segunda-feira, 21 de outubro de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

SEGUE urucubaca do Vitória e Bahia empata com FLU

O Bahia faz uma campanha melhor, mas, ainda está ameaçado de cair. Precisa vencer.
29/10/2017 às 19:52
A urucubaca no Barradão continua. O Leão não consegue vencer em casa. Dessa vez, desperdiçando mais um pênalti (Tréllez bateu e o goleiro pegou) ainda conseguiu arrancar um empate contra o lanterna Atlético de Goiás (1 x 1), mas, pouco inspirado, só arrancou vaias do torcedor no final, inconformado. 

  Com o resultado, muito ruim, a equipe caiu agora para a 18ª posição, zona de rebaixamento, apenas 34 pontos ganhos.  Tá ficando cada dia mais difícil escapar.   
*
  O Bahia, no Rio, conseguiu um bom (?) empate (1 x 1) contra um Fluminense pressionado, precisando vencer para fugir mais da zona de rebaixamento, concorrente direto, o mesmo número de pontos; o tricolor baiano enfrentou ainda uma arbitragem claramente carioca e terminou a partida com um atleta a menos em campo, daí ...  
  
Valeu o pontinho ganho no campo adversário, somou 39 pontos ganhos, manteve-se em 13º lugar na tabela de classificação. 
*
  Pegou fogo
  
Outro resultado importante da rodada foi a derrota, mais uma, do líder Corínthians (1 x 0) em Campinas, caindo diante da Ponte Preta, a Macaca, e abrindo totalmente a decisão, pois está, agora, a apenas seis pontos do Palmeiras que joga na segunda-feira contra o Cruzeiro. Caso o Verdão vença, a diferença cai para três pontos e o próximo confronto, o clássico paulista Corínthians x Palmeiras acontecerá no próximo domingo.  Então, acredite, o Palmeiras vencendo esses seus dois jogos pode ser o líder da competição na segunda, desta a oito. Quem imaginava.  
*
 Na parte de baixo da tabela, o resultado mais surpreendente foi Coritiba 4 x 3 Sport. Sete gols, o Leão da Ilha estagnado no 15º lugar, com o mesmo número de pontos da Ponte Preta, a primeira da zona de degola. Alto risco para a equipe pernambucana, que jogou em casa e também perdeu pênaltis. No meio da semana, derrotada na Ilha pelo Barranquilla, valendo pela Copa Sulamericana, o Sport demitiu o posudo treinador Vanderlei Luxemburgo, em desgraça com os jogadores, torcedores e diretoria do clube. .   
**
  O ‘estranho’ Barradão

  Teve torcedor jogando sal grosso, dando banho de folha e de água benta essa semana no Barradão, a Toca do Leão. Mas de nada adiantou. O Leão anda estranhando a própria casa, e faz tempo.  

  O Leão começou atacando, tentando logo e a qualquer custo decidir o jogo, os nervos à flor da pele. Mas...  - Gol !  1 x 0 Atlético(GO). Aos 11’, quando o Vitória forçava na frente, houve o contragolpe do time de Goiás, a defesa rubro-negra parou na linha burra de impedimento, Valter dominou pela esquerda e rolou para o bico de Luis Fernando, de frente, abrindo o marcador. Chiadeira geral, querendo o impedimento.

  O time baiano teve mais a iniciativa, os goianos encolhidos e apostando no contragolpe, apenas. Mas, por pouco o gordinho Valter não ampliou. O Vitória sem imaginação, muita correria e pouca inspiração, criou muito pouco. Quando chegou, prevaleceu o goleirão Marcos, com duas providenciais intervenções. 
*
  O Atlético voltou dos vestiários com a clara preocupação de não tomar gols, garantir o ‘gude preso’ e, se o adversário desse um vacilo, ampliar num contragolpe.  Todos no campo defensivo e apenas Valter adiantado, segurando dois zagueiros rubro-negros. O Leão com a bola mas criando muito poucas chances de golear. O torcedor angustiado nas arquibancadas do Barradão. 

 A  primeira boa chance de gol aconteceu aos 19’; um chutaço de Uílian da intermediária, a bola tirou casquinha no rodapé do goleiro do Atlético.

- Gol!  1 x 1 – Aos 21 minutos, porém, Zé Wélisson, que entrara no intervalo, acertou um balaço do meio da rua, a meia altura, acertando o canto, decretando o empate. Ufa! Logo ele, Zé Wélisson, há seis meses afastado, voltando de lesão grave, e com um belo gol que evitou uma nova derrota. 

 Aos 25’, Andrigo acertou o travessão de Caíque, assustando a galera. Dois minutos depois, o árbitro (Luis Flávio de Oliveira) viu pênalti do defensor Breno no malandro Kieza. 

Tréllez bateu forte a penalidade, a meia altura, e o goleirão Marcos defendeu, espalmando a escanteio. Dá pra acreditar? 

  Aos 40’, Wallace tentou por cobertura, de fora, para grande e salvadora defesa de Marcos.  Muito nervosismo dos atletas baianos, muitos erros de passe, o torcedor pegando no pé e o tempo passando. Um final tenso, emocionante, perigoso para os dois lados. 
 Nada aconteceu e as vaias ecoaram.
*
  Destaques: 

  O goleiro Marcos, o melhor em campo; Valter, enquanto aguentou, Luis Fernando e Andrigo pelo time do Brasil central.
  Wallace, Zé Wélisson e Uíllian foram os melhores do Vitória. 
  
    
 
**
 No Maraca

 Rio de Janeiro, casa do Fluminense(RJ), ambas as  equipes na luta contra o rebaixamento.     

   Bola rolando: 
   A partida começou com o tricolor carioca dando as cartas, mas ...

  - Gol ! 1 x 0 Bahia, aos 2’32”, Edigar Júnior. A primeira vez que o Bahia ultrapassou a linha de meio campo, Zé Rafael puxou o contragolpe rompendo a zaga carioca pelo meio, servindo de bandeja, já na meia lua, para Edigar Junio que dominou e desviou de Cavalieri, abrindo o marcador.  

  - Aos 27’, aconteceu um pênalti claro de Gun em Hernane, o avante agarrado pelo pescoço e derrubado na área, mas o árbitro, caseiro, fez que não viu.

- Gol ! 1 x 1, Scarpa, aos 32’. Um bola tola cruzada da esquerda por Marlos, rasante, e falha incrível de Lucas Fonseca e Juninho, indecisos no lance, a bola passou limpa; Scarpa dominou, livrou-se de Matheus Reis e finalizou de frente, empatando, na primeira chance clara do time do Rio. 

Aos 43’, marcação frouxa pelo lado direito da zaga baiana, Marlos cruzou e Dourado, livre, testou forte para elástica defesa de Jean, evitando o desempate. Aos 45, Scarpa tentou de longe, para outra boa defesa de Jean. 
  Jogo bem equilibrado até o gol de empate do Flu, uma bobeira de marcação no miolo defensivo baiano. O time visitante sentiu, a equipe da casa cresceu e quase virou. Justo empate.
 *
  Nos vestiários, os treinadores mudaram. Carpegiani tirou o meia armador Regis e pôs o marcador Mateus Sales. Abel Braga trocou Marcos Jr por Wellington Silva, seis por meia dúzia. 

Aos dois minutos, Lucas Fonseca sentiu a coxa e foi substituído por Tiago  Martins. 

O Flu forçando nas bolas cruzadas, levando perigo. Aos 10’, Scarpa bateu falta perto da área para Jean espalmar. Aos 12’, Mateus Sales cruzou rasteiro e Hernane chegou um trisco atrasado na bola, perdendo a chance. Equilíbrio. 

 Aos 28’, Allione no lugar de Hernane. Tempo passando, jogo truncado e morno, arbitragem marcando tudo em favor do Fluminense... Faltas da defensiva carioca, não deu nenhuma. Um jogo cada vez mais arriscado, lá e cá. 

 Aos 40’, após um carrinho por trás, matando a jogada no campo adversário, Mateus Sales foi expulso. O time baiano com um a menos em campo.  Nada aconteceu a mais. Pelas circunstância, bom resultado fora de casa, um ponto a mais somado. 
*
   Destaques:
   Jean, Tiago, Ze Rafael e Edigar Junio, pelo Bahia.
   Marlos, Scapa e Dourado, no Flu.    
 *
Equipes escaladas:

Fluminense: Cavalieri, Lucas, Gun, Reginaldo e Marlos; Richard, Somosa, Douglas(Mateus) e Scarpa; Marcos Jr (Wellington Silva) e Dourado.    Técnico: Abel Braga.

 Bahia :  Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Mateus Reis; Renê Jr, Juninho, Ze Rafael e Regis (Mateus Sales); Edigar Junio e Hernane.   Técnico: PC Carpegiani. 

Árbitro Wilson Pereira Sampaio, de camisa grená, carioquíssimo. 
*
- O próximo compromisso do Bahia, já pela 32ª rodada, será no domingo, contra a Ponte Preta, na Fonte Nova. 
   Na mesma data, o Vitória joga em São Januário, Rio de Janeiro, contra o Vasco da Gama. 
**
Outros resultados: 
Ponte Preta 1 x 0  Corínthians ; Sport  3 x  4 Coritiba ; Atlético (MG) 0 x 0 Botafogo ; 
Avaí 1  x 2 Grêmio (em andamento).   Amanhã, Palmeiras x Cruzeiro, fechando a rodada.