quinta-feira, 05 de agosto de 2021
Cultura

ACERVO RESTAURADO DA CASA PIA DE SÃO JOAQUIM É DEVOLVIDO À INSTITUIÇÃO

Recuperação de quadros históricos foi celebrada
José Mion , Salvador | 22/06/2021 às 09:04
Acervo Casa Pia
Foto: divulgação
Seis quadros de relevância histórica e estética, integrantes do acervo da Casa Pia de São Joaquim, restaurados entre fevereiro e maio deste ano, foram devolvidos à instituição filantrópica em ato solene voltado apenas para imprensa e envolvidos diretamente. Estiveram presentes representantes da Fundação Gregório de Matos, da própria Casa Pia e do Studio Argolo, responsável pelo restauro. As obras, entre elas uma datada de 1826, foram apresentadas em perfeito estado e serão fixadas nas paredes de diferentes espaços da instituição.

"Com esse projeto, seguimos com nossa meta de valorizar cada vez mais o patrimônio da Casa Pia, possibilitando que ela se reinsira no roteiro turístico e cultural da cidade, contribuindo assim para a manutenção de suas atividades, como acontece há mais de 200 anos", explica o Diretor Geral João Gomes.

Os restauros foram realizados através de projeto contemplado pelo Prêmio Jaime Sodré de Patrimônio Cultural, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador, por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, com recursos oriundos da Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo e são uma conquista da instituição e da sociedade. "É um grande prazer contemplar essas obras, agora em perfeito estado, que contam um pouco da nossa história", celebrou Fernando Guerreiro, presidente da Fundação Gregório de Mattos.

Instituição bicentenária, a Casa Pia se prepara para, muito em breve, abrir sua sede para visitação pública e cada etapa de recuperação de seu patrimônio é também uma devolução para a sociedade de sua história restaurada. "Os principais defeitos encontrados nas obras, que justificam o estado anterior de conservação delas, foram causados principalmente pelo calor e umidade de Salvador, aliados à falta de estrutura da instituição, que depende do apoio financeiro para seguir com seu projeto, com o qual tenho uma relação afetiva", comemorou José Dirson Argolo, referência no restauro de obras de arte na Bahia.