ter?a-feira, 18 de junho de 2019
Colunistas / Causos & Lendas
Lobisomem de Serrinha

CAUSO DOS ESQUELETOS DE VAMPIROS É DE ASSUSTAR O LANZUDO

Assustou o lanzudo da Serra
13/07/2012 às 07:04
Foto: BBC
Pesquisador búlgaro limpa com pincel esqueleto de vampiro, no Mar Negro
   Olha que sou um camarada com bastante idade e já vou fazer 281 anos em abril próximo, portanto, sou escaldado para acreditar em qualquer assombração, mas esse causo da Bulgária, onde arqueólgos descobriram "esqueletos de vampiros" datados da idade média é de tirar o chapéu.

   Os tais aspirantes a vampiros foram empalados com barras de ferro cravadas nos peitos para impedir que, depois de mortos, se transformassem em vampiros reais e saissem fazendo miséria em Sofia e outros sitios búlgaros.

   Essa prática pagã assustadora, que felizmente não chegou até nós, embora eu mesmo conheço vários vampiros aqui na Serra, no Tucano, em Euclides da Cunha, na Feir, Monte Santo e fui informado por leitores do BJÁ que existem lobisomens em Inhambupe, Mundo Novo, Jequié e Vale do Capão, suponho que alguns deles meus parentes, porque minha familia é numerosa, na Bulgária, admitem os arqueólgos existem cerca de cem áreas que serviram como locais em que pessoas tidas como vampiros foram enterradas.

   Os pesquisadores encontraram os dois esqueletos, datados da Idade Média, na cidade de Sozopol, no Mar Negro."Estes esqueletos atravessados com barras de ferro ilustram uma prática comum em alguns vilarejos búlgaros até a primeira década do século 20'', explicou Bozhidar Dimitrov, que comanda o Museu de História Natural da capital búlgara, Sofia.

    De acordo com o historiador, as pessoas acreditavam que as barras de ferro manteriam os mortos presos às suas covas de modo a impedir que elas as deixassem à meia-noite para atormentar os vivos.

    Que loucura! Pois meus amigos vampiros aqui do Tucano, os Piridões, e uns parentes deles que moram na Feira, os Colberzões, são pacíficos, gente boa, e nós costumamos tomar banhos na bica do Jorrinho às margens do Rio Itapicuru na maior, bebericando uma cerveja e comendo carne de bode, de cabritos das caatinhas do Tracupa que é o local onde Judas amarrou suas botas e só não voltou para o Oriente Médio porque a igreja católica espalhou que ele era um traidor, daí que ficou morando por acá, vivendo do artesanato de fazer sandálias de couro de carneiro.

    Na Bulgária, lendas ligadas a vampiros formam uma parte importante do folclore da região. A mais famosa é a que envolve o conde romeno Vlad, o Empalador, conhecido como Drácula, que empalava suas vítimas na guerra e bebia seu sangue. O mito inspirou o lendário romance gótico de Bram Stocker, Drácula, publicado em 1897, e, desde então já resultou numa série de adaptações para o cinema.

    Eu mesmo não conheço Drácula e aqui em nossa região os vampiros que conheço gostam mesmo é de cerveja gelada. Pode até beber algum sangue, mas, só se for de galinha molho pardo no restaurante Pé na Cova do meu amigo petista, e que fica localizado ao lado do nosso glorioso cemitério.