quarta-feira, 23 de outubro de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

LEÃO morde o Coxa e deixa Z-4, Coritiba 0x1 Vitória

Depois de muitas rodadas na zona de rebaixamento o Vitória sai dela
29/08/2017 às 09:50
Leão morde Coxa 
e sai da zona 

Prevaleceu mais uma vez a estratégia defensiva e matreira do treinador Mancini e o Vitória venceu mais uma fora de casa. 

Triunfo importantíssimo (1 x 0 ), pra comemorar, porque, com os três pontos ganhos, o rubro-negro baiano saiu da famigerada Zona de Rebaixamento, agora com 25 pontos ganhos, em 16º lugar, e puxou pra baixo a Chapecoense.
Estão na zona, pois, o Atlético (PR), o lanterna, o Avai (SC), o São Paulo e a Chape. 
**
Retrato do ‘gude preso’

Coritiba 0 x 1 Vitória, Couro Pereira a meia boca, Curitiba/PR, noite de segunda, fria mas enxuta. 
O Vitória em 19º lugar, com 22 pontos. Coritiba em 15º com 26 pontos. Dois times na parte rasteira da tabela. O time paranaense ganhou o jogo no Barradão, 1 x 0. 

Escalações

Coritiba : - Wilson, Leo (Dodô), Marcio, Wallisson e William Mateus; João Paulo (Henrique Almeida), Alan Santos, Longuine e Iago Dias (Ânderson); Rildo e Alecsandro. Treinador, Marcelo Oliveira. 
Vitória : - F. Miguel, Caíque Sá, Kanu, Wallace e Juninho; Ramon, Uillian Correia, Yago; Neilton, Tréllez e David (Patric). Treinador, Mancini 
Arbitragem paulista, no apito Flávio Rodrigues de Souza. 

**
Bola que rola

Em casa, precisando vencer para sair da zona, o Coxa tomou a iniciativa, postado mais à frente. Pressionando. Chegou bem perto de abrir o placar aos 12 e 19 minutos, quando o árbitro anulou um gol coritibano, alegando impedimento. O Leão atrás, na moita, defendendo-se em bloco, quebrando todas e esperando o vacilo adversário para o bote veloz, sem pressa.

Muito corre-corre, disputas duras e nada acontecia, até que, já depois dos 40’, Rildo (lembra dele no rubro-negro ?) aprontou uma pelo lado esquerdo, dividiu na área com Ramon e o árbitro viu pênalti. A bola teria batido no braço do defensor, no carrinho. O meia Longuine, estreante, bateu (mal, telegrafado) e F. Miguel pegou bem. Aos 44’, Ramon, adiantado, fez boa jogada, limpou e chutou forte, cruzado, errando o alvo mas assustando. 

Foi tudo o que aconteceu no primeiro tempo, o torcedor ‘Coxa branca’ vaiando a atuação da equipe verde e branco na descida pra merenda nos vestiários.
*
Logo no começo da segunda etapa, após cobrança de escanteio, o ataque do Coxa ganhou no alto e a bola raspou o pé da trave de F Miguel. O Leão respondeu em duas chegadas boas, Wilson salvando o gol do rubro-negro. Por pouco. Aos 7’, Allan Santos tentou mas a bola parou nas mãos do goleiro F Miguel. 

Um jogo mais aberto, vais veloz, lá e cá na segunda etapa. As duas equipes buscando o gol. Melhor de ver, até pela intensidade, ritmo. Um Vitória bem mais ousado, então.

Por volta dos 20, mudanças dos dois lados. O apoiador Patric no lugar do avante David, mais marcação. O meia Ânderson substituindo Iago Dias, na equipe da casa. 

- Gol ! 1 x 0 Vitória, Kanu, aos 22’. Após um escanteio, a defesa coritibana deu mole, Wilson bateu roupa no chute de fora da área e Kanu, livre na pequena área só empurrou. 

Atrás no placar, Marcelo Oliveira trocou o apoiador João Paulo pelo atacante Henrique Almeida e foi pra cima, o tudo ou nada. O rubro-negro fechou ainda mais a casinha, sem esmorecer, na raça. 

Aos 35’, após uma falta alçada na área do Vitória, aquele agarra-agarra e o árbitro viu o zagueiro Marcio chutar, sem bola, um defensor rubro-negro. Foi expulso e o Coritiba ficou com um atleta a menos em campo, facilitando para os baianos.

Merecido triunfo do rubro-negro baiano, funcionou mais uma vez a estratégia armada pelo treinador Manici, bem assimilada pelos atletas em campo. Já nos acréscimos, catimba e troca de empurrões entre Yago e Ânderson, um de cada lado, ambos expulsos. 

**
Destaque para a entrega, a disciplina tática, o bom preparo físico dos jogadores do Vitória. Bom jogo de Caíque Sá, David, o técnico Tréllez, a vontade de Yago, a seriedade do miolo de zaga e o excelente futebol, todo tempo e o campo inteiro de Ramon, o melhor de todos. 

No Coritiba, Allan Santos, correu muito. 
*
Já pela rodada 23, o Vitória recebe o Fluminense (RJ) no Barradão, no domingo, dia 10 de setembro. Bom tempo de descanso, treinamento e recuperação dos machucados. 
*
Restos da derrota tricolor 

Sobrou esperteza ao treinador Jair Ventura, que soube cozinhar o jogo, deixando-o à feição. Quando Juninho Capixaba se machucou e ficou em campo manquitolando (todas as substituições já tinham sido feitas), Jair mandou Pimpão pro outro lado, forçando, caindo nas costas do lateral machucado. Ali, após um erro de passe tolo, na frente, a bola foi metida, saiu o cruzamento de Pimpão na linha de fundo e ... a cabeçada entre o cansadão Edson e o lateral eduardo. Fatal. Difícil, mas bola defensável; Jean chegou a bater os dedos nela.

Um time sem pernas. Sem pegada. Atletas de meia hora de rendimento. Esbórnias? 

Outra coisa: o time está marcando muito atrás, a linha de defesa colada no goleiro. O buracão no meio campo. uma defesa incapaz de provocar um impedimento adversário ! Ah, cê chama o adversário, fica acuado. Um treinador de ponta, já, ou ... segundona à vista. 

**
Seleção

O ‘novo’ Neymar, ainda mais rico, ‘rei’ da Paris do futebol, é sem dúvida a grande atração da seleção de Tite que enfrenta o Equador na quinta à noite, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Válido pelas eliminatórias para a Copa/2018/Rússia, o Brasil já classificado. Os olhos nele, o diferenciado.