quinta-feira, 13 de agosto de 2020
Colunistas / Causos & Lendas
Lobisomem de Serrinha

LOBISOMEM DE SERRINHA CAI NO TROTE DE BRASÍLIA ACHANDO SER MINISTRO

Leias todas crônicas no livro Lobisomem de Serrinha e a nuvem de fogo nol wattpad
03/05/2020 às 12:04
A nossa live em benefício dos velhinhos do Centro Espírita da Serra teve grande repercussão, porém, um sobrinho neto da minha esposa Ester, Leandrinho Ubatã, residente em Valencia, na Espanha, zapiou-nos querendo saber qual o desdobramento do telefonema de Brasília à minha pessoa, do tal convite irrecusável para um cargo de alto coturno, e entendi que o melhor seria a própria Ester responder e passei-lhe o iphone.

- Seu avô já se irritou com sua neta Sol, a qual, também esteve a perguntar a mesma questão, e desconfia sem provas suficientes para uma acusação, tal um mandatário de Pindorama, que teria sido um trote passado por seus adversários políticos na Serrinha, alguém dos Matos, ou dos Carneiro, quiça dos Fiúza, Comentou.

- Bem, se assim aconteceu, tudo bem, que esfrie a cabeça, pois, independente dessa galhofa, própria de ano eleitoral, ele tem capacidade para ser ministro e até, se for o caso, presidente, enalteceu Leandrinho.

- Ora, meu filho, seu avô já é ministro da Igreja dos Homens de Deus da Serra, ministro da Ordem dos Cavaleiros do Subaé, presidente de Honra da Sociedade Filarmônica 20 de Junho, presidente da Liga de Desportes do Campo da Lixa, presidente de honra da Irmandade de Santo Antônio da Chapada, e põe presidentes nisso. Só aqui em seu home-office tem 25 quadros emoldurados na vidraçaria de Raimundo Sindé de locais e instituições que ele é ou já foi presidente. 

- Mas falta-lhe presidente de Pindorama.

- A pensar. Ainda não foi porque nunca colocou seu nome para ser avaliado pelo eleitorado brasis. Se assim fizesse, não diria que estivesse eleito, mas, faria bonito, mais do que Freneas, do que o Cálvaro, do que o Guimarães e tantos outros que tentaram. 

- Ainda dá tempo. Teremos ano eleitoral em 2022 e seria uma boa oportunidade, incentivou Leandrinho.

- Agora quem não quer sou eu. Passou da idade. Já dá-me um trabalho enorme para cuidar dele nesse confinamento do coronavirus, vejo-me redobrada, erra a boca na hora de comer, finge-se de surdo e troca palavras, pede para ligar pra filha em Copacabana a hora passando da 2 da manhã, assiste diariamente o detetive Murdock de Toronto, O Vigilante Rodoviário, a Branca de Neve, e agora quer aprender a arte de espadachim.

- Então, melhor deixá-lo quieto.

- Outro dia, sendo Leão, tocou o hino de Bahia e mandou para o poeta Mendes do Passé e foi um alvoroço entre seus prováveis eleitores e seguidores, com comentário de Dr Zéu na Net e de Sinfrônio, do próprio Bahia. Se cai no zap do conselheiro Souza de Todavia estavámos fritos, viraraia personagem naquela República.

- Deixe-mos ele então à vontade, encerrou Leandrinho.

Mantive-me o tempo todo com um olho no padre e outro missa, ouvindo tudo, agora então que passei metiolaite no ouvido direito ouço mais da conta.

Argui a Ester: - Que conversa longa foi esta. Imaginei até que estiveste em alguma tertúlia com o véi broco do Besnosik ou com a professora Jesus.

- Broco está você. Era o Leandrinho querendo saber das tratativas de Brasília e quando me deste o iphone sabia que era ele.

- E V. Sa. disse o que? - tratei-a como se edil da nosso briosa Câmara fosse.

- Falei a verdade. Que V. Exa. (usou também tratamento de ministro) não foi convidado a nada, teria sido um trote d'algum adversário, mas, que, embora tivesse capacidade de ser até presidente ou governador, de mandar fechar ruas e até acabar o São João, como já ouvi dizer, passou da idade e dá-me muito trabalho, sendo melhor que fique aqui mesmo na Serra a cuidar de suas ovelhas e frequentar o Canteiro's e as missas na catedral.

- Errrrou ... (falei grosso imitando Faustão). Não falta-me idade nem disposição para o trabalho e se chamado fosse a Brasília, não quero me gabar antecipado, mas, faria muito mais bonito do que aquele Nosferatu da saúde e daria uma grande contribuição a Pindorama. E mais diria, sem lhe ofender, que teria mais fãs a ellogiar-me do que a Manuelina Duarte.

- Olha! Era só que me faltava...caindo aos cacos, tomando pílulas para ficar em pé, espetado pelas agulhas acuputarianas de doutor Mácio, semanalmente, de massagem fisioterápicas da senhora Zete, auscultado permanentemente por doutor Mauricio de Tebas, seria o primeiro caso de nomeação de um ministro com posse numa ambulância.

- Intrigue-me com quem quiser, mas, no íntimo você sabe que estou em pé, firme, espada, dando no couro e tudo.

- Só rindo. Só se for em algum couro de gato, arreliou Ester indo atender o telefone fixo que acabara de tocar, em andar sex para me provocar.

- Alô! Sim ele está...um momentinho só.

- Telefone para V.Exa, acenou.

- Quem é? Quiser saber para não cair noutro trote.

- Sei não (colocando a mão na boca do fone). Parece que é de Brasília.

Dei um pulo da cadeira, atravessei a sala em passos de ganso e atendi:

- Alô, com voz potente. 

- É o Harielio do Boteco do Teco, meu caro. 

- Que deseja ilustre conselheiro, falei assim para Ester se impressionar, pois, estava de butuca a me bizurar.

- Estou com uma promoção de cervejas duas em uma e mando entregar pelo Serra Eat, delivery.

- Mande então 2 caixas daquela que desce redonda e 1 cx da verde de Holanda, desliguei.

Ester ficou a sorrir, curiosa. - Brasília parece que falhou de novo, arguiu.

- Esqueça Brasília e vamos falar de Amsterdam. Mandei trazer uma caixa longneck das verdes de Holanda para brindarmos esse confinamento em nosso novo lençol de linho.

Ester se alegrou mas, ainda assim, olhando para uma imagem de Sat'Anna e outra de São Roque completou: - É o fim do mundo.