segunda-feira, 23 de setembro de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BRASILEIRÃO/SÉRIE A TRICOLORES EMPATAM NO MORUMBI.

Bahia poderia ter um melhor resultado pois o SP praticamente jogou com 10 jogadores
19/05/2019 às 10:46
 Uns podem comemorar o ponto ganho com o empate fora de casa contra um adversário bem qualificado, outros vão chiar porque o Bahia jogou uns 30 minutos com um atleta a mais em campo e não conseguiu fazer o gol. Mas foi um  bom jogo, equilibrado, com boas chances de lado a lado, as melhores do time baiano, sem dúvida. Um partida tática, bem disputada no meio campo, bola no chão. 

 Com o resultado, o  Bahia chega a sete pontos ganhos e ocupa a oitava posição. O São Paulo tem 11, entre os quatro primeiros.  Mas a rodada segue.   

*
São Paulo 0 x 0 Bahia, Morumbi, mei’dia de um sol brando, domingo maneiro na paulicéia, as arquibancadas com mais de 40mil presentes. Duelo de tricolores.
*
 Bola rolando

 A partida começou estudada e bem marcada  no meio campo muito povoado. Os donos da casa com a iniciativa, tem avantes rápidos. A equipe baiana fechadinha. 

Mas a primeira chance foi do Bahia, aos 6 minutos: Gregore puxou bem o contragolpe e Gilberto arriscou da entrada da área, rasteiro, e a bola passou a um palmo do poste.  O São Paulo respondeu aos 8min: Toró recebeu em profundidade nas costas de Ezequiel e bateu da quina da pequena área para ótima intervenção de Douglas. 
  Aos 12’, Luan entrou no lugar de Liziero, lesionado no tornozelo após entrada dura de Gregore. Jogo em ritmo morno. O tricolor paulista tem mais posse de bola, troca mais passes. 

  Aos 20’, após um erro de Élton, no meio campo, Antony arriscou de fora, a bola desviou em Lucas Fonseca e bateu no poste direito de Douglas, vencido. Aos 23’, o Bahia respondeu com chute rasante de Elber que  Élton, por pouco, não desviou na linha da pequena área. 

Aos 44’, outra chance: Gilberto segurou pela esquerda e cruzou rasante, por pouco Elton alcançaria mergulhando de cabeça na frente da pequena área. Aos 48, Artur infiltrou-se entre dois marcadores e caiu na área sampaulina pedindo pênalti; o árbitro disse não.  

  Nos primeiros 49 minutos o São Paulo teve mais a bola, tramou e atuou mais próximo da área adversária, porém o time baiano criou e assustou quando foi à frente. A estratégia de Roger, de fechar o meio campo, deu certo; a equipe suportou bem atrás e perigou na frente. 

*
 Segunda etapa, sol a pino. Cuca mexeu na equipe, trocou Pato pelo garoto Helinho. Mais velocidade na frente. Taticamente pôs Toró na direita e Antony na esquerda. Foi pra cima. O Bahia sem achar a bola nos primeiros minutos.  

  Aos 7, os baianos reclamaram de um pênalti em Élton, mas o árbitro ignorou, viu a trava apenas na bola. Os baianos fazendo muitas faltas nas proximidades de sua área, um perigo! Os meninos  da casa são lépidos, tentam incendiar, fazer pressão, buscam as jogadas individuais. O Bahia tenta quebrar o ritmo, nos chutões, e já não consegue então encaixar o contragolpe.

  Subsituições: Fernandão no lugar de Gilberto e Eric Ramires no de Douglas Augusto. No São Paulo, o veterano Nenê substitui Hernandes. Daí, Toró expulso após pisar o goleiro Douglas numa dividida e levar o segundo  cartão amarelo. Aos 27 min. 

  Aos 32’, Moisés cruzou da esquerba, baixo; Fernandão mergulhou livre mas não achou a bola. Com um a mais em campo, Roger acredita que pode e faz sua derradeira substituição: Rogério em lugar de Élber. 
   Aos  36’, boa arrancada de Artur pela direita, Ramires ajeitou e Fernandão tentou de voleio, nas mãos do goleiro. Pressão baiana, buscando os três pontos. Os paulistas agora se fecham, cautelosos. Aos 42’ Gregore arriscou de longe, forte e rasteiro, a bola queimou o poste de Volpi. Quase. Aos 42’, foi a vez de Artur tentar; uma bomba, assustou.

  O relógio foi aos 52 minutos e o gol não saiu.
*
*
Destaques
A boa disposição tática, coletiva do Bahia, o empenho de todos. O estreante Ezequiel não  mostrou algo que possa ganhar a posição de Nino. A zaga firme. Gregore, um monstro. Artur, esperto, Gilberto...
 No São Paulo, o menino Toró foi quem mais atormentou. 
*
Ficha Técnica
São Paulo – Tiago Volpi, Hudson, Walce, Bruno Alves e Reinaldo; Tchê-Tchê, Liziero, Hernandes  e Pato; Antony e Toró.   Treinador,  Cuca.
Bahia – Douglas, Ezequiel, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Élton, Gregore e D.Augusto; Artur, Gilberto e Elber.  Treinador, Roger Machado.
No apito, Daniel Nobre Bins (RS), sem complicar. 

*
Próximo jogo do Bahia será contra o mesmo São Paulo, no Morumbi, valendo pela Copa do Brasil. São dois confrontos, lá e cá; quem vencer continua na competição. Perdeu cai fora.
No dia 26, domingo, na Fonte Nova, Bahia x Fluminense (RJ), pela 6ª rodada da Série A.