quinta-feira, 18 de julho de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

COPA DO BRASIL: BAHIA ARRANCOU empate com CRB

O melhor do Bahia foi Élber. Ramires correu e Moisés (que nada jogou na primeira etapa) fez um bom segundo tempo.
02/04/2019 às 11:49
   Com um treinador interino no banco e no dia em que anunciou o nome de Roger Machado como o novo técnico da equipe, o Bahia conseguiu um bom empate contra o CRB das Alagoas, em Maceió, valendo pela Copa do Brasil. O Tricolor levou 1 x 0 na primeira etapa, arrastou-se em campo, mas melhorou na segunda etapa, quando empatou e poderia até ter vencido o jogo. Tem volta, na próxima terça, na Fonte Nova, decidindo quem continua na competição.   

*

  A jornada nas Alagoas

  CRB (Clube de Regatas Brasil) 1 X 0 Bahia, no Rei Pelé, em Maceió, noite nublada, chuvinha fina no começo, alguns vazios nas arquibancadas.

  Com a bola rolando, um CRB mais ativo, com mais apetite. O Tricolor cadenciando. Muita marcação e pouca correria.  Aos 11’, a primeira boa chance: troca de passes pela direita, Elber  foi ao fundo e rolou para trás; Gilberto  finalizou rasteiro mas o goleiro Edson fez  ótima defesa. O Bahia parecia melhor, tinha mais a bola, atacava, mas ...

  - Gol ! 1  x 0 CRB, Zé Carlos de pênalti, cometido por Moisés no veloz Barbio, puxando-o pelo braço, num contragolpe alagoano rápido pela direita.  Aos 21 minutos.

Aos 38’, Gilberto recebeu livre, em profundidade e, de cara com o goleiro, derrapou na hora da finalização perdendo a chance.

  Mesmo sem jogar bem, o Bahia chegou mais, porém saiu do primeiro tempo levando 1 x  0.  Alguns atletas abaixo do nível, como Lucas Fonseca, Moisés, Gilberto, Artur Caike. Sem pernas.  O melhor foi Èlber, correndo muito e criando as melhores jogadas.

*

Melhorou

  Com os mesmo jogadores, o Bahia voltou atacando, com Ramires e Élber tentando o gol, dando trabalho ao goleiro alagoano logo no começo da segunda etapa. Porém o CRB é perigoso quando tem a bola, com muita garra.  Aos 13, Élber bateu forte, da frente da meia lua mas o goleirão espalmou.  O CRB chegou aos 19, num chute de fora nas mãos  de Ânderson.

 Aos 20, troca de centroavantes: entraram Fernandão no Bahia e Victor Rangel no CRB. Nos lugares de Douglas Augusto e Zé Carlos.

 Caike bateu falta aos 21’ e chutou outra aos 22’, sem força, para defesas de Edson. Aos 26’, num contragolpe perigoso, a defesa baiana em desvantagem, o chute de Vitor Rangel assustou o goleiro Anderson, passou perto. Dois minutos depois, Élber ganhou de Mathis na velocidade mas o goleiro Edson abafou nos pés do atacante.

E a chuva caiu de com força. O Bahia mais aceso.

-  Gol ! 1x 1, Bahia.  O empate nos pés de Artur Caike, completando cruzamento forte de Moisés, dos fundos, da esquerda.  Pegou de prima, no chão.  Aos 32 minutos.

 Aos 35’, saiu Éric Ramires, que correu muito, e entrou Flávio, descansado, recompondo a marcação no meio campo.  Os donos da casa foram pra cima.  O Tricolor  parecia satisfeito com o empate. Aos 44’, numa bola espirrada, Artur Caike ficou de frente, encheu o pé, mas cobriu a trave.

 Deu empate, justo. Não de todo mal para o Tricolor, que vai precisar apenas vencer em casa. Se der outro empate a decisão sairá na cobrança de pênaltis.

*

Destaques

O melhor do Bahia foi Élber. Ramires correu e Moisés (que nada jogou na primeira etapa) fez um bom segundo tempo.

No CRB, o goleiro Édson, o meia Felipe Menezes, os ponteiros Mailson e Bárbio, velozes, deram trabalho.  

*

  Ficha Técnica :

                             CRB – Edson, Junior, Edson Henrique, Guilherme Mathis e Igor; Claudinei (Mateus Silva), Lucas e Felipe Menezes; Ferrugem; William Barbio, Ze Carlos e Mailson. Treinador, Roberto Fernandes. Todo de vermelho.

                             Bahia (escalado pelo treinador auxiliar Cláudio Prates) - Ânderson, Nino, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Elton, Douglas Augusto (Fernandão), Ramires (Flávio); Élber, Gilberto (Nilton) e Artur Caíke.  Todo de azul.

No apito, Marcelo de Lima Henriques, carioca, tranquilão.

**

  Novo “professor”

  A mídia já dá como certa a contratação do gaúcho Roger Machado, 43 anos, como novo treinador do Bahia, substituindo Ênderson Moreira, desligado depois da desclassificação da equipe na Copa do Nordeste, semana passada.

 Roger foi lateral esquerdo do Grêmio. Era um atleta dinâmico, de boa técnica, e que não  gostava de perder. Treinou o Novo Hamburgo, o Juventude e o Grêmio no Rio Grande do Sul, com destaque. Depois, passou pelo Atlético Mineiro e Palmeiras. Estava há cerca de um ano desempregado.

  Ele assume o plantel tricolor ainda esta semana e traz com ele o auxiliar Paulo Ribas, o analista Jussan e o preparador físico Paulo Paixão, que já esteve trabalhando na Seleção Brasileira.  

  É um treinador de ideias modernas,  monta times competitivos e que atuam em bloco, trocando passes, priorizando a força coletiva.  Que tenha êxito.

 

**

 Assombração maranhense

 O Sampaio Correa (MA) foi um calo maligno para o treinador Ênderson Moreira. Quando aqui chegou, no ano passado, logo perdeu o título do Nordestão exatamente para o Tubarão de São Luis em dois jogos absurdos: uma derrota de 1 x 0, gude preso, no Maranhão e um empate de zero na Fonte Nova, que quase mata  o torcedor, os maranhenses fazendo a festa e levando a Taça, jogando na retranca, na manha, por uma bola. Ênderson sofreu críticas, mas, recém-chegado, segurou a onda e recuperou-se.

  Na semana passada, lá no Castelão, novamente um a zero para o tinhoso e sortudo Sampaio, com um gol inacreditável, um chute da intermediária adversária que encobriu o goleiro Ânderson. Para todos, um belíssimo gol. Diria Nelson Rodrigues: ‘Coisas do Sobrenatural de Almeida’. Para os baianos, uma ‘cagada da porra, véi!”.

 Bem, cagada ou não, aquela assombração derrubou o treinador Ênderson, que saiu do Bahia sem ter conseguido vencer o Sampaio Corrêa, o lanterna da competição. Só venceu um jogo: exatamente esse para o Tricolor. E a derrota, jogando bola murcha, tirou o Tricolor das decisões do Nordestão. Cairam o Bahia e o treinador. A bola não perdoa.

**

Finais do Baianão

 Uma final de Campeonato Baiano inédita: Ba x Ba .  Bahia da Capital x Bahia de Feira.  A  decisão em dois jogos. O primeiro no dia 14, no Joia da Princesa, em Feira. O jogo da Taça acontece em 21 de abril, na Fonte Nova.

*

Nordestão/Quartas de Final

Fortaleza x Vitória, jogo único, decisivo, será segunda-feira próxima, às 21h30, no Ceará.

As outras partidas decisivas:

No sábado, 18h30 – Ceará x Naútico,  em Fortaleza.  Às 20h , Santa Cruz x CRB, no Recife.

No domingo ,18h, Botafogo (PB) x CSA, em João Pessoa.