quinta-feira, 21 de outubro de 2021
Tecnologia

LAURO: PREFEITURA DISCUTE PROJETO DE REAPROVEITAMENTO DE LIXO ORGÂNICO

Lauro de Freitas discute projeto de reaproveitamento do lixo orgânico de empresas e equipamentos públicos
Prefeitura de Lauro de Freitas , Lauro de Freitas | 29/08/2021 às 11:02
Cidade Solidária e Sustentável
Foto: Lucas Lins

A Prefeitura de Lauro de Freitas realizou a primeira reunião para discutir a implementação do Projeto Lauro Inteligente - Descarte Zero, para estimular o reaproveitamento dos resíduos orgânicos produzidos em empresas e equipamentos públicos, a exemplo do Restaurante Popular e Cozinha Comunitária. O projeto será realizado em parceria com o Instituto Federal da Bahia (IFBA) e faz parte do escopo do Programa Cidade Solidária e Sustentável.


Na primeira reunião, nesta quinta-feira (27), realizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Inovação Tecnológica (SMDE), para discussão do anteprojeto com as demais pastas participantes, a exemplo das Secretarias Municipais de Educação (SEMED), Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH), Serviços Públicos (SESP), Administração (SECAD), foram alinhadas as primeiras ações para a implementação do programa, que será executado de forma transversal.


“Por sermos uma secretaria meio, a orientação do secretário Manoel Carlos é que o projeto seja realizado com as demais secretarias, de forma transversalizada, até porque este é um projeto de governo. Pensar uma cidade solidária e sustentável, vai desde a educação de base ao grande empresariado, que é quem produz a maior quantidade de resíduos que vão ser direcionados para a compostagem”, declarou a superintendente de Ciência e Tecnologia da SMDE, Elizangela Souza.


De acordo com o projeto, que prevê ainda a realização de ações educativas nas escolas com o objetivo de combater a cultura do desperdício, os insumos resultantes da compostagem serão utilizados como fertilizante natural para a produção de alimento orgânico na agricultura familiar rural e urbana, e no paisagismo de parques e jardins públicos, além de estimular o cultivo de hortas comunitárias em escolas e outros locais.