quarta-feira, 22 de setembro de 2021
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

SESAB TRANQUILIZA E DIZ QUE VARIANTE INDIANA COVID NÃO EXISTE NA BA

Dos 1.141.612 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.105.976 já são considerados recuperados, 11.208 encontram-se ativos e 24.428 tiveram óbito confirmado.
06/07/2021 às 12:25
   1. Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.235 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,3%) e 3.218 recuperados (+0,3%). O boletim epidemiológico desta terça-feira (6) também registra 116 óbitos. Apesar de as mortes terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram realizados hoje. Dos 1.141.612 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.105.976 já são considerados recuperados, 11.208 encontram-se ativos e 24.428 tiveram óbito confirmado.

2. O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.380.089 casos descartados e 233.693 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça-feira. Na Bahia, 51.050 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

3. O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 24.428, representando uma letalidade de 2,14%. Dentre os óbitos, 55,77% ocorreram no sexo masculino e 44,23% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 55,02% corresponderam a parda, seguidos por branca com 22,30%, preta com 15,37%, amarela com 0,42%, indígena com 0,14% e não há informação em 6,75% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 60,34%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (72,72%).

4. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.
                                                  *****
5. Com um total de 368 exames de sequenciamento genético do vírus da Covid-19 realizados, em nove meses, a Bahia não tem circulação da variante indiana da Covid-19 (Delta). De acordo com o último boletim divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA), a variante Gamma (antiga P.1, originária em Manaus) ainda é responsável por quase 80% das infecções no estado.

6. Reconhecido como a 3ª maior unidade de vigilância laboratorial do país e classificado na categoria máxima de qualidade pelo Ministério da Saúde, o Lacen-BA analisou amostras de 150 municípios dos nove Núcleos Regionais de Saúde.

7. As amostras continham genomas completos do Sars-CoV-2, a partir das quais foi possível identificar que circulam no estado 23 linhagens diferentes do vírus da Covid-19. Entre elas, as variantes Alpha (Reino Unido) e Gamma (Manaus), consideradas como variantes de preocupação e de interesse. Por orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), as variantes são agora denominadas por letras do alfabeto grego.

8. “Na Bahia, não foi identificada a circulação das cepas Beta (África do Sul) e Delta (Índia). A variante Gama e a do Reino Unido ainda são as predominantes no mapeamento genético que fazemos que é essencial para o planejamento e definição de ações na área da Vigilância Epidemiológica do Estado”, explica Arabela Leal, diretora do Lacen-BA.

9. A escolha das amostras para o sequenciamento foi baseada na representatividade de todas as regiões geográficas do estado da Bahia, casos suspeitos de reinfecção, amostras de indivíduos que evoluíram para óbito, contatos de indivíduos portadores de variantes de atenção (VOC) e indivíduos que viajaram para área de circulação das novas variantes com sintomas clínicos característicos.

10. O trabalho de vacinação contra a Covid-19 continua em Itacaré e a partir desta quarta-feira(07) a Prefeitura estará imunizando as pessoas com idade acima de 33 anos. Em Itacaré a vacinação acontece no Colégio Municipal Maria Benjamina e no Colégio Estadual Aurelino Leal. Já em Taboquinhas a imunização acontece no Colégio Padre Edgard Torres, de segunda a sexta-feira, sempre das 8 às 12 horas e das 13h30min às 15h30min.

11. Paralelo a imunização dessa faixa etária, a Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Saúde, também vem realizando uma campanha com o objetivo de conscientizar todas as pessoas que tomaram a primeira dose da vacina contra o Covid-19 para a importância de tomar a segunda dose, como forma de garantir assim uma imunização mais eficaz contra o coronavírus. A proposta é orientar para que todos os que tomaram a primeira dose retornem aos postos de vacinação nas datas que foram marcadas nos cartões.

12. De acordo com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde, uma dose da vacina garante uma resposta imunológica menos eficaz do que a produzida após o efeito da segunda dose. Em outras palavras, a primeira dose prepara o sistema imunológico para um ataque viral e a segunda aumenta a imunização, daí a importância do retorno nas datas que foram marcadas nos cartões de vacinação.

13. Diante dessas informações, o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, ressaltou a importância de todos os que tomaram a primeira dose voltarem nas datas para a aplicação da segunda dose. De acordo com os profissionais da saúde da Prefeitura de Itacaré, tomar apenas uma dose da vacina não irá gerar a proteção anunciada. Para isso, as pessoas que tomaram a primeira dose devem se dirigir aos postos de vacinação.

14. Dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (SESA), nesta terça-feira (6), apontam que 75.216 pessoas já receberam a 1ª dose da vacina contra a Covid-19 em Lauro de Freitas. O número equivale a 50% da população adulta do município.

15. “Estamos empenhados nessa campanha para salvar vidas”, comemora o titular da secretaria, Augusto Cesar Pereira. O município que se tornou referência na imunização pela rapidez com que aplica as doses, montou uma logística que agiliza todo o processo. “Assim que as doses são liberadas para o município, os drivers são instalados, o público é convocado e iniciamos a vacinação”, afirma César.

16. O município já zerou o público de idosos acamados e outros públicos alvo, e avançou muito na população com comorbidades e chegou a faixa etária de 43 anos. O secretário também aponta o bom desempenho do município na aplicação da segunda dose. Mais de 32 mil pessoas já completaram o ciclo de imunização contra a doença.

17. O município está vacinando pessoas em situação de rua. Até sexta-feira (09), mais de 100 pessoas que fazem parte desse público serão vacinadas contra a Covid-19, em Lauro de Freitas.

18. A imunização com dose única da Janssen teve início na manhã desta terça-feira (06), na localidade do Largo do Sossego, em Itinga. A administração das doses contemplou pessoas atendidas pelo Consultório na Rua - equipamento municipal que atua na prestação de serviços de saúde a essa parcela da população.

19. Além do local, a equipe aplicou as doses na Baixinha, Parque São Paulo, Beira Rio, Pedrita, Praça José Ramos, Tropical de Cima e São Judas Tadeu. Dados do cadastro mapearam 70 pessoas em Itinga. São 125 pessoas em toda Lauro de Freitas.

20. O público-alvo desta manhã foram, além das pessoas em situação de rua, os dependentes alcoólicos, conforme explicou o arte-educador do Consultório na Rua, Rubenval Menezes.

21. Contemplado com a imunização, José Roberto, 78, contou que a imunização representa um momento feliz. "Dá um pouco mais de segurança para a gente aqui", comentou. Para Carlos Humberto Leão, 50, a vacinação veio em uma boa hora. "Agora a gente tá longe de todo esse estrago da pandemia".