quarta-feira, 23 de junho de 2021
Direito

PARENTES ORAM POR MULHERES MORTAS NO CURUZU E SSP DIZ QUE APURA O FATO

Com informações do Metro 1
Da Redação , Salvador | 08/06/2021 às 18:30
Orações na comunidade do Curuzu onde as mulheres morreram
Foto: REP
   Segundo o Portal Metro 1, parentes e amigos das mulheres mortas em uma ação da PM na última sexta-feira no bairro do Curuzu realizam um ato em homenagem às vítimas. Segundo os moradores, a manicure Viviane Soares, 32 anos, fazia a unha da aposentada Maria Célia Santana, 69, na porta de casa, na Rua dos Pinhais, quando uma guarnição da PM chegou ao local atirando em perseguição a um homem que estava em um carro roubado. Os PMs disseram que atiraram em revide, mas os moradores negam troca de tiros.

As pessoas começaram a se reunir às 17h, horário da incursão policial que provocou a morte das mulheres. As pessoas se uniram em um círculo no meio da rua, ouviram louvores e fizeram orações. Eles também pregaram nas paredes das casas cartazes, onde faziam apelos por Justiça. “Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra contra os pobres, pretos e favelados acabe?”, estava escrito em um dos cartazes. 

SSP INVESTIGA

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que o caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). “Nosso objetivo é apurar com rigor e clareza o que aconteceu e responsabilizar os culpados, sejam eles quem forem. O local da ação passou por perícia. Nada ficará sem esclarecimentos, pois não compactuamos com excessos, principalmente os que resultam em morte de inocentes. Polícia pode ser eficiente sem ser violenta”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino. Ele disse ainda que se solidariza com a dor de familiares e amigos das vítimas e que todas as medidas serão adotadas para esclarecer o caso.

Ainda conforme a nota, o delegado Marcelo Calmon, que preside o inquérito, informou que foram recolhidos estojos no local dos disparos, entre outros materiais, como fragmentos de projéteis. “Também estamos aguardando o resultado de alguns laudos técnicos para esclarecer o caso”, afirmou.