ter�a-feira, 26 de outubro de 2021
Colunistas / Filosofia Popular
Rasta do Pelô

RASTA DO PELÔ vira emergente classe C e mulher exige passas no Natal

Veja os ingredientes exigido pela mulher do Rasta do Pelô para este Natal e a recomendação para ouvir conselhos apenas do conselheiro Souza, do Onha
24/11/2012 às 12:07

Casa de pobre quando chega essa época do ano é um sufoco. 


   Ainda que já tenha conquistado minha ascensão social a classe média emergente, sou um desses 30 milhões do Lula, é aproximar do Natal e minha esposa aparece logo com a lista de compras do final do ano incluindo queijo de cuia, panetone, vinho, pernil sem osso, vinagre balsâmico, figo em calda, castanha de caju e tudo mais que tem direito. 

   Todo dia, antes de minha ida ao Pelô, onde vendo minhas boinas, é a mesma ladainha: 

  - Não esqueça de trazer os folhetos com as promoções pra gente fechar a lista - me adverte aos berros, bem naquele estilo, de que se não trouxer vai ver.

   Como não sou de briga nem tenho assinatura de A Tarde, me viro como posso, fisgo as sobras do jornal de mestre Clarindo, lá na Cantina da Lua, ou na tenda de assessoria do jornalista Pig, e fico atento na janela do ônibus quando retorno para casa, às meninas do HiperIdeal, do G. Barbosa e do BomPreço que distribuem tais folhetos nos pontos do Iguatemi e outros, vestidas de mamãe Noel.

   Ainda bem não coloco o pé na soleira da porta, de volta do trabalho, e ela dispara da cozinha, ao fritar dois ovos com cuscuz para meu jantar: - Trouxe quantos hoje? 

   - Trouxe três, taquí toma - e os entrego numa boa esperando que a tal lista natalina seja concluída para que possamos organizar o orçamento e às compras.

   Hoje, vivo esse drama, porque quando ainda era pobre, a mulher e os meninos se contentavam com o panetone da Irmã Dulce, o pão da padaria aqui da Caixa D'Água, da Padaria de Sêo Pepe dos pobres, o vinho sangue de "bois", o creme cracker vitarela, postas de corvina e dois tubos de mortadela, arroz São Braz, azeitonas verdes, bolo de chocolate, refrigerante e vinho Quinta do Morgado.

   Pois assim dito, agora como somos emergentes, moramos no Minha Casa, Minha Vida quanto recebi a lista deste Natal só não cai do velho sofá porque o camarada quando está sentado se distraindo com o programa do Ratinho, o qual é meu predileto, adoro aquela moça dentuça e pernuda do Ratinho, a mulher se sofisticou de tal jeito que anotou e me entregou a lista para a ceia do Natal com os seguintes ingedientes:  panetones argentinos Clau's (duas caixas), queijo do reino Jong, do grande; 5 pacotes de mistura de bolos Sarandi com 400 g cada um deles; um peru da Sadia com apito; duas latas de azeitonas verdes da marca Pepita, sem caroço; dois quilos de filé de salmão congelado; uma peça de picanha a vácuo; 1 frasco de azeite de oliva Farchioni; duas garrafas de espumante Chandon Brut; Coca Cola de 2.5 litros; 1 lata de figo em caldas; 1 lata de pêssego em caldas; pacotes de biscoito Cookie. E mais, se der: um pacote de nozes e passas da Califórnina.

   Ah!, mesmo paciente como sou, berrei: - endoidou foi mulher!

   - Endoidou de que! Será que não mereço. Será que passo o ano produzindo boinas e fazendo tererê nas minhas clientes e não posso tomar uma Chandon no Natal!

   - Merecer merece até mais, o problema é o capilé que está curto para tanta coisa.

   - Eu ajudo. Eu entro com a metade e nós vamos nos dar esse luxo com certeza. Agora, não me venha querer também consultar seu amigo Badu, o intelectual de bigode, numa besteira dessa, nem muito menos Pesnosik, o véi broco, porque este vai comer é pão sovado.

   - Tá bom, tá bom - resmunguei.

   - No máximo você pode ligar para o conselheiro Souza, do Onha, este sim tem bom gosto e só bebe vinho italiano do bom.

   Aquiesci e acertei para dia seguinte ir às compras, recebendo da esposa a foto de uma revista mostrando como ela deseja nossa ceia natalina. 
 Quando já estava no final do programa do Ratinho eis que, recebo pelas fuças um folheto da LarShopping, "o melhor da vida na casa da gente", e dizeres de ousadia:  

   - Esse daí você guarda e fica pra você porque tem 5 anos eu querendo trocar esse sofá xexelento aqui da sala, e você sempre dizendo que não tem dinheiro, e agora me traz um folheto desse com esse sofá Pacífico de quase 4 mil contos, pra me humilhar...sem m...

   - Calma minha santa... peguei essa ruma de folhetos no jornal e lá sabia que tinha esse no meio!