sexta-feira, 25 de setembro de 2020
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAHIA PERDE A 1ª E VIROU FREGUÊS DO VOZÃO

Bahia está virando freguês do Ceará
23/08/2020 às 19:07

  Gols de cabeça, raça, dando pau, ganhando as divididas, correndo mais e jogando com apetite, mais uma vez, o Ceará supera o Bahia – 2 x 0 em Fortaleza, no Castelão. Virou freguesia. Há seis jogos o Tricolor baiano não ganha do Vozão.  Guto ‘Gordiola’ Ferreira 3 x 0 Roger Machado. O ‘time de seminaristas’ de Roger parece temer o jogo duro do Ceará, se apequena, perde as divididas, pipoca, tira o pezinho e o Vozão já conhece, vai pra cima, se impõe, marca. Os números não mentem: o Ceará cometeu 20 faltas na partida, os ‘bem comportados’ baianos apenas sete.

 

  O Ceará obteve a sua primeira vitória e o Bahia foi derrotado pela primeira vez na competição. O Tricolor continua com 7 pontos e se afasta mais do grupo dos quatro primeiros – o Inter lidera, com 12 -, a despeito de ter uma partida a menos (o primeiro jogo, contra o Botafogo, não aconteceu).

  Pior, agora, o Bahia encara três confrontos dificílimos: em casa, contra Palmeiras (dia 29) e Flamengo (dia 3 de setembro) e fora contra o Internacional, dia 6 de setembro/Porto Alegre. Só pedreiras.  

    **

  Bola Rolando

  Trocando passes, valorizando a posse de bola, o Bahia até começou bem chegando fácil nas proximidades da área adversária. O Vozão fechadinho, brigando, chegando junto, espichando bolas longas para velocidade dos atacantes nas costas da zaga baiana e valendo-se das bolas altas, cruzamento sobre a área. Como o Tricolor não chutava...

 - Aos 11 minutos o gol saiu, naquela jogada manjada por todos. Bola alçada, cabeçada para a linha da pequena área, o grandão Cleber (baiano, cria da base do Vitória) subiu sozinho e testou pra baixo, Anderson aceitou. 1 x 0, tudo o que o Ceará queria para fazer o que mais gosta e sabe: defender-se inteiro, mascar, travar os contragolpes, ganhar tempo, irritar o adversário, marcar duro, ganhar as divididas, os rebotes e o jogo.

 Os tricolores foram para o ataque, tramaram , mas o único chute foi de Rodirguinho, por cima. Uma primeira etapa truncada e com muitos passes errados.

*

  O segundo tempo não foi diferente. O Vovô atrás, esperando o Bahia boiar e errar para matar o jogo. Rodriguinho, Zeca tentaram, apareceu o bom e experiente goleiro Prass. Troca-troca de jogadores, o Bahia todo na frente...  cansou. O Ceará então, botou correria, solto, melhor fisicamente, alçando bolas, assustando. Aos 29’, Sobral enfiou uma bola certeira nas costas de Nino e Ernando que não alcançaram o enxuto Mateus, que acabara de entrar; o avante encarou Anderson, driblou e ampliou, fechando o caixão Tricolor. 2 x 0.

 Deu tempos de Prass praticar duas boas defesas, garantindo o placar e de Sobis acertar a trave de Ânderson, a defensiva baiana batida.

*

 Destaques

 No Vozão, o goleiro Prass, seguro; o miolo de zaga, com Luis Otávio e Gabriel Lacerda, soberanos; Fabinho, William, Vinícius se impuseram no meio campo; Sobral correu como nunca e os goleadores Cleber (três gols em cima do Bahia, já) e Mateus, definiram. Parabéns a Guto, show de estratégia em cima de Roger Machado, mais uma vez.

 No Bahia, Ronaldo e Rossi brigaram. Os outros tiraram o pé, correram do pau.