quarta-feira, 08 de dezembro de 2021
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

VITÓRIA absoluto no baianão. Bahia só empata, por ZÉDEJESUSBARRÊTO

Terça-feira tem Brasil e Paraguai em São Paulo
26/03/2017 às 20:48
O Vitória está impossível no Baianão. Foi à Chapada e goleou o Jacobina ( 4 x 1 ) isolando-se na liderança da competição com 24 pontos ganhos, quatro à frente do vice-lider Fluminense de Feira e seis a mais que seu grande rival, a duas rodadas do final da primeira fase classificatória. O rubro-negro tem o ataque mais positivo, a defesa menos vasada, está invicto e sobrando em campo, disputando cada partida com muita vontade e aplicação. 

Já o Bahia empatou com o Flamengo de Guanambi sem gols no estádio Dois de Julho, sudoeste, numa partida pra o torcedor tentar esquecer; mal jogada, mal arbitrada e preocupante pelo baixo rendimento da equipe em campo, perdida, sem determinação. 

Com o resultado o tricolor da capital foi a 18 pontos ganhos, garantiu-se para o quadrangular final do Baianão, mas está classificado, a essa altura, em terceiro lugar, dois pontos abaixo do vice-líder, o Fluminense de Feira. 
**
Um Leão na Chapada

Norte da Chapada Diamantina, boca da noite de domingo, bom público no estádio José Rocha para ver o jogo do time da casa contra o líder do campeonato; mesmo tendo o treinador Argel posto em campo uma equipe alternativa (Caíque, Salino, Kanu, Vinícius e Euller; Zé Wélison, Ramires e Cardenas; Pineda, André Lima e Paulinho). 
Bola rolando, a moçada treinada pelo técnico Duzinho foi pra cima, mas, aos 10 minutos, o árbitro John Herbert Bispo enxergou e marcou um pênalti após lateral alçado na área jacobinense. Paulinho bateu colocado e abriu o placar: 1 x 0 Vitória. Aos 26 min, André Lima ampliou, apanhando livre, sem marcação, um rebote do goleirão Waldson, após cruzamento forte à meia altura de Pineda: 2 x 0. 

O Jacobina creceu em campo e assustou numa cabeçada de Pano que passou triscando a trave de Caíque aos 30 min. Aos 39’, após vacilo de Kanu e Zé Wélisson, a equipe sertaneja fez pressão e Caíque na dividida com o atacante cometeu pênalti, indiscutível: Peixoto chutou firme e diminuiu: 2 x 1. O jogo ficou corrido, lá e cá, equilibrado, animando a torcida ‘Jegue de Ouro’. 

Mesmo com um time B em campo, o Vitória soube se impor, jogou com vontade, atacou mais, porém o chamado ‘Leão da Chapada’ encarou, dando trabalho a Caíque e tornando o primeiro tempo bom de se apreciar, dinâmico. 
*
A segunda etapa começou com a mesma intensidade e equilíbrio. Aos 8 minutos Argel trocou Pineda, meio perdidão, pelo ativo David, mais veloz nos contragolpes. Aos 10 min, a zaga interiorana cortou mal uma bola alçada e André Lima pegou de primeira, na arriada, mas a pelota passou queimando o poste de Waldson. 

Um Jacobina mais fogoso, buscando o empate e um Vitória mais cauteloso, manhoso, na moita esperando a hora do bote, do contragolpe em velocidade, apostando mais no erro do adversário. O time da casa melhor, atacando. Aos 30’, Marcelo pegou um chutaço, de frente, mas errou o alvo. Então, Argel retirou Cárdenas, cansado e pos o garoto Jhamerson, tentando melhorar a pegada no meio campo. Ganhou o confronto aí. 

Aos 35 minutos o rubro-negro matou o jogo, após uma bela triangulação pelo lado esquerdo; Paulinho, o passe de calcanhar, de prima, do garoto Jhemerson e Euller destampou de cara, livre, para finalizar de direita: 3 x 1, em bom trabalho coletivo. Quebrou a guia do Jacobina, que se entregou. E antes do apito final o quarto gol, fechando com goleada: Paulinho deu um belo passe enfiado, deixando Jhemerson de cara, para bater no canto: 4 x 1. 
Um rubro-negro absoluto no Baianão. Melhor ataque, melhor defesa, liderança isolada e folgada.
*
Destaques: 

Paulinho, crescente, fez seu melhor jogo com a camisa do Vitória; André Lima, vivido; Jhemerson entrou iluminado e Cárdenas comandou o meio campo enquanto teve pernas. 
O avante Marcelo Pano, disparado, o melhor do Jacobina. 
**
Joguinho infame

Flamengo de Guanambi 0 x 0 Bahia, no estádio Dois de Julho, Sudoeste do Estado, sob sol forte. Guto ‘Gordiola’ mais uma vez escalou uma equipe alternativa (Ânderson, Wellington, Lucas Fonseca, Becão e Junior Capixaba; Renê Jr, Matheus Sales, Diego Rosa; Maikon Leite, Gustavo e Edigar Junio) com o intuito de vencer fora de casa e retomar a vice-liderança, então com o Fluminense de Feira, que já havia jogado pela rodada e vencido o Atlântico (1 x 0), fazendo 20 pontos. 

Os donos da casa, precisando vencer para fugir das últimas colocações, começou impondo correria, buscando surpreender, atacando. Mas, aos poucos, o time da capital foi assumindo as rédeas da partida. 
A primeira grande chance de gol aconteceu aos 18’, para o Bahia: Gustavo recebeu livre na área adversária e tentou colocar, tirando do alcance do goleiro Pavão, de boné, mas errou o alvo. Aos 40’, após aquela cochilada costumeira de Lucas Fonseca, Josy entrou livre, de cara, mas Ânderson saiu esperto no chão e salvou o gol, defendendo com o pé o chute do avante rubro-negro. 
No mais, um primeiro tempo pegado, de pouca técnica, muito bufo-bufo e passes errados, sem uma sequência de troca de passes, ruim de se ver. 
*
Como o empate não seria um bom resultado para nenhum dos dois, esperava-se uma segunda etapa mais jogada, com mais emoções e lances de gol de parte a parte... até porque o campo ficou sombreado e amainou um pouco o calor. Mas os erros continuaram, os jogadores trombavam entre sí e apanhavam da redonda. Muito empurra-empurra e pouca bola. Pra se ter ideia, 45 minutos e o Bahia não havia chutado uma bola sequer no gol adversário. 

Nada acontecia e os treinadores começaram a trocar peças. Guto Ferreira pôs Feijão no lugar de Diego Rosa e Mário no de Maikon Leite. Depois, Kaynan no lugar de Edigar Júnio. Expulsão de um jogador do Guanambi pelo ‘soprador de apito’ Emerson Andrade, envolvido pelos jogadores, muitas faltas duras, cartões amarelos, cai-cai... 

E, pasmem, só aos 48’ o Bahia finalizou: Mário cabeceou após cobrança de escanteio e o goleiro salvou em cima da linha. E a equipe do sudoeste deu bicos, botinadas, catimbou e também não ameaçou. Destaques? Só negativos. 
*
Outros resultados:

Juazeirense 1 x 0 Galícia; Jacuipense 2 x 1 Bahia de Feira 
*
Copa do Nordeste 

Já pelas quartas de final, em jogos de ida e volta, eliminatórios, teremos na quarta-feira: 
Sergipe x Bahia; River (PI) x Vitória; Sport Recife x Campinense (PB; Santa Cruz (PE) x Itabaiana de Sergipe. 
Os confrontos de volta acontecem no próximo domingo. Sobram apenas quatro. 

*
Eliminatórias da Copa

Depois do retumbante triunfo (4 x 1) sobre o Uruguai, em Montevidéu, a seleção brasileira de Tite encara o Paraguai na terça-feira à noite, no Itaquerão (SP), casa cheia. Em princípio, da equipe que derrotou o Uruguai e praticamente carimbou o passaporte para a Rússia/2018 apenas o lateral Dani Alves fica de fora, suspenso, e deve ser substituído por Fagner (do Corínthians).

Completando a rodada, o Perú recebe o Uruguai, em Lima; a Argentina pega a Bolívia em La Paz; o Equador em casa encara a Colômbia e o Chile se confronta com a Venezuela, em Santiago. 

**