quinta-feira, 23 de setembro de 2021
Saúde

HOSPITAL SANTA IZABEL REALIZA COM SEGURANÇA EXAMES PARA O CORAÇÃO

Hospital Santa Izabel realiza com segurança e conforto exames que “testam” bom funcionamento do coração
Jose Candido Montal de Abreu , Salvador | 22/07/2021 às 12:11
Hospital Santa Izabel realiza com segurança exames para o coração
Foto: Divulgação

Referência em cardiologia, o Hospital Santa Izabel oferece desde os mais simples diagnósticos e tratamentos cardiológicos até o atendimento de situações de maior risco e complexidade.


Entre os exames disponibilizados destaque para o ecocardiograma sob estresse e o ecocardiograma com contraste intracavitário. O Serviço de Ecocardiografia do Santa Izabel realiza ambos, com a infraestrutura e segurança recomendadas, além de contar com modernos equipamentos que disponibilizam ao paciente e ao médico executor os maiores avanços na arte da ecocardiografia, agregando valor diagnóstico que impacta na conduta médica.


A ecocardiografia sob estresse é realizada usando-se o estresse físico (esteira ergométrica/bicicleta) ou farmacológico. Na atividade física (esteira) “simula-se” um estresse cardíaco (farmacológico) em ambiente monitorado. Esse exame possibilita o fornecimento de informações diagnósticas e prognósticas importantes em diversas situações clínicas, em especial na avaliação de isquemia miocárdica.


Já o ecocardiograma com contraste intracavitário permite melhor visualização das estruturas internas do coração. Ele baseia-se no uso de agentes denominados microbolhas que são altamente refletoras do ultrassom. As microbolhas são seguras e, quando aplicadas em injeção intravenosa periférica, realçam as câmaras cardíacas, assim como preenchem toda a microvasculatura miocárdica.


O uso desdes agentes, diz a Dra. Angele Mattoso, médica especialista em ecocardiografia, melhorou muito a qualidade da imagem e a confiança do leitor na interpretação da ecocardiografia. “São muitas as aplicações importantes que imagens contrastadas podem adicionar para o ecocardiograma, com ênfase na doença arterial coronariana. É recomendado seu uso sempre que dois ou mais segmentos contíguos do ventrículo esquerdo não possam ser visualizados adequadamente”, completou a especialista.