sexta-feira, 10 de julho de 2020
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

JUÁ 2X3 VITÓRIA: Deve dar BAVI na final do Baianão

O campeonato baiano caminha nessa direção com o Bahia vencendo o Flu por 2x0 e o Vitória o Juazeirense por 3x2. Vai ter segundos jogos
10/04/2016 às 19:03
O Juazeirense não foi páreo, mesmo jogando em casa e diante do seu torcedor, e levou 3 x 2 do rubro-negro, superior em campo. Foi o primeiro confronto entre as equipes valendo pelas semifinais do Baianão 2016. 

   Com esse resultado, o Vitória se credencia para a disputa final do campeonato, certamente contra o rival Bahia, que venceu no sábado o Flu de Feira (2 x 0). Para a segunda partida, dia 21, no Barradão, contra o mesmo Juazeirense, o rubro-negro é favoritíssimo, pode até perder por um gol de diferença que se classifica.

  Teremos Ba x Vi na final ?

*

   Aconteceu em Juazeiro    

   Gramado do Adauto Moraes novo, verdinho. Tarde de domingo limpa mas sem o costumeiro sol escaldante da região sertaneja, as acanhadas arquibancadas cheinhas. O Juazeirense todo de vermelho e o Vitória de branco em campo. 

*

  Com a bola rolando, o time da casa postou-se plantadinho, marcando muito no meio campo e o rubro-negro buscando as iniciativas. Mas, afora a reclamação de penalidades máximas de um lado e do outro não marcadas, nada de mais aconteceu até os 18 minutos, quando Marinho recebeu de Leandro Domingues na área adversária, pelo lado direito, ajeitou-se e bateu de canhota, cruzado, cobrindo o goleiro Tigre e abrindo o placar: 1 x 0, com estilo. O gol obrigou o time da casa a sair um pouco e ousar também o ataque, sem força. Só aos 25’, numa cobrança de falta o Juá chutou a primeira, com perigo. 

   O Vitória, na manha, teve as rédeas da partida, sempre jogando mais no campo adversário. Antes da merenda, Diego Renan recebeu pela esquerda, mirou e alongou largo para o lado oposto, achando Amaral como homem surpresa, livre, na esquina da pequena área: o apoiador mergulhou e testou fazendo seu primeiro gol com a camiseta rubro-negra: 2 x 0. De bom tamanho. 

   Foi uma primeira etapa morna, mas bem à feição do Vitória, tão tecnicamente superior que nem precisou correr muito para fazer o placar.  

*

  De volta dos vestiários, o mesmo panorama. O time da capital trocando passes e esperando a hora do bote. Um Juazeirense estranhamente tímido, sem um tico de inspiração e pouca vontade. Aos 10’, após cobrança de escanteio quase Ramon amplia de cabeça. Mas, aos 14’, Nino Guerreiro escorou livre um cruzamento rasteiro de Sassá, que acabara de entrar, com a defesa rubro-negra em linha burra pedindo impedimento: 2 x 1. Mudaria a feição do jogo?  A torcida local se manifestou, acreditando, estimulando a equipe  que criou um pouco de coragem, foi pra cima.

  Mas, dez minutos depois, o becão Braz e o goleiro Tigre fizeram uma lambança infantil e a bola sobrou limpa para Kieza completar de cabeça com o gol vazio: 3 x 1.  Aos 27 foi a vez da defesa rubro-negra dar mole mas os atacantes do Juá perderam a chance de golear. O time da capital morgou e o Juá chegou aos 3 x 2 aos 46 minutos, com a defensiva rubro-negra mais uma vez fazendo a linha de impedimento de forma equivocada e reclamando muito da arbitragem. Gol de Jean, que desfrutou ainda de uma chance de empatar, antes do apito final.

Placar justo, venceu quem jogou mais.  

*

Destaques:

O lateral Diego Renan, armando pelo lado esquerdo, o incansável Amaral, a classe de Leandro Domingues e o inquieto Marinho, enquanto teve pernas. A zaga, mesmo pouco exigida, mostrou deficiências.

No Juá, aplicação na marcação e pouca inspiração. Os gols aconteceram mais em função de falhas da defensiva adversária.
     

*

  O Vitória joga no meio da semana, dia 13, quarta, às 21h30, em Roraima, contra o Náutico de lá. Caso a equipe baiana não consiga vencer com uma diferença de dois gols, vai ter jogo de volta, marcado para o dia 27, uma quarta, às 19h30, no Barradão. 

*

- Do treinador Mancini, sobre o caso Victor Ramos:

   ...”as declarações de diretores do Bahia pedindo a nossa eliminação do campeonato mexeu conosco. Vamos usar isso como um fator motivador, porque o campeonato não vai acabar agora. O último jogo será em 8 de maio, dia da final”.