quarta-feira, 12 de maio de 2021
Política

CATEGORIA PETROLEIRA E DEYVID BACELAR RECEBEM APOIO NA ALBA

O deputado Hilton Coelho apresentou moção de aplauso à luta dos petroleiros na Bahia e se solidariza com o coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP)
Ascom Hilton Coelho , Salvador | 08/04/2021 às 12:20
O deputado Hilton Coelho (PSOL) apresentou, na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), moção de aplauso à luta dos petroleiros na Bahia e se solidariza com o coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, que foi vítima de perseguições da direção da Petrobrás. “É preciso que mostremos nosso apoio ao processo grevista como legítimo. A categoria não pode ser intimidada em meio ao maior desmonte da história do Sistema Petrobrás, com diversas unidades já privatizadas e fechadas e outras tantas em processo de venda, os petroleiros enfrentam graves ataques no ambiente de trabalho”, afirma o parlamentar.

  A Refinaria Landulpho Alves-Mataripe (RLAM), localizada no município de São Francisco do Conde, foi vendida recentemente para o Fundo Mubadala. “Diante do ataque aos direitos dos trabalhadores, no dia 18 de fevereiro iniciou-se uma greve, suspensa em seguida. Em 5 de março, a greve foi retomada, em defesa da Petrobrás, da soberania nacional, dos direitos dos trabalhadores e contra a insegurança e o assédio moral que a categoria vem sofrendo. Além disso, protestam contra o avanço do coronavírus e a negligência da gestão. No início de março, já se somavam mais 70 trabalhadores infectados na RLAM. A categoria tem sofrido sucessivas intimidações. A mais recente aconteceu nesta segunda-feira, dia 5, quando a Petrobrás, através da Gerência Geral da RLAM, aplicou punição disciplinar ao coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros, Deyvid Bacelar, lhe impondo suspensão arbitrária de 29 dias, mesmo estando ele em exercício legal de seu mandato sindical”, detalha o legislador.

  Hilton Coelho conclui externando total apoio à categoria e ao dirigente sindical Deyvid Bacelar. “O objetivo da empresa é intimidar os petroleiros punindo a principal liderança sindical da categoria por atuar na greve da RLAM e denunciar os riscos a que os trabalhadores estão submetidos por conta da venda da refinaria e as ilegalidades do processo de privatização. A prática da punição de dirigente sindical grevista viola a Convenção 98 da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O Poder Legislativo deve se posicionar repudiando quaisquer práticas antissindicais. Todo apoio aos petroleiros, à luta em defesa da Petrobrás e solidariedade ao sindicalista Deyvid Bacelar”.