quarta-feira, 22 de setembro de 2021
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

PANDEMIA DIMINUI NÚMERO DE INFECTADOS NO ESTADO E CHEGA A 10.180

A capital baiana amanheceu sem paciente aguardando leito clínico ou de UTI adulto e pediátrico exclusivo contra o coronavírus.
19/07/2021 às 11:54
   1. Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.190 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,1%) e 1.614 recuperados (+0,1%). O boletim epidemiológico desta segunda-feira (19) também registra 53 óbitos. Apesar de as mortes terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram realizados hoje. Dos 1.174.613 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.139.183 já são considerados recuperados, 10.180 encontram-se ativos e 25.250 tiveram óbito confirmado.

2. O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.411.353 casos descartados e 228.969 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta segunda-feira. Na Bahia, 51.215 profissionais de saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

3. O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 25.250, representando uma letalidade de 2,15%. Dentre os óbitos, 55,75% ocorreram no sexo masculino e 44,25% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,93% corresponderam a parda, seguidos por branca com 22,49%, preta com 15,32%, amarela com 0,41%, indígena com 0,14% e não há informação em 6,71% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 60,01%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (72,63%).

4. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

5. O Brasil notificou 615 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 542.877 o total de vidas perdidas para o coronavírus. A média móvel foi de 1.224 óbitos, uma redução de 21% em comparação ao cálculo de duas semanas atrás.

6. Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h.
                                                *****
7. Após a chegada de um novo lote de vacinas, nesta terça-feira (20) Lauro de Freitas retoma a estratégia de imunização contra a Covid-19 para pessoas com 40 anos ou mais, nascidos até 31 de dezembro de 1980. Além disso, haverá a aplicação da 2ª dose da vacina Coronavac com prazo de reforço marcado para até o dia 20 de julho.

8. O público-alvo da D1 deve se dirigir a um dos seguintes pontos das 8h às 16h: Terminal Rodoviário de Portão; Unime; Quadra da Escola 2 de Julho, em Itinga; Ginásio de Esportes do Aracuí; Escola Esfinge, em Areia Branca.

9. Já a D2 da Coronavac ocorrerá exclusivamente no Terminal Rodoviário de Portão, das 13h às 16h.

10. 2ª dose nesta segunda: Nesta segunda-feira (19), o município completou o ciclo vacinal de mais de 2.543 pessoas, com aplicação da 2ª dose da Oxford/AstraZeneca, antecipando o reforço de quem tinha aprazamento marcado para até o próximo sábado (24).

11. Ao ser imunizada, a psicóloga Magali Oliveira, 56, agradeceu aos profissionais de saúde e ao Sistema Único de Saúde (SUS) pela oportunidade. “Viva a saúde, viva ao SUS e que chegue para todos!”, afirmou. Pensando na coletividade e com o desejo de voltar às atividades que realizava antes da pandemia, a psicóloga ressaltou a importância de tomar as duas doses da vacina contra a Covid-19.

12. “Ao tomar só uma dose, corre o risco de abrir uma janela vacinal que, infelizmente, pode colocar todo mundo em risco. Eu vim tomar a minha segunda dose e convido a todos a fazer o mesmo e completar o quadro vacinal. É uma questão de ciência, de estudo. Só assim vamos voltar à normalidade”, destacou.

13. Otimista e cheia de fé, a aposentada Ana Barbosa, 62, acredita que toda a sociedade viverá dias melhores assim que a população for contemplada com as doses do imunizante. “Desde quando começou a vacina, as coisas começaram a melhorar. Mesmo com esse reforço, eu e a minha família vamos continuar usando máscara, álcool em gel e mantendo o distanciamento, até que a situação melhore por completo”, contou.

14. Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SESA) mostram que 80.139 laurofreitenses já foram imunizados com a 1ª dose de uma das vacinas disponíveis. O que representa mais de 50% da população adulta vacinada. Enquanto isso, mais de 26 mil pessoas já completaram o ciclo de vacinação com a D2 ou dose única da Jansen. O município também já vacinou mais de 20 grupos prioritários.

15. Bancários: No último sábado (17), a imunização foi destinada aos bancários de agências instaladas na cidade. A aplicação da 1ª dose contemplou 126 profissionais, dos 220 trabalhadores da área cadastrados previamente pela gestão municipal.

16. Salvador completou, nesta segunda-feira (19), seis meses de campanha de vacinação contra a Covid-19. Nesse período, mais de 1,2 milhão de cidadãos já receberam a primeira dose (o que corresponde a 63% do público vacinável). Desse total, 557 mil pessoas estão totalmente imunizadas, ou seja, que completaram o esquema vacinal com a dose de reforço ou receberam injeção única – que é o caso das doses do imunizante Janssen. 

17. Desde quando a mobilização teve início, no dia 19 de janeiro deste ano, a capital baiana tem avançado no processo graças a uma ampla estrutura montada pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Cerca de 2 mil profissionais atuam hoje diariamente, inclusive feriados e finais de semana, para que a operação ocorra nos pontos fixos e drive-thrus espalhados em todas as regiões da cidade.

18. Na prática, o processo de vacinação começa a apresentar resultados significativos e está sendo essencial para que os números da pandemia cedam. Um dos índices que refletem este sucesso é a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para tratar pacientes com a doença, que hoje (19) está em 47%, uma das menores cifras registrada este ano.

19. Também hoje, a capital baiana amanheceu sem paciente aguardando leito clínico ou de UTI adulto e pediátrico exclusivo contra o coronavírus. Também tem havido estabilização e queda nos números de óbitos e no fator de transmissão viral.

20. Com a população cada vez mais protegida e com o cenário se tornando progressivamente mais favorável, a capital baiana avança degrau por degrau para retomada das atividades econômicas, de forma segura e com protocolos específicos para evitar repique de novos casos de uma crise sanitária que já dura mais de um ano. 

21. A princípio, a estratégia contemplou os públicos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO). Com isso, as primeiras remessas dos imunizantes foram administradas para alcançar a população considerada mais vulnerável ou suscetível à infecção provocada pelo Sars-CoV-2, tais como idosos, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, entre outros grupos prioritários. 

22. Só após o cumprimento dessas fases, Salvador passou a realizar as aplicações de forma decrescente de faixa etária. Atualmente, já começaram a ser vacinados os cidadãos com idade igual ou superior a 38 anos. 

23. “Nesses seis meses de vacinação, passa um filme na nossa cabeça. No final de 2020 já estávamos no planejamento estratégico e operacional em relação a como seria o plano de vacinação, aquisição de insumos e recursos humanos. Desde o início da campanha, de forma exemplar, o município já tinha uma estrutura montada com centros de vacinação, pontos fixos, sistema drive-thru”, recorda a subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis da SMS, Doiane Lemos.