segunda-feira, 30 de novembro de 2020
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BRASIL VENCE VENEZUELA NO MORUMBI E LIDERA A ELIMINATÓRIA À COPA

ZédeJesusBarrêto comenta Brasil 1x0 Venezuela
14/11/2020 às 10:15
  Sem brilho, mas com superioridade técnica flagrante, a Seleção Brasileira venceu a fraca Venezuela, no Morumbi, por um placar magro, 1 x 0, suficiente para disparar na liderança das Eliminatórias Sul-americanas de Copa de 2022 no Catar, com 100 por cento de aproveitamento nas três rodadas até agora disputadas. 

  Foi um joguinho duro de ver, com os Venezuelanos (zero pontos ganhos) inteiros na defensiva e uma equipe brasileira a tocar bola pra lá e pra cá, sem penetração e nenhuma criatividade.  Valeu pelo resultado, pelos pontos ganhos, pela manutenção da invencibilidade na competição.  No mais, nenhum encanto, atuação opaca.  Neymar, sobretudo, e Casemiro fazem falta, sim.  
**
Bola rolando

Os vizinhos do norte começaram à toda, marcando em cima e com força, determinação, procurando ao máximo dificultar as ações brasileiras, na base da troca de passes.

- Aos 6 minutos, Richarlison finalizou em gol, mas o auxiliar levantou a bandeira e o VAR pescou alguma irregularidade não explícita; gol anulado. Arbitragem paraguaia enrolada. 

 Uma equipe jogava ou tentava jogar, à frente, e a outra só brigando, pegando, defendendo-se, atrapalhando. Já 25 minutos, o time canarinho tinha a bola, tramava mas não penetrava, não chutou, a despeito de jogar com três centroavantes de origem, na frente.  Não seria um jogo típico para usar dois ponteiros abertos, velozes, dribladores? Só com jogadas de linha de fundo seria possível abrir a retranca dos venezuelanos.  

 - Aos 28’, Firmino tentou de fora, rasteiro, o goleiro espalmou. Aos 32’, Lodi cruzou forte da esquerda, descaindo na pequena área, Gabriel Jesus pegou mal na bola ao tentar finalizar, Richarlison atirou-se na sobra mas não alcançou a bola; foi a jogada mais aguda do time da casa, até então. No mais, bolas alçadas, outro gol anulado - esse por falta de Richarlison na disputa pelo alto com a zaga - e ... nada aconteceu na modorrenta primeira etapa. O estilo bur(r)ocrático e previsível de Tite facilita a marcação do adversário. 
 *
  No vestiário, Tite trocou o apoiador Douglas Luiz pelo meia Paquetá. Manutenção apenas, nada mudou no jeito de jogar da equipe, ainda embolada pelo meio, sem infiltrações. Aos 8’, Paquetá alçou na área, atacantes e defensores trombaram e o VAR acionou o árbitro, que nada viu de anormal, bola que segue...  jogo murrinha.

  Depois de 20 minutos de improdutividade, Tite decidiu lançar Pedro e Cebolinha. E, enquanto eles aqueciam ...  

 - Gol ! 1 x 0 Brasil. Alan lançou Éverton Ribeiro, aprofundado na direita, saiu o cruzamento de fundo para o lado oposto, Gabriel e Lodi brigaram pelo alto e a bola sobrou limpa na pequena área para Firmino empurrar para as redes.  Com o gol, Tite segurou as substituições, satisfeito, até os 30’: Daí, saíram Richarlison e Gabriel; Pedro e Cebolinha em ação.

  O tempo passando, e o Brasil acomodado, amarrado. Os venezuelanos, mesmo nervosos e acuados, chegaram a assustar no final, na vontade, aproveitando-se de trapalhadas defensivas e displicências brasileiras.  Mas prevaleceu o placar, 1 x 0, enfim justo. 
*
  Escalações 

- Brasil : Éderson, Danilo, Thiago Silva, Marquinhos, Lodi; Allan, Douglas Luiz (Paquetá) e Everton Ribeiro; Gabriel Jesus, Firmino e Richarlison. Técnico, Tite. Não faltam uns negões nesse time? 

 - Venezuela : O treinador português José Peseiro escalou uma equipe ofensiva. Os atletas mais conhecidos são Soteldo, do Santos, Savarino, do Atlético-MG e Otero, do Corinthians; Soteldo apenas entrou como titular, formando o ataque ao lado de Machís, que atua no futebol espanhol.  e Rondón, que joga na China. Assim entrou em campo, com o belo uniforme vinho tinto:
 - Fariñez, Feltscher, Àngel, Osorio e Rosales (Gonzalez); Rincón, Moreno e Cáceres; Machis, Rondón e Soteldo (Otero). 

Arbitragem do paraguaio Juan Benitez, confuso, enrolado.   
** 
  Na terça-feira o Brasil encara o Uruguai, em Montevidéu. Outro papo. Os Uruguaios, com Cavani e Suarez, enfiaram 3 x 0 na Colômbia, em Bogotá. Vamos ter de jogar muito mais, com outra postura. 
**
Resultados e classificação

- Argentina 1 x 1 Paraguai; Bolívia 2 x 3 Equador; Colômbia 0 x 3 Uruguai; Chile 2 x 0 Peru. 
Com esses resultados, a classificação está assim, após três rodadas:

 - Brasil (9 pontos), Argentina (7), Equador e Uruguai (6), Paraguai (5), Colômbia e Chile (4), Peru (1), Venezuela e Bolívia (zero pontos ganhos).
*
  Covid pegou Pepe

  O ídolo e ex-ponteiro esquerdo Pepe (Jose Macia), do Santos e seleção, 85 anos, foi internado com Covid, nessa sexta. Pepe é o segundo maior artilheiro da história do glorioso time da Vila Belmiro, só atrás de Pelé, seu companheiro de ataque nos tempos mais gloriosos da equipe –  Pelé e Pepe eram próximos em campo e fora dele. Foi reserva de Zagalo nas Copas de 58 e 62; era veloz, técnico, e tinha um chute potentíssimo. Quando deixou de jogar foi treinador, dos bons, durante um tempo.  Torcemos por ele, jogador e cidadão exemplar.