segunda-feira, 14 de outubro de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

DUAS CABEÇADAS FATAIS e Bahia perde para Fogão 1x2

O Bahia vai enfrentar o Atlético de GO que ganhou do Corinthians. Até quando o Bahia vai ficar sem técnico titular?
27/08/2017 às 20:33

Com três gols de cabeça, um deles decisivo do Botafogo aos 47 minutos, já nos acréscimos, e o Bahia perdeu mais uma partida na Fonte Nova, diante de mais de 23 mil torcedores. Não mereciam. Mas prevaleceu a melhor qualidade técnica do elenco alvinegro, uma equipe bem treinada, com bom conjunto. 

O resultado deixou o Tricolor baiano em 14º lugar, com os mesmos 26 pontos que já tinha, agora a três da zona da degola. O Botafogo foi para sexto, com 31 pontos. 

**
Expectativas na Fonte

Bahia x Botafogo (RJ), domingo de tarde limpa, fins de agosto, 22ª rodada, o Bahia com 26 pontos em 13º lugar e o Botafogo em 11º com 28 pontos. Muita rivalidade em jogo. O tricolor já tinha perdido apertado no Rio, pelo mesmo placar, e o Bota fazia tempo que não ganhava do Bahia em Salvador. 

Antes de a bola quicar, um minuto de silêncio pelas vítimas da tragédia da travessia Mar Grande/Salvador, quinta feira, com 18 mortes confirmadas. 
*
Equipes em campo:
Bahia: Jean, Eduardo, Tiago (Becão), Lucas Fonseca e J. Capixaba; Renê Jr, Édson, Regis (Maicon Leite); Zé Rafael (Vinícius), Rodrigão e Mendoza. O treinador, Preto Casagrande.

Botafogo: Gatito, Arnaldo, Carli (Marcelo), Rabelo e Vitor Luiz (Gilson); Lindoso, Bruno Silva, Marcos Vinícius (Guilherme), João Paulo; Pimpão e Roger. Técnico, Jair Ventura. 
No apito, o veterano Éder Roberto Lopes. Tranquilo, com o domínio do jogo. 

*
Bola rolando

As duas equipes se conhecem bem, dai a partida começou muito estudada, marcação dura no meio campo, a bola bem disputada, sem muito espaço para a troca de passes. 

A primeira chance foi do time carioca, aos 5 minutos, quando Arnaldo cruzou rasante e Lucas Fonseca furou, mas Roger, desatento, não esperava e não chegou em tempo. Três minutos depois o tricolor respondeu: Régis enfiou no meio da zaga para Rodrigão que arrematou mas pegou mal na bola, errando o alvo. 

- Gol ! 1 x 0 Botafogo, aos 12 minutos, Roger. Cruzamento longo da esquerda de Pimpão, Roger livre, sem marcação, subiu e antecipou-se a Jean que saiu e foi encoberto pela cabeçada. Falha de marcação.

- Gol ! 1 x 1 Bahia, aos 16 minutos, Renê Jr. Uma jogada parecida com a do gol carioca: Ze Rafael cruzou e Renê Jr tocou de cabeça, livre, encobrindo Gatito e deixando tudo igual. 

Bom jogo de bola, limpo, equilibrado, troca de passes, bola no chão, poucas faltas. Mais posse de bola da equipe ‘estrela solitária’. 
Aos 21’, outro lançamento longo pelo alto para a área tricolor e apareceu Bruno Silva para cabecear, quase surpreendendo Jean. O miolo de zaga baiano meio que atrapalhado, desconectado. Aos 35’, o zagueirão argentino Carli sentiu músculo da coxa e cedeu lugar a Marcelo.

Aos 41 minutos, depois de uma disputa dura na frente da área, os botafoguenses levaram a melhor e a bola sobrou para Pimpão, livre na área, mas Jean cresceu e brilhou duas vezes. Tiago, o zagueiro tricolor, sentiu a dividida e saiu de campo, substituído por Becão. Sem mais lances de área, findou o primeiro tempo, muito igual. 

*
Logo no começo da segunda etapa, Rodrigão testou um cruzamento de Eduardo mas Gatito pegou. Um jogo bem mais cadenciado no começo da segunda etapa, mas o Botafogo postou-se estrategicamente forçando a marcação no campo tricolor, atrapalhando a saída de bola do adversário, tendo mais a bola nos pés. O tricolor, mais recuado, claramente apostando no contragolpe rápido; chegou bem umas duas vezes, mas a conclusão não foi eficiente. Vinícius, aos 20’, no lugar de Zé Rafael. 

Morno, poucas chances de gol criadas. Aso 32’, Mendoza bateu falta próxima da área e o chute passou perto da trave de Gatito. Aos o tricolor perdeu Juninho Capixaba, que torceu o tornozelo, e ficou com um atleta a menos em campo/ o jogador capengando, sem condições. E o tempo passando, as duas equipes já sem pernas, errando passes. Parecia que o jogo estava controlado, caminhava para um empate, o tricolor bem postado, mas ... 

- Gol ! 2 x 1 Botafogo, aos 47 minutos, outro gol de cabeça, Bruno Silva. Bola boba perdida, o passe errado de Mendoza no ataque tricolor e o contragolpe fatal; o cruzamento de fundo, nas costas de Juninho Capixaba, e Bruno Silva, homem surpresa, subiu mais que Édson, testando firme, desempatando, dando a vitória ao time carioca. Assim é o jogo de bola, vacilou o cachimbo cai. 
Aos 48’, após boa trama pela esquerda, o Tricolor ainda criou chance de ouro para o empate; Vinícius bateu cruzado e Rodrigão chegou centímetros atrasado, a bola quase em cima da linha. E acabou. 

Sem dúvida que um empate seria bem mais justo pelo que se viu em campo. Outra derrota do Bahia em casa, imerecida, mas é o futebol. 
**
Bom jogo de Juninho Capixaba, de Renê Jr, Régis enquanto teve pernas... a briga de Rodrigão na frente e só. 
No Botafogo, um Pimpão perigoso, Roger, e Bruno Silva decisivo. É uma equipe que sabe o que quer e o que faz em campo, ajustada. 
*
O próximo jogo do Bahia, pela 23ª rodada, será na segunda-feira da outra semana, às 20 h, contra o Atlético (GO), no estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia. O time da casa cheio de moral por ter vencido o líder Corínthians, 1 x 0, em São Paulo. 
**
Nesta segunda, dia 28/agosto, às 20 horas, o Vitória encara o Coritiba no Couto Pereira (PR). Precisa vencer para sair da zona de degola.