quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

Edigar Junio matou a pau, PALMEIRAS 2x2 BAHIA

Bahia consegue pontinho precioso em São Paulo
12/10/2017 às 23:35

   Mesmo com o miolo da defesa falhando, mesmo com muitos erros de passe no meio campo, o Bahia fez um surpreendente segundo tempo e arrancou um empate importante contra o Palmeiras, em São Paulo e por muito pouco não venceu a partida. 

    Viu-se já o dedo e a visão estratégica do treinador Carpegiani, que pôs a equipe para jogar mais na frente, sem se intimidar, e de forma mais organizada. O empate chegou aos 41 minutos, na cobrança de um pênalti executada por Edigar Junio, autor de dois gols e destaque da equipe. 

  Com o resultado, tido como positivo, o Bahia  foi a 32 pontos, o mesmo número de pontos do Vitória, e está no 14º lugar.  O Palmeiras, com 44, está em quinto.  
*
  O palco do Palmeira 2 x 2 Bahia foi o Pacaembu, com bom público, dia da Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil, e dia das crianças. Ùltimo jogo, à noite, fechando a 27ª rodada do Brasileirão 2017.

**
 Bola rolando

 - Gol !  1 x 0 Palmeiras, 1’50”. Mal começou, antes dos 2 minutos, vacilo na saída de bola, pelota roubada, Deyverson cruzou da linha de fundo, William entrou carrinhando na pequena área, sem marcação, entrando de bola. Fácil.  
   Um Bahia perdido no começo, nervoso, a bola queimando, errando tudo, dando espaço no meio, a defesa aberta; e o Palmeiras voando, pegando duro, ganhando as divididas, disputando no campo inteiro, brigando, com fome de bola. Ritmos diferentes.

  O Tricolor teve sua primeira chance aos 18 minutos; bola trabalhada e Mendoza entrou livre, de cara com Prass, que saiu bem e evitou o empate. Aos 22’, após uma bola levantada e mal rebatida pela defensiva palmeirense, Vinícius encheu o pé para outra boa intervenção de Prass.  Ou seja, o Bahia, depois do susto, conseguiu equilibrar, entrou no jogo. Muita correria, marcação e passes errados de lado a lado.

  - Gol ! 2 x 0 Palmeiras, 38 minutos. O Verdão atacou em massa, trocando passes, bola ajeitada de peito na área e Bruno Henrique, novamente livre e pelo meio, finalizou de cara com Jean, ampliando. A zaga só espiou o vareio. 
  Aos 46’, o ataque tricolor entrou tabelando e Vinícius arriscou para ótima defesa de Prates. Na cobrança do escanteio ...
  - Gol ! 2 x 1 Bahia; escanteio cobrado e Edigar Junio desviou de cabeça, livre, na pequena área, diminuindo a diferença e recolocando o Bahia, vivo, na partida. 
  Justa vitória parcial do Verdão, porque errou menos, tem mais qualidade técnica individual em campo, coletivamente mais arrumado. O miolo de zaga baiano deu mole nos dois gols. 

*
  O Bahia voltou em cima, no ataque. Aos 5’, Zé Rafael costurou pela direita, fechou para o meio e bateu de canhota para defesa arrojada de Prass.  Sem predominâncias, muitas faltas e passes equivocados.
Aos 12 minutos Cuca trocou de centroavante: o artilheiro colombiano Borja entrou no lugar de Deyverson. Um jogo bem mais morno na segunda etapa, de igual para igual. 

 Aos 23’, em mais uma cochilada do miolo de zaga tricolor, Dudu entrou livre mas Jean saiu bem no chão e abafou nos pés do atacante, salvando o gol.  Logo depois, Carpegiani tirou o meia Vinícius e colocou o centroavante Rodrigão.  Aos 27’, Cuca promoveu o retorno do apoiador Felipe Melo, aplaudido pela galera, no lugar de Bruno Henrique.
  Aos 31’, Edigar junio teve a bola do empate; entrou pela direita e bateu seco para defesa parcial de Prass, mas a bola sobrou pererecando na pequena área e ninguém chegou a tempo. Aos 33’, Carpegiani tirou Zé Rafael e colocou Régis. O Tricolor buscando o empate. 
 Aos 34’, num bate-rebate, Becão, mesmo escorregando, tentou o gol, mas a bola cobriu o travessão. Aos 36’, novamente Prass salvou, num chutaço colocado de Juninho, da entrada da área. O Bahia melhor, chegando mais. 
  Aos 41’, num lançamento longo para Mendoza, dentro da área, Roger Guedes atropelou o jogador do Bahia e o árbitro não titubeou: Pênalti ! 
 - Gol ! 2 x 2 , Edigar Junio, de pênalti, no cantinho, empatando, aos 43 minutos.
 Aos 46’, Mendoz bateu de fora e quase surpreende Prass, deu escanteio. Aos 49, num contragolpe puxado por Rodrigão, Régis perdeu o gol da virada, de cara.  
  Valeu a garra, a organização da equipe, a estratégia do novo treinador. Bom resultado e poderia ser ainda melhor pelo melhor desempenho da equipe no segundo tempo. 
*
 Destaques:
 Grande jogo de Eduardo, bem Renê Jr, Juninho, Mendoza. O melhor do tricolor doi Edigar Junio. Fez dois gols e mostrou vontade, técnica, inteligência. 
 No Palmeiras, o goleiro Prass. Salvou.
 
 *   

Equipes escaladas:
Palmeiras – Prass, Tchê-Tchê, Dracena, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Moisés e Bruno Henrique (Felipe Melo); William (Roger Guedes), Deyverson (Borja) e Dudu. Treinador, Cuca.
Bahia – Jean, Eduardo, Becão, Lucas Fonseca e J Capixaba; Renê Jr e Juninho; Zé Rafael (Regis), Vinícius (Rodrigão), Mendoza e Edigar Junio. Treinador, Carpegiani.

*
  O Tricolor baiano volta a campo pela rodada 28, no domingo, às 19 horas, enfrentando o líder absoluto Corínthians, na Fonte Nova. Casa cheia?  Tem de encarar. Como dizia o mestre Evaristo, ‘quem tem medo de perder não ganha’.  É vencer ou vencer.  
*
Classificação

Terminada a 27ª rodada, eis como ficou a classificação geral: 
 1º, líder, o Corínthians, com 58 pontos ganhos; o Santos é o segundo com 48, 10 pontos de diferença.  Seguem Cruzeiro com 47, Grêmio com 46, Palmeiras com 44, Botafogo 43, Flamengo 40.

Atlético (MG) tem 37pontos, o Vasco com 36, Atlético (PR) 35, Sport 33, Vitória e Chapecoense têm 32 pontos; O Bahia está no 14º lugar também com 32 pontos, na frente de Ponte Preta e Fluminense que também estão com 32 pontos.  Na zona da degola, o São Paulo, com 31 pontos, o Avaí com 30, o Coritiba com 27 e Atlético(GO) na lanterna com 26.