quarta-feira, 23 de outubro de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAIANÃO NA ÁREA começa com jogos no final de semana

Copa do Nordeste com Vitória 3x1 Sergipe; e Fortaleza 0x0 Bahia e muita violência
27/01/2017 às 22:44
  A bola volta a rolar valendo pontos nos gramados baianos. Começa neste fim de semana o Baianão 2017, com a dupla Ba Vi – os clubes de maior torcida e equipes bem mais caras – estreando e de caras novas no elenco pro torcedor apreciar e avaliar. 

   O tricolor joga em Salvador, no Estádio de Pituaçu, domingo à tarde, contra o Jacobina.
   O rubro-negro encara o Juazeirense lá no norte do Estado, beira do São Francisco, sol forte, calorão e um gramado tradicionalmente ruim, a bola quicando. A tevê transmite. 
**
  No meio da semana as duas equipes da Capital começaram a temporada estreando pela Copa do Nordeste, o Nordestão ou a ‘Lampions League’, como apelidaram. Nenhuma surpresa.
*
  O Vitória recebeu o Sergipe, no Barradão, na noite de quinta e se deu bem, mesmo sem jogar tudo o que pode e sabe: 3 x 1, com gols de David, Gabriel Xavier e Kieza. Mostrou aos mais de oito mil torcedores presentes uma nova zaga, Fred e Allan Costa – altos, bem postados; o lateral esquerdo Géfferson, que não impressionou; o apoiador Uílian Correia, à vontade; e os meias Gabriel Xavier, que fez um gol, e o argentino Pisculichi, discretíssimo.
 O melhor em campo foi mesmo o garoto David, que assumiu pela beirada o papel que era do ídolo Marinho, puxando os contragolpes em velocidade e criando as melhores situações de gol para a equipe.

A torcida quer ver em campo o meia Dátolo, os avantes Piñeda e André Lima e o meia atacante Paulinho, que devem qualificar mais a equipe, caso entrem em forma e sejam regularizados.

*
  O Bahia empatou, na mesma noite de quinta, 0 x 0, com o Fortaleza, lá no Ceará, um bom resultado, até pelas circunstâncias da partida.  Um primeiro tempo muito violento, os cearenses abusando de faltas pelas costas, os baianos revidando, e a arbitragem pernambucana pusilânime, deixando o pau comer e sem critérios para soprar o apito. 

  Para complicar mais, o apoiador Juninho do tricolor foi expulso por volta dos 30 minutos da primeira etapa - para muitos, injustamente -, depois de dois cartões amarelos; e os visitantes ainda reclamaram muito da anulação de um gol de Hernane, em que o bandeira viu impedimento.  No segundo tempo, os donos da casa com um atleta a mais em campo, a partida foi mais leal, menos truncada; o Bahia gastou tempo com inteligência, defendendo-se com bravura e arriscando nos contragolpes, e os cearenses tentaram impor velocidade, mas não chegaram a sufocar e não conseguiram o gol dos três pontos.

  Destacaram-se o goleiro Jean, com duas ou três intervenções importantes, um ótimo desempenho do zagueiro Tiago, bem acompanhado por Jackson, Renê e o meio-campista Régis.  Dos estreantes, Armero está fora de ritmo, Mateus Sales entrou bem no lugar de Juninho, Zé Rafael sem brilho e o argentino Allione procurando jogo e espaço na equipe.

 Valeu sobretudo pelo empenho da equipe e mostras de maturidade para administrar uma situação adversa imprevista. Domingo, em Pituaçu, é outra leitura. 

  **
  - Lesionado no tornozelo na pré-temporada feita nos EUA (Flórida Cup), o avante Edigar Júnio vai ficar no estaleiro por no mínimo 40 dias, segundo os médicos, os tendões quase rompidos. Como machuca esse rapaz ! 

  - Pra desgosto dos torcedores e deleite dos dirigentes, o ídolo Marinho deu mesmo adeus ao rubro-negro e já está de vida nova na China. Os cofres do clube engordaram.

  - No amistoso de solidariedade às famílias dos atletas da Chapecoense, mortos no acidente aéreo em território colombiano, a seleção brasileira de Tite, só com jogadores que atuam no Brasil, venceu (1 x 0, gol de Dudu) a equipe da Colômbia (base do Nacional de Medellin), na noite de  quarta feira, no Engenhão.  Destacaram-se o zagueiro Rodrigo Caio, o apoiador Wallace, o meia Diego e o avante Diego Souza. 

  Tite venceu os sete jogos em que esteve à frente, no banco da seleção. 

 - A seleção sub-20 dirigida pelo baiano Micalle segue na disputa do Sulamericano da categoria disputado no Equador, sem muito brilho. Caíque, do Vitória, é o goleiro titular, com boas atuações. 
  - O gramado da Fonte Nova continua em reforma, reparos, tratamento. Bola rolando por lá só depois do Carnaval, pelo visto. 
  - E o Maracanã, hein?  Tem jeito, tem quem queira o abacaxi dos cariocas? Lamentável.