Colunistas / Crônicas
Jolivaldo Freitas
SANTO AMARO continua linda e mantém suas tradições

Quando adolescente frequentei muito Santo Amaro

Escrevi por que quis, deu vontade de escrever

Crônica é a exposição de eventos numa sequência temporal, onde os parcos personagens, geralmente reais, não-fictícios, oferecem a alma

UBER veio para educar os taxistas de Salvador

O Uber veio agitar a água parada que é o atendimento pelos taxis, que todos sabemos, notadamente em Salvado, é um nicho de motoristas violentos e deseducados.

Gripe entra de férias e dona Gertudes foi tomar chá

Jolivaldo Freitas é jornalista e cronista

Três casos distintos da alma humana na cidade da Bahia

Fatos reais que acontecem na cidade do Salvador

GUERRA CIVIL e calote logo comigo, o cronista!

Vai é complicar pois quem tem Temer, teme e treme.

A GUERRA das cervejas e a moral da Sucom

Exclusividade para vender somente uma marca de cerveja gerou protestos

Carnaval é o diabo ainda mais com essa briga Rui x Neto

Diz que Carnaval é o diabo que Deus abençoou

TURISMO é opção de risco para algumas pessoas

Pior que também sofrera com um taxista em Cartagena, Colômbia

É VOSSA EXCELÊNCIA! É A SUA!, a ética politica na Bahia

Jolivaldo Freitas é jornalista e cronista

A Engenharia e a História da Bahia em relato minucioso

Um trabalho desde a época da fundação da cidade do Salvador, 1549

Dia de Finados na butique CR Su Misura

Os moradores da área começaram o sofrimento logo no início do feriadão, quando descerraram as portas na sexta-feira passada.

DESMORONAR o governo da presidente Dilma! Pra quê?

Não tenho dinheiro, não sei de dinheiro, nunca vi dinheiro e tenho raiva de quem sabe.

O foca de A Tarde e o mestre José Curvelo

Lembranças de um tempo em que a imprensa escrita tinha muita força

A Superlua, os cães, os lobos, os malucos e outros

JF é ditor do site Notícia Capital

Salvador no seu Dog Day Afternoon

O dia em que a capital da Bahia parou

Chuva, chapinha, invasões e a lição de Sêo Jerônimo

Lembrando que as invasões surgiram em Salvador na segunda quadra dos século XX e que foi lá no Pero Vaz e sim no quebra-braço

O direito ao silêncio é soberano na Fonte Nova

Não tem discussão: o direito ao silêncio é soberano frente à Arena Fonte Nova.

Chove chuva e a profecia de João-nariz-de-quibe,

Camarada quer terremoto na escala de 20 graus para detonar Salvador. Que coisa.