quarta-feira, 14 de novembro de 2018
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAHIA VENCEU O JOGO MAS O FURACÃO CLASSIFICOU

No tempo normal Atlético PR 0x1 Bahia
01/11/2018 às 10:33

  O jogo foi 1 x 0 para o Bahia, mas o Atlético do Paraná é que vai para as semifinais da  Copa Sul-Americana, classificando-se nos pênaltis, na Arena da Baixada, com um público apenas razoável, de 21mil pagantes nas arquibancadas. Para o Tricolor, o consolo do triunfo e de ter quebrado a invencibilidade de 13 jogos da equipe paranaense em casa, jogando coletivamente bem.  

 Assim, teremos um confronto brasileiro em uma das semifinais da Sulamericana. Atlético (PR) encara o Fluminense, que venceu o Nacional do Uruguai, em Montevidéu, 1 x 0. No Rio, houve empate, 1 x 1.   

 

**

O Tricolor com um meio-campo diferente, em função do desgaste físico de alguns atletas e, quiçá, de uma estratégia de jogo pensada pelo treinador Ênderson Moreira – Flávio, Élton, Nilton ...  Grolli de volta à zaga e Brumado de centroavante. Novidades.

Arbitragem venezuelana.

*

 Bola rolando

 Mal a criança se mexeu, o furacão rubro-negro paranaense, em casa, foi pra cima. A equipe baiana, toda de branco, fazendo uma marcação alta, o campo inteiro, ousado. Propostas ofensivas. Jogo aberto e pegado. Dinâmica alta, correria.

 - Aos 16’, Brumado finalizou e fez o gol, anulado pela arbitragem. O bandeira teria marcado falta na disputa de bola entre Zé Rafael e um defensor atleticano (nada!); a bola espirrou para Brumado.   Mais um gol do Tricolor anulado nesse duelo contra o ‘furacão’.  Não vale gol baiano contra eles?

  Aos 33’, o meia Leo Pereira bateu uma falta esquinada da direita, rasteira, e a bola passou a palmos do poste de Douglas.  Susto !  O Tricolor respondeu aos 37’, num chute enviesado e forte de Leo para defesa de Santos. Aos 40’, o ‘furacão’ engrenou um ótimo contragolpe e por pouco não abriu o placar, não conseguiu finalizar, a defesa abafou. O Bahia respondeu no ataque.

 - Gol !  1 x 0 Bahia. Esse valeu ! Grolli, completando na pequena área a bola espirrada após a disputa pelo alto de um lateral cobrado por Leo, da esquerda. Já nos acréscimos dados pelo árbitro.

  Uma boa primeira etapa, acesa.  Muito equilíbrio. O Tricolor foi mais feliz com um gol na final.

*

  A segunda etapa começou na mesma dinâmica. O Furacão na pressão e o Bahia respondendo  bem.  O torcedor inquieto, cobrando. Os atleticanos insistindo nas bolas alçadas sobre a pequena área tricolor. O tempo passando a pressão dos donos da casa aumentando. Aos 21’, Cirino fez a parede e o artilheiro Pablo disparou da meia lua, muito alto.

  Aos 22’, saiu Brumado, que brigou muito, entrou Edigar Junio.  Aos 35’, saiu Elton, no bagaço, correu muito, entrou Gregore.  Jogo elétrico, nervoso, passes errados, chutões e muitas faltas. O Bahia bem postado, segurando bem. Aos 42’, Vinícius entrou no lugar de Élber.

  E o Bahia venceu o jogo, devolveu o resultado da Fonte Nova, e quebrou uma invencibilidade de 13 jogos do Furacão jogando na sua casa, a Arena da Baixada.  E a decisão foi para a cobrança de tiros livres diretos da marca do pênalti.   

 *

  As penalidades

  Deu Atlético, que converteu quatro penalidade cobradas. Pelo Bahia, Vinícius e Zé Rafael desperdiçaram. Um parou no goleiro Santos, e o Zé Rafael bateu nas nuvens.

*

Destaques

 Segura partida do goleiro Douglas. Bem os laterais Leo e Nino. Estupenda atuação de Grolli, ao lado de Lucas Fonseca.  Nilton comandou o meio campo.

 No Atlético, o guerreiro Lucho e o bom centroavante Pablo, perigoso.  

*

  Na sequência

  Pela 32ª rodada do Brasileirão, domingo, 19 h, na Fonte Nova :  Bahia x Chapecoense. A Chape tem sido uma encrenca na vida do Tricolor. Chegou a hora de vence-la e bem.

  No  mesmo domingo, pela mesma rodada, o Vitória encara o lanterna Paraná, em Curitiba, um pouco mais cedo, às   17h.  Boa sorte.

 

**

 Libertadores da América    

Duelo  de argentinos na final da principal competição do continente.  O River Plate surpreendeu o Grêmio em Porto Alegre, na noite de terça-feira, vencendo-o por 2 x 1 e se classificando para disputar o título com o  Boca Juniors, que empatou com o Palmeiras em São Paulo ( 2 x 2 ) e caiu fora. O  Boca venceu, 2 x 0, em La Bombonera.