quinta-feira, 13 de agosto de 2020
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAHIA E VITÓRIA SE DÃO MAL NO RETORNO DO BAIANÃO, ZÉDEJESUSBARRÊTO

No sábado tem rodada inteira do Nordestão, quarta-de-final, com a dupla Ba Vi na fita. Antes do Baianão no domingo
23/07/2020 às 19:41
 
 Com um mistão mal arrumado pelo treinador Roger Machado, o Tricolor, apático, levou 1 x 0 do Atlético de Alagoinhas, em Pituaçu, e a uma rodada do final da fase classificatória perdeu a invencibilidade na competição e a liderança. O Rubro-negro, no Barradão, só conseguiu arrancar um empate, que ainda lhe deixa com alguma esperança de classificar-se para a fase seguinte do Campeonato Baiano, no último lance da partida: 1 x 1 salvador, com um gol quase que milagroso do meia Jean, no instante em que o árbitro respirava para soprar o apito acabando o jogo. 

  Nessa tarde decepcionante para as duas maiores torcidas do Estado, pior para o Vitória, que vai para a rodada final, no domingo, na sexta colocação, precisando vencer a todo custo o Doce Mel, fora de casa, e torcer para que alguns dos concorrentes que estão à sua frente tropecem.  Delicado e preocupante, até pelo fraco futebol que o Leão mostrou em campo. 

   E teremos uma rodada final, domingo, cheia de emoções. Apetitosa. Jogos decisivos. 
**
  Classificação atual

  Para que o torcedor entenda, eis os resultados dessa quinta, a penúltima rodada da fase de classificação:

  - Vitória 1 x 1 Bahia de Feira; Atlético de Alagoinhas 1 x 0 Bahia; Jacuipense 2 x 1 Fluminense de Feira; Juazeirense 3 x 0 Vitória da Conquista; Doce Mel 4 x 0 Jacobina (já rebaixado para a Série B do Baianão 2021). 

   Com esses resultados, ficou assim a pontuação para a rodada final de domingo, que define os quatro melhores , aqueles que seguem na disputa do título:

 - Jacuipense é o líder, com 15 pontos ganhos e um saldo de gols superior ao do Bahia, que é o segundo colocado com o mesmo número de pontos. Em 3º lugar está o Atlético de Alagoinhas, que chegou a 14 pontos; em 4º o Juazeirense, com 13.  Esses seriam os classificados, agora. 

   Ainda correm atrás, o Bahia de Feira, em 5º lugar, com 12 pontos e o Vitória, em 6º, com os mesmos pontos do time feirense, que tem um melhor saldo de gols. O Fluminense tem apenas 9 pontos, praticamente fora. Vitória da Conquista e Doce Mel com 7 pontos, nada mais almejam. E o Jacobina caiu, só fez um ponto até aqui; foi a campo nessa quinta com uma equipe arranjada de última hora, sem um treino sequer. 
 **
 Os confrontos 

  Será uma tarde quente de domingo, chova ou faça sol. Alguns jogos valem como decisão:
  - Bahia x Fluminense de Feira; Doce Mel x Vitória; Bahia de Feira x Juazeirense; Jacuipense x Atlético de Alagoinhas; Vitória da Conquista x Jacobina (esse nada mais vale, só para cumprir a tabela). 
  **
 Carcará bicou em Pituaçu 

  O Atlético, Carcará do Sertão, se deu bem em cima do líder Bahia, com um gol de cabeça do veteraníssimo Magno Alves, 44 anos, o Magnata, escorando um escanteio cobrado da direita; a bola raspou em alguém na primeira trave, encobriu a zaga e descaiu na pequena área do lado oposto, na cabeça do velho artilheiro. 1 x 0, o suficiente, e nada mais. O time de Alagoinhas fechou-se e soube se defender com bravura contra um Bahia desarrumado e sem brilho. 

  Roger escalou um arrumadinho com alguns titulares, reservas e garotos que subiram do Sub-23, desentrosados e jogando em ritmo de treino, trocando passes laterais e pouco incisivo na frente. Mesmo assim, as duas melhores chances foram do Tricolor: um chute de Marco Antonio que acertou o rodapé do poste direito do goleiro já batido, aos 30 minutos; e um pênalti, já aos 44 min, sofrido pelo mesmo Marco Antonio que Zeca bateu sem força e o goleiro Fábio, espertamente adiantado, espalmou.

  A equipe de Roger voltou do vestiário na mesma pachorra, e o Carcará foi pra cima, entrou aceso. Achou o gol na cobrança de um escanteio, logo no começo, e suportou bem a pressão até o final. Parabéns ao time bem treinado pelo Barbosinha, que sempre prega peças com artimanhas táticas, sabe bem o que faz. 
**  
 Quase queda no Barradão

  O Leão, também com uma equipe desentrosada,  perdia para o Bahia de Feira até os segundos finais e uma derrota, àquela altura, significaria que o Rubro-negro estaria dando adeus ao Baianão de forma antecipada e melancólica. Mas ...  o gol de Jean, pegando de primeira, na frente da pequena área, desmarcado, um cruzamento rasante, da direita, ainda dá esperança. Foi um empate com sabor de salvação, 1 x 1. 

  O jogo foi corrido e equilibrado. O time de Feira mostrou um melhor futebol coletivo, mais bem treinado, controlando melhor o meio campo. O Leão, na garra, na vontade, explorando a velocidade de Negueba, lampejos de Mateuzinho, correria pelos lados do gramado.  O Tricolor do interior começou lacrando, mas o Vitória equilibrou e terminou o primeiro tempo atacando mais.

  Assim, precisando do triunfo, o Leão voltou pra segunda etapa buscando a todo custo a área adversária, bem postada. Aos 30’, levou o gol, numa bola alçada, a defesa vacilou e Marcley, que tinha acabado de entrar, cabeceou na trave e ainda alcançou o rebote para estufar as redes. Até o final foi um desespero, por pouco o time feirense não ampliou e...  na luta, veio o empate. 

Ufa !  Isso é o futebol, que tanta falta nos fazia. 
  *
  O Baianão pode não ser um primor de técnica, mas que tem emoção em campo... tem sim. 
**
   No sábado tem rodada inteira do Nordestão, quarta-de-final, com a dupla Ba Vi na fita. Antes do Baianão no domingo.