sexta-feira, 03 de julho de 2020
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAHIA segue invicto no Baianão e vence Colo Colo 3X2

Veja outros resultados da rodada do campeonato baiano
21/02/2016 às 20:14
  O Bahia venceu mais uma no Baianão, na rodada de domingo. Essa fora de casa, contra o Colo Colo (3 x 2). O tricolor da capital é o líder, com 9 pontos ganhos em três jogos disputados, e continua invicto na temporada 2016 sob o comando de Doriva.  

 O jogo em Ilhéus teve um final emocionante. A partida parecia fácil, decida, o tricolor vencia por 2 x 0 até os 40 minutos da segunda etapa e tinha um atleta a mais em campo. Daí, o Colo Colo empatou com um gol pênalti (arraenjado pelo árbitro) aos 40’, e outro de cabeça aos 46’, a defensiva de bobeira, espiando. Mas o Bahia foi buscar o triunfo, mais justo pelo que aconteceu em campo, com uma cabeçada do zagueiro Robson, aos 49, antes do apito final. 

 *

  No Barradão, o Vitória se impôs ao Jacobina e venceu por 3 x 1, mantendo-se também invicto no Baianão, na vice-liderança com 7 pontos, dois pontos atrás do líder por causa do empate na estreia contra o Vitória da Conquista.  

*

O inusitado da rodada foi o jogo do Juazeirense disputado em Petrolina, do outro lado do rio São Francisco.  O Baianão jogado em Pernambuco.  Pode Ednaldo Rodrigues?   Que vergonha ! 

  

*

  Colo Colo  x  Bahia

  Fim de tarde, sol morrendo em Ilhéus, a torcida tricolor presente no Mário Pessoa, com bom público. Uma partida sofrível tecnicamente em função do gramado verdinho, só capim de burro e areia, a bola quicando muito no chão.  O time da casa deu chutões e chegou junto, mas pouco jogou no primeiro tempo, não chutou no gol de Lomba. Sò o Bahia atacou.  

  Aos 21 minutos, Feijão roubou, Ze Roberto bateu forte e o goleirão Otávio defendeu; no rebote, Luizinho desperdiçou. Aos 32’ o mesmo Luizinho acertou o travessão com um chutaço de fora.  Aos 37 ‘, o esperto Luizinho tabelou com Zé Roberto, livrou-se da marcação e bateu forte, rasteiro da entrada da área, acertando o canto e abrindo o placar: 1 x 0.   Três minutos depois, Zé Roberto arrancou e bateu forte da meia lua, cobrindo o travessão; e aos 45, Edigar Junior entrou de cara e perdeu, a bola nas pernas do goleirão. Foi só. 

*

O Colo Colo voltou do intervalo com uma postura mais ofensiva. Aos 2 min, após uma cobrança de falta, a defesa tricolor enrolou-se e o atacante Erick de voleiro acertou o travessão de Lomba.  A equipe da Capital reagiu rápido. Aos 4’, num escanteio bem cobrado por Juninho, o zagueiro Robson subiu mais que a zaga e testou pra baixo, fazendo 2 x 0. Aos 8’ Edigar Junior tabelou com Ze Roberto, entrou de cara e perdeu de novo, jogando nas pernas do goleiro. 

 

O Bahia ficou com um jogador a mais em campo, aos 24’, após duas faltas duras seguidas do lateral ilheense, expulso.   Aos 25, num contragolpe, arrancada de Luizinho pela direita, bola de fundo de Gustavo Blanco (substituto de Danilo Pires), e por muito pouco Juninho não fez golaço, tentando acertar o ângulo. Por volta dos 30’, Doriva colocou em campo Crisitiano e Rômulo em lugar de Edigar Jr e Juninho. 

A partida parecia sob controle e definida até que, aos 39’,  o árbitro Jaílson Macedo inventou um pênalti de Robson em Tiago Almeida. Luis André bateu alto e diminuiu 2 x 1, aos 41minutos. Incendiou o Mário Pessoa. Aos 46’, numa falta cobrada de longe, bola alçada, a defesa do Bahia parou de bobeira e o becão Eliésio Almeida subiu só, testando no ângulo de Lomba, empatando: 2 x 2. Mas, antes do apito final, o zagueirão Robson completou de cabeça um cruzamento longo da esquerda e desempatou : 3 x 2.  O garoto, que tinha feito o primeiro gol e cometido a penalidade...  enlouqueceu junto com a torcida tricolor presente.  

*

Feijão, Luizinho, Juninho e Robson destacaram-se pelo tricolor. Os laterais Tinga e Moisés, estreante, atuaram bem. Zé Roberto, que atuou em lugar de Hernane, fez seu melhor jogo este ano. 

*

Jaílson Macedo e seus auxiliares fizeram questão de complicar um jogo fácil de arbitrar.  Deixaram correr frouxo o jogo violento, inverteram faltas, erraram nos impedimentos...  e, no final, Jaílson inventou um pênalti em favor do time da casa. 



*

  Vitória superior em casa 

  O pequeno público presente no Barradão (5.600 torcedores nas arquibancadas)  foi surpreendido com um gol antes do primeiro minuto.  Aos 15 segundos já aconteceu uma falta na intermediária do time interiorano. Na jogadinha ensaiada, o lateral Maicon cruzou e o zagueiro Ramon escorou dentro da pequena área: 1 x 0. 

 Logo que conseguiu assentar os nervos, o Jacobina foi pra cima, encarou, perigou. Mas aos 27’, o árbitro viu pênalti em Marinho, na linha lateral da área, pela esquerda do ataque rubro-negro; Diego Renan bateu bem e ampliou: 2 x 0. Aos 38’ o veterano atacante João Neto recebeu na área, livrou-se fácil da marcação rubro-negra e bateu forte de canhota, diminuindo: 2 x 1.

O Vitória foi melhor individualmente, mas a partida foi equilibrada coletivamente na primeira etapa.  

*

  Na segunda etapa, muita chuva.  O jogo recomeçou lá e cá, animado, pegado, as duas equipes abertas, buscando o ataque. Vitória superior tecnicamente, sempre mais perto do gol. Aos 38’, Alípio entrou livre pela esquerda, levantou a cabeça e passou para o garoto Nixon (que acabara de entrar no lugar do Picapau) ampliar para 3 x 1, apagando as pretensões da equipe interiorana. 

*

Destaque no Barradão para Tiago Real e o Picapau, os mais insinuantes do rubro-negro. 

**

A rodada



Complementando a rodada, o Galícia perdeu a invencibilidade em Pituaçu, no sábado, para o Fluminense de Feira ( 0 x 1). 

Em Guanambi, o Flamengo da casa empatou com o Jacuipense ; o Bahia de Feira empatou com o Vitória da Conquista (2 x 2) ; e o Juazeirense se deu bem jogando em Petrolina (PE); atravessou a ponte, o rio São Francisco, e ... enfiou 3 x 0 no Feirense.