segunda-feira, 21 de junho de 2021
Política

BOLSONARO PARTICIPA DE ATO RURALISTA CONTRA STF E CPI COVID NO SENADO

Com Extra e Correio Braziliense
Tasso Franco , da redação em Salvador | 15/05/2021 às 18:07
Bolsonaro acena para apoiadores em BSB
Foto: REP
    Ruralistas de várias partes do Brasil fizeram uma manifestão em Brasília de apoio a Bolsobaro e contra ministros do STF e a CPI da Covid no Senador. Ofereceram um churrasco aos participantes do ato “Eu autorizo, presidente”, realizado neste sábado (15), em defesa de Jair Bolsonaro (sem partido), em Brasília.

   O presidente Jair Bolsonaro desfilou montado num cavalo no meio de uma manifestação. Pouco antes, o presidente sobrevoou de helicóptero o protesto. Sem usar máscara, Bolsonaro caminhou entre os manifestantes, que apoiam o voto impresso e criticam tanto o Supremo Tribunal Federal (STF) quanto a CPI da Covid. Bolsonaristas também se reuniram neste sábado na Avenida Paulista, em frente ao prédio da Fiesp, em São Paulo, para defender pautas do governo. O ato foi organizado pela Marcha da Família.

  Em Brasília, antes da chegada de Bolsonaro, dois helicópteros da Presidência sobrevoaram a manifestação, por volta das 15h, para observação. Depois de darem duas voltas, as aeronaves retornaram para o Palácio da Alvorada. Pela manhã, o presidente avisou que estaria “com o povo” na Esplanada.

  Segundo o Correio Braziliense, sem a menor preocupação com o distanciamento social, famílias de todas as regiões do país formaram uma longa fila ao redor da churrasqueira montada entre dois caminhões, nas imediações do Congresso Nacional. Com máscaras no queixo, gritavam a palavra “mito” e frases em defesa do presidente.

Moradora de Imperatiz (MA), a cantora gospel Aldoraya percorreu cerca de 1.100 quilômetros para prestar seu apoio ao chefe do executivo. “Essa é minha primeira vez em uma manifestação em Brasília, mas lá na minha cidade eu sempre participo. Em 2018, compus duas músicas para Bolsonaro, junto com outros dois artistas da cidade. A gente sempre apoia as nossas famílias, a defesa das nossas crianças e o amor a nossa pátria. Pois a gente só via o nosso Brasil vestido de vermelho”, afirmou.

Acompanhado pela família, o comerciante Aires Matos, 49 anos, percorreu mais de dois mil quilômetros do Nordeste do Pará até a capital do país. Embora o Brasil nunca tenha adotado o modelo comunista como regime, seu discurso somava-se ao de centenas de pessoas que vieram "lutar" para que o comunismo não volte no país. "Onde teve o comunismo nunca funcionou e sempre quem paga é o povo", acusou.

Ao som do berrante, moradores de Mato Grosso do Sul também marcaram presença no ato promovido por entidades do agronegócio e movimentos religiosos em defesa da família.

Convocado pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, no último domingo (9/5), o evento concentra várias ações ao longo de toda Esplanada dos Ministérios. Além de manifestar seu apoio do chefe do Executivo, os participantes fazem críticas o Supremo Tribunal Federal (STF) e as medidas de isolamento social. Alguns grupos pedem a prisão de "ministros comunistas", a elaboração de uma nova constituição e a intervenção militar. A chegada do presidente está prevista para as 15 horas.