quinta-feira, 27 de junho de 2019
Colunistas / Causos & Lendas
Lobisomem de Serrinha

LOBISOMEM DE SERRINHA conta com foi a visita do gov Wagner a Serra

Lobisomem só ficou chateado porque foi tudo muito rápido e não levaram o "homem" pra tomar uma umbuzada em Moacir do Bar
17/03/2013 às 11:43
 Como já dito no meu faceboobk compareci à solenidade de inauguração do Armazém da Economia Solidária, aqui na Serra, com a presença do ilustre governador Jaques Wagner, mas, não apiei de minha mula Graciosa porque não sendo autoridade municipal, estadual e/ou federal, nem muito menos convidado poderia passar por enxerido.

   Daí que fiquei de longe, astuciando, cubando o evento e só não enxerguei a cabeleira branca do "galego", com diz o ex-presidente Lula, porque estava de boné, porém, ainda assim ví o "home", e também ví nosso prefeito Osni Cardoso e seu candidato a governador, Rui Costa, um deputado grandão, e outro deputado de barba branca que minha vizinha Maninha de Zipriano, a qual lá esteve, disse-me ser o presidente da Assembleia, Marcelo Nilo.

   Curioso é que minha esposa só chama Wagner de Waner. Quando ela fica emocionada e/ou zangada dá uma gagueira que engole o g. Diz-me: "Venha ver Waner na TV". Outro dia minha gatinha Gabi caiu da pia e quebrou uma pata. Só ouvi o grito na cozinha: "Corre que a abi morreu". Sêo Gatão ela só chama de atão; e Sêo Godô da Padaria de odô. Como já estou acostumado sinto o g gutural la no fundo da garganta.

   Pra dizer a verdade, nem entendi porque Sua Excelência veio a Serra inaugurar um armazém. Até mangei com meu compadre Pedrito do Fumo de Rolo achando ser um fato menor, mas, ele considerou um pensamento próprio de minha ignorância, porque sendo integrante da Cooperativa Fumo de Rolo da Serra, a Cooperfuro, e sua mulher Celina da cooperativa da geléia de mangaba do Barreiro de Jovino, o Armazém, com A maiúscuo (destacou o dito) é para dar suporte às cooperativas da agricultura familiar.

   Aí recolhi minhas garras, já estava com dois caninos babando de fora, e etendi tudo, compreendendo a diferença para os antigos armazéns da Serra que viviam abarrotados de sisal, tudo segurado no BB, e de vez em quando um deles pegava fogo, dizem que de propósito, para o banco pagar a gaita, e ficava por isso mesmo. Até porque, nosso corpo de bombeiros era (e ainda é) de balde, de lata d'água y num semiárido de meu Deus desses, como se apagaria um armazém em chamas. Nem milagre de Santo Antônio.

   Eu mesmo, antes de abraçar a profissão de tacheiro (produzo os melhores tachos de cobre a região) negociei sisal nos armazéns de Sêo Feliciano, de Sêo Antonio Nunes, de Sêo Carlos Mota, de Sêo Zé Reis, Sêo Paulo Oliveira, comprava ferramentas nos armazenes de ferragens de Sêo Nenem Gonzaga, de Sêo Sinfroninho, de Sêo Isidório; e adquiria milho para minhas galinhas e vermute de regalo dominical nos armazéns de Sêo Emilio Ferreira, de Sêo Cipriano, e nos fabricos de Lôro, de Dermeval.

   Ainda assim, me queixei com compadre Pedrito que a permanência de Sua Excelência na Serra foi muito rápida, pareceu com o meteorito da Rússia, sem que o prefeito levasse o "home" pra tomar uma umbuzada em Moacir do Bar; sem que apreciasse uma rabada no restaurante de Sêo João petista no Pé da Cova; quiça jogar uma mão de dominó na tenda do Cal e assim por diante.

   E se for dado a um dedo de prosa mais demorado poderia passar na casa de nossa familia para comer um guisado de anun preto à base de molho de cajá e alecrim colhido no Morro do Fundo, que é a especialidade melhor produzida por minha querida esposa dona Esterloura, visto que temos tradição em receber autoridades, participamos da recepção a dois candidatos a presidência da República, Ruy Barbosa e Ademar de Barros, sendo que dona Ester foi quem entregou o ramalhete de flores a Ruy assim que ele saltou na gare do trem da Leste; e minha menor Eliza foi quem praticou mesmo gesto com Ademar na casa de Manoel Chileno; isso pra não falar que já recepcionamos governadores à mancheia, desde Manoel Vitorino passando por Seabra, Landulfo Alves, Juracy Magalhães, Balbino, Luiz Viana Filho, ACM, Roberto Santos e Paulo Souto.
 Eu mesmo preparei um guisado da melhor qualidade para nossa presidente Dilma quando se anunciou que ela viria a Serra inaugurar um programa de saúde, mas, infelizmente não veio e mandou Sêo Padilha, daí que decidimos, eu e meu conselho politico, o vereador Reizinho, o empresario Alírio Vermelho, o conselheiro Tolentino e o botequier Teco, além do ajudante de missa Pinguinha, a comer o dito guisado tomando uma caixa de bramosas, isso nos serindo também de um quilo de goiabada cascão produzida por Sêo Silvio Murta da Cobiça.

  De maneira que; de forma tal já mandei colocar uma nota na rádio de Sêo Plínio Carneiro me colocando à disposição do senhor prefeito para recepcionar o governador na próxima vez que vier a Serra, inclusive já falei com a professora Claudemita Ferreira que ela dará o ramalhete de flores ao "home" e encomendei duas dúzias de foguetões no Lamarão para anunciar o evento, porque os foguetes que soltaram desta feita foram fraquinhos demais da conta.