lucas Arcanjo. 

 E deu empate, 2 x 2, em casa.  Com o empate, a decisão foi para a cobrança de tiros livres diretos da marca do pênalti. A torcida presente tentou ajudar, gritou, pressionou, mas ...  O Botafogo fez todos, o Vitória perdeu uma cobrança e o torcedor foi pra casa amargurado. 
- Pela Série B o Leão joga em Maceió, segunda-feira à noite, contra o CRB, que ainda briga por espaço entre os quatro de cima. 
**