quinta-feira, 06 de maio de 2021
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

COVID BRASIL: 1924 MORTES 30.425 INFECTADOS; BAHIA 951 CASOS 33 MORTES

Políticos baianos lamentam a demissão de Mandetta
16/04/2020 às 18:27
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. Foram 2.105 novas confirmações em 24 horas. São Paulo concentra a maior parte das notificações da lista nacional. Todos os estados têm casos e mortes confirmadas

   2. Subiu para 30.425 o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil. Nas últimas 24 horas, as secretarias estaduais de saúde notificaram ao Ministério da Saúde 2.105 novos casos. O número de mortes também subiu, agora são 1.924 óbitos por COVID-19. As informações estão atualizadas­ até as 14h desta quinta-feira (16).

   3. A maior parte das notificações do Brasil está em São Paulo, que concentra 11.568 casos confirmados e 853 mortes. O segundo estado com mais casos é o Rio de Janeiro, que tem 3.944 confirmações e 300 óbitos. Todos os estados brasileiros já registram casos e mortes por coronavírus. Atualmente, a taxa de letalidade da doença é de 6,3%.

   4. Atualmente, os estados do Amazonas, Amapá, Distrito Federal, Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro e Roraima estão em estado de emergência, ou seja, precisam de redobrar os cuidados em relação à prevenção do coronavírus por estarem 50% acima da incidência nacional de casos de coronavírus.

   5. Pessoas acima de 60 anos se enquadram no grupo de risco, mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. Além disso, pessoas de qualquer idade que tenham comobirdades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma e puérperas, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus.

                                                       *****
   6. A Bahia registra 951 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19), sendo 102 profissionais de saúde.  Até o momento, 5.268 casos foram descartados e houve 33 óbitos, sendo 16 no município de Salvador e 15 nos municípios de Lauro de Freitas (2), Gongogi (1), Itapetinga (1), Utinga (1), Adustina (1), Araci (1), Itagibá (1), Uruçuca (2), Ilhéus (2), Belmonte (1), Vitória da Conquista (1) e Itapé (1).

   7. A 29ª morte foi de um homem de 62 anos, residente em Uruçuca, com histórico de hipertensão e tabagismo. Já o 30º óbito foi de uma mulher de 61 anos, residente em Ilhéus, com histórico de doença renal crônica, hipertensão e pneumonia. Ambos estavam internados em um hospital público em Ilhéus e tiveram o registro de óbito nesta quinta-feira.

   8. Já o 31º falecimento foi de uma mulher de 90 anos, residente em Salvador, com comorbidades associadas, a exemplo de obesidade e doença renal crônica. Ela estava internada em um hospital público em Salvador e foi a óbito ontem (15).

   9. Este número contabiliza todos os registros de janeiro até as 12 horas desta quinta-feira (16). Ao todo, 250 pessoas estão recuperadas e, do total de casos confirmados, 104 encontram-se internados, sendo 45 em UTI. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.
  
   10. ÓBITO 33: A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informa que registrou, nesta quinta-feira (16), o 33º óbito pelo novo coronavírus (Covid-19) no estado. A morte foi de uma mulher de 82 anos, residente em Lauro de Freitas, com histórico de doença cardiovascular. Ela estava internada em um hospital particular na capital baiana desde 14 de abril, vindo a falecer hoje.
                                                          ******
   11. Presidente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Jr. lamentou a demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo Félix, Mandetta vinha fazendo um ótimo trabalho pela saúde em nosso país.

  12. “Lamento a demissão dele, fez um trabalho digno. Espero que o próximo ministro (Nelson Teich) coloque a proteção da população em primeiro lugar.  A questão econômica é importante, mas salvar vidas deve ser a prioridade absoluta do governo”, afirmou.

   13. “O colapso da rede pública de saúde é iminente e o governo federal só assiste. Bolsonaro agora demitiu o ministro por ele ter levado a sério a pandemia”. A frase curta e direta é do deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) que cobra atenção do governo federal para as ações que podem salvar vidas no Brasil. 

   14. O parlamentar defende o isolamento social durante a crise de coronavírus e diz que o presidente relativiza o isolamento em detrimento da economia e se aproveita do momento para retirar direitos dos trabalhadores e para demitir o ministro Luiz Mandetta - que não fez o que Bolsonaro queria.

   15. “Ele não leva a sério, agora demitiu o ministro da Saúde por não fazer o que ele quer. Mandetta é médico, serve à ciência e não ao achismo. Aqui na Bahia, estamos com uma curva bem abaixo do país e, mesmo assim, já tivemos 33 mortos por Covid-19.