segunda-feira, 21 de outubro de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAHIA passa sufoco mas vence Botafogo 2x1

No domingo, o Vitória enfrenta o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro
21/09/2018 às 12:00
Foi uma disputa renhida, até o último minuto, mas foi também uma partida tecnicamente pobre. O Bahia fez um gol logo no começo e o Botafogo foi pra cima, até acertando a trave do goleiro Douglas duas vezes.  O  Tricolor fez 2 x 0 no começo da segunda etapa mas deu mole, sofreu um gol e muita pressão até o final. Para complicar mais, o lateral Leo foi expulso por volta dos 30 minutos.

  Ganhar foi importante, mas o gol feito pelo Botafogo, fora de casa, põe a equipe carioca praticamente em igualdade de condições para a partida de volta, no  Rio; basta fazer 1 x 0.   

*

  Pelo aproveitamento no campeonato brasileiro, em princípio, duas equipes parelhas. Ambas com 29 pontos, na segunda página da tabela de classificação da competição em 13/14ºs lugares. Desfalques nas duas equipes  em campo. No Bahia, de última hora, a ausência do artilheiro Gilberto com problemas musculares.  

*

 Bola rolando

 O Tricolor entrou ligado, tentando se impor, tomando as iniciativas dentro de casa, perante sua torcida. Daí ...  

 - Gol ! 1x 0 , Ramires, aos 4 minutos. O primeiro gol do garoto de 18 anos como  profissional, pegando firme de canhota e de primeira uma sobra dentro da área, após rebatida em falso da zaga carioca.

  Aos 20, o Botafogo ameaçou pela primeira vez, após cobrança de escanteio; Douglas espalmou. O time carioca foi pra cima, disputando forte as divididas no meio campo e forçando no ataque, ameaçando sempre em cobranças de escanteio, as bolas alçadas. O Bahia explorando mais o lado direito, com as subidas de Nino Paraíba.

   Aos 33 min Nino teve a chance de ampliar, livre, de frente, na grande área, mas pegou mal na bola, o chute saiu torto.  Aos 34’, Edigar Junior arriscou da meia lua e errou o alvo.  Aos 38’, após cruzamento de Leo, Clayton testou no canto para ótima intervenção de Diego, espalmando.

  O Botafogo respondeu com duas bolas na trave, em falhas defensivas do Tricolor, saídas de bola erradas e cochiladas: uma de Brenner aos 39’ e outra de Pimpão, tirando casca no travessão, aos 41’. Ufa!

  Partida disputada com muita vontade, até rispidez, sobretudo pelos cariocas, mas com pouca técnica; faltas em demasia e passes errados. O Bahia mais arrumado, pondo mais a bola no chão; o Botafogo na garra, na pressão. Foi assim o primeiro tempo.

*

 Nos vestiários, Ênderson Moreira promoveu uma mudança no meio campo: tirou o apagado Zé Rafael e colocou Vinícius. O time da estrela solitária voltou com uma postura ainda mais  ofensiva, fazendo a marcação avançada, pressionando a saída de bola no campo adversário. Aos 6’,  numa cobrança de escanteio, fechada, Grolli perdeu boa chance, atrapalhando-se com a bola na pequena área botafoguense. É lá e cá.

 Aos 9’, Luis Fernando cobrou falta esquinada obrigando a espalmada de Douglas. Pressão dos cariocas, um bombardeio: Lucas Fonseca salvou em cima da linha, com Douglas batido, aos 10’. Gregore respondeu com um chute de longe, aos 12’, para defesa de Diego.

- Gol ! 2 x 0, Clayton, aos 15 min, escorado de raspão na linha lateral da pequena área um escanteio fechado cobrado por Vinícius, da esquerda.  O primeiro gol de Clayton com a camisa tricolor.

  Não deu tempo nem de comemorar direito...

- Gol ! 2 x 1 , Pimpão, aos 17’, aproveitando-se de um rebote infantil de Douglas, livre. O goleiro rebateu para frente, no chão, uma bola fácil.  

 Aos 20’, Ênderson Moreira colocou Brumado no lugar de Clayton, exausto e sem ritmo de jogo.  Aos 22’, bochecha cabeceou livre, na frente da pequena área, para grande defesa de Douglas, salvando o empate.  Aos 27’ , o Bahia todo na frente, bola perdida, e o contragolpe mortal em velocidade... Douglas salvou a finalização da meia lua.

O Botafogo mais inteiro, mais perigoso.  Aos 30’, o árbitro expulsou o lateral Leo do Bahia, que, na corrida, deixou a mão no rosto do meia Luis Fernando. 

O Bahia com um atleta a menos em campo e a equipe carioca em cima, querendo o empate. O treinador Ze Ricardo tirou o apoiador Jean e lançou mais um atacante, Aguirre. No Tricolor, saiu Lucas Fonseca, aos pedaços, entrou Éverson, na zaga.

  O jogo ficou mais trabalhado, menos pegado, e complicado para o Tricolor, com um atleta a menos em campo, tentando suportar a pressão e manter o placar favorável. A torcida tensa nas arquibancadas.  Aos 45’, Vinícius tabelou com Brumado e foi derrubado quase em cima da linha da grande área, pelo meio. Vinícius bateu colocado mas a bola cobriu a trave, por pouco.

  O Botafogo foi melhor na segunda etapa, criou mais. Valeu pelo resultado, até porque o Bahia jogou 20 minutos com um atleta a menos.   Tem volta, no Rio, decidindo a vaga para as semifinais da Sul-americana.       

 *

Destaques

- Nino e Ramires no primeiro tempo. Gregore um leão todo tempo. Douglas falhou no gol carioca, mas fez defesas importantes.

- Impressionante como os atletas do Botafogo ganharam todas as bolas alçadas na área baiana.  

- Lucas Fonseca, 200 jogos vestindo a camisa do Bahia. Homenageado pelo clube, antes da partida.

*

Ficha  Técnica

                       Bahia -  Douglas, Nino, Grolli, Lucas Fonseca (Éverson)e Leo; Gregore, Élton, Ramires e Ze Rafael (Vinícius); Clayton (Brumado) e Edigar Junio. Treinador, Ênderson Moreira.

                       Botafogo – Diego, L.  Ricardo, Marcelo, Rabello e Gilson; Lindoso, Jean (Aguirre) e Gustavo; Leo Valência (Luis Fernando), Brenner e Pimpão (Marcinho). Treinador, Zé Ricardo.

No apito, Piero Mazza (arbitragem chilena)

*

  O jogo de volta contra o Botafogo, no Rio, acontece no dia 3 de outubro, uma quarta, 21h45, no estádio Nilton Santos.

  Na próxima segunda-feira à noite o Tricolor enfrenta o  Vasco da Gama, em São Januário (RJ), pelo Brasileirão.

*

  O jogo do Vitória contra o Botafogo (RJ) pelo Brasileirão será no próximo domingo, à noite, no Barradão.    

**

  PS: - Viram a presepada e o chororô do CR-7 expulso no jogo pela Liga dos Campeões, esta semana ?  Imaginem se fosse o Neymar, hein ?