quinta-feira, 22 de abril de 2021
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

DOMINGO DE PASCOA DE RENASCIMENTO PARA A DUPLA BAHIA E VITÓRIA

Bahia vence Atlético de Alagoinhas e Vitória o Treze de Campina Grande
05/04/2021 às 11:30
   Páscoa é renascer, é ressurgir. E foi um dia de comemoração da dupla Ba Vi.



 O Leão Rubro-negro, depois de cinco jogos só empatando, enfim voltou a vencer no Barradão, e bem: 3 x 1 sobre o 13 de Campina Grande/PB valendo pela Copa do Nordeste, na boca da noite, mesmo com um atleta a menos em campo.  

 Antes, à tarde, em Pituaçu, o Bahia também voltou a triunfar, dessa vez pelo Campeonato Baiano: 2 x 1 sobre o Atlético de Alagoinhas. E, com esse triunfo, o Tricolor foi dormir no grupo de classificação, entre os quatro primeiros da competição. Reacendem as esperanças do Tetra.

  Feliz Páscoa para as torcidas rivais, pois.  

 **

 No Barradão

 Mesmo na Toca do Leão, o 13 da Paraíba encarou, logo no início. Teve boa chance de abrir o placar aos 8 minutos, após saída bola errada do lateral Pedrinho; a bola sobrou na praia para o avante Anselmo que errou o alvo, chutou por cima.

 - Gol ! 1 x 0,  Vitória. Aos 11 minutos. Boa jogada de Pedrinho e Vico pela esquerda, Alisson Férias recebeu na grande área, girou, e bateu rasteiro, cruzado, abrindo o placar.

  O Leão era melhor mas, num contragolpe, aos 15’, Jairinho entrou livre pela esquerda, bateu firme cruzado e Lucas Arcanjo defendeu no chão, com dificuldade.  Aos 26, duas boas chances seguidas do rubro-negro, com Samuel e Cedric; Jefferson defendeu uma e Vico isolou a outra. Aos 34’, a defesa da casa deu mole e Anselmo encheu o pé para defesa, com rebote,  de Lucas Arcanjo. O 13 bem vivo na partida, dando trabalho. Aos 38’, Birungueta arriscou de fora e por muito pouco não empatou.

 Pedrinho, lateral, foi expulso aos 40 minutos, após um carrinho frontal. Levou o segundo cartão amarelo e prejudicou a equipe com a expulsão.  Na sequência, Rodrigo tirou Alisson Farias e colocou o lateral Roberto, para recompor o lado esquerdo. Aos 44’, Samuel experimentou de fora mas o goleiro Jefferson catou no rodapé.

  Primeira etapa equilibrada, mas o Leão saiu na frente. Já no final, perdeu um jogador, expulso; e isso exigirá muito mais aplicação coletiva e estratégia do Leão na segunda etapa.   

*

  A partida recomeçou feia, com faltas seguidas e chutões. O Leão, com um atleta a menos em campo, espertamente  mascando o ritmo, gastando tempo, apostando na velocidade de David e Vico pra matar o jogo.

 - Gol !  2 x 0, Vitória. Samuel ! aos 12 minutos. Ótima arrancada de David pela esquerda, bola cruzada na medida e Samuel, de voleio, meia bicicleta, acertou o cantinho. Golaço !  

  O gol deu ainda mais tranquilidade ao Leão. Recuadinho e sem pressa, administrando bem. Sem riscos. Mas...

- Gol ! 2 x 1 , aos 23 minutos. Jogada errada na saída de bola do rubro-negro baiano, o cruzamento da esquerda e João, livre na pequena área, escorou. 

O Leão fechadinho, suportando, mas o Treze voltava ao jogo.

 Aos 30’, novamente David em alta velocidade pela esquerda, rolando para Roberto que, de frente, chutou pro alto. Ritmo truncado, muito cai-cai. Aos 39’, o Treze todo no ataque, Hítalo pegou uma sobra em contragolpe, dois contra um, mas ele errou o passe final. Era a chance de matar o jogo.

 - Gol ! 3 x 1, aos 50 minutos. Wallace puxou o contragolpe, a defesa paraibana escancarada. O passe do capitão achou David entrando livre em velocidade pela esquerda; o avante bateu na saída do goleiro, que deu rebote e a bola sobrou limpa pra Catatau empurrar às redes, fechando o caixão. Ótimo triunfo do Leão.

 *

  Destaques

  Loas para o treinador Rodrigo que, mesmo com um a menos desde a primeira etapa, posicionou a equipe em ações de contragolpes que definiram a partida.  Wallace pelo lance final, Samuel pelo golaço, Vico pela correria e David, arrebentando pela esquerda.

*

Escalações

Vitória : Lucas Arcanjo, Raul Prata (Van), Wallace, Marcelo e Pedrinho; Cedric, Maikon Douglas (Paulo Vitor) e Alison Farias (Roberto); Vico (Hítalo), Samuel (Catatau) e David. Treinador, Rodrigo Chagas.

 - 13 da PB /Campina Grande: Jefferson, Junior, Vital, Marlon e Emerson; Regis, Darlan (Romeu), (Wellington) Anselmo (Marcelinho); Birungueta (Kleiton Domingues), João e Jairinho (Rogerinho); Treinador, Marcelinho Paraíba.

 Arbitragem do Piauí; no apito, Diego da Silva Castro.

**

Baianão

O Bahia venceu Atlético Alagoinhas (2 x 1) em Pituaçu, pela 7ª rodada da competição e foi a 9 pontos ganhos, entrando, mesmo que provisoriamente – porque a rodada segue – na zona de classificação, em terceiro lugar. Jacuipense (com 16 pontos) e Atlético (12), na frente. Foi o segundo triunfo do Tricolor na competição. 

*

Outros jogos da 7ª rodada: Jacuipense 2 x 0 Fluminense (fechando a rodada dupla em Pituaçu); a equipe de Riachão do Jacuípe está sobrando até aqui na competição. Disputa seu primeiro título estadual, pois. 

- Bahia Feria 0 x 0 Vitória da Conquista; Juazeirense x Unirb; Vitória x Doce Mel.  

**

  Em Pituaçu

   O time B (chamado de ‘transição’) do Bahia entrou em campo sob pressão, com apenas 6 pontos ganhos em seis jogos, ocupando o 7º lugar. Tinha um jogo ganho apenas na competição. Era vencer ou vencer. O tetra campeonato continua em risco.  

  O Atlético, vice campeão baiano, com 12 pontos, vice líder, levando a campo uma rivalidade e tradição que começou nos anos 70.  O Carcará vinha de três triunfos seguidos. Reedição da final do Baianão/2020.  

  Com a necessidade de ganhar, fazer gols, o Bahia começou com postura ofensiva. O Atlético sem pressa. O primeiro chute em gol foi do Bahia, aos 17 minutos, numa tentativa de Pablo, para defesa de Fábio, encaixando no chão.

- Gol ! 1 x 0 Bahia, aos 24 min.  Na sequência de boa trama pela esquerda, Bruno Camilo pegou forte e rasteiro da linha da meia lua, acertando o canto. O goleirão foi nela, mas não chegou.

  Parada para reidratação e o ritmo caiu um pouco, sol forte. O Carcará adiantou e apertou mais a marcação, saindo pro jogo com o gol levado, buscando o empate. O Tricolor, então, na recueta,  trabalhando no contragolpe.  

 Mas até o final da primeira etapa nada aconteceu, nenhum arremate a gol, nem lá nem cá.

*

 Bom recomeço. Aos 2 minutos, quase um golaço em jogada de tabela, de prima, entre Felipinho e Daniel Cruz, que ajeitou de peito para finalização de Bruno Camilo, da meia lua, por cima, assustando o goleiro Fábio, só espiando.

  Aos 9’, primeiro arremate do Caracará, então mais ofensivo. Chute de longe de Dionísio para defesa de Matheus Teixeira, no chão.  O Atlético atuava mais próximo da área inimiga, levando perigo.  Mas, aos 16’, o zagueiro Bremer deu uma falta matando um contragolpe tricolor, levou o segundo amarelo e foi expulso.  

 Aso 18’, após um erro bisonho de passe do lateral Felipinho, a sobra ficou limpa para Dionísio que bateu forte para a espalmada no alto do goleiro Matheus Teixeira. Susto.   

 - Gol ! 2 x 0, Bahia. Gustavo Henrique escorando de cabeça um escanteio da direita, bem cobrado por Bruno Camilo, antecipando-se ao goleiro. Aos 24 minutos.

  Mesmo com um atleta a menos e o placar adverso, o Carcará não se intimidou, foi pra cima, dando trabalho. Aos 31’, após falta alçada, a cabeçada na pequena área para ótima defesa de Matheus.

  - Gol ! 2 x 1, Dionísio batendo pênalti inventado pelo árbitro Marielson, numa disputa de bola normal na área Tricolor.  O Caracará de novo no jogo.

  Aos 39’, Jeremias entrou de cara, sem marcação e , na saída do goleiro, acertou a trave, perdendo gol feito, que mataria o jogo.  Aos 45, Daniel Cruz no contragolpe entrou livre, mas dominou mal e perdeu outra chance.  Aos 49’, Matheus Teixeira salvou o empate, defendendo no rodapé uma falta cobrada da entrada da área.

  Enfim, o Bahia voltou a vencer pelo Baianão. 

  *

  Destaques

   O goleiro Matheus Teixeira mostrou qualidade, segurança. O miolo de zaga, sobretudo Gustavo Henrique, mais Pablo e o meia Bruno Camilo.

  No Atlético, Dionísio.  E a boa postura tática, coletiva da equipe.

*

Escalações

O Bahia de Claudinho Prates: Matheus Teixeira, Renan Guedes, Gustavo Henrique, Ignácio e Felipinho; Raniele, Bruno Camilo e Pablo; Daniel Penha, Marcelo e Fabrício. (entraram ainda Daniel Cruz, Jeremias, Luis Felipe, Caio Melo e Chrystian)

 - O Atlético / o Carcará de Alagoinhas de Ze Carijé : Fabio, Paulinho, Iran, Bremer e Edson; Willian, Dionísio e Filipinho; Ronan, Renato e Vitinho.( entraram Reinaldo, Emerson, Jerry e Maílson)

 Arbitragem de Marielson Alves Silva. O pênalti que ele marcou é uma vergonha. No mais, usou critérios diferentes na aplicação de cartões amarelos. Fraco.  

**