quinta-feira, 22 de abril de 2021
Turismo

SEMANA SANTA: MEDIDAS RESTRITIVAS PREJUDICAM DESEMPENHO DA HOTELARIA

Mais um baque na hotelaria de Salvador e da Bahia
A&G PLUS , da redação em Salvador | 02/04/2021 às 11:24
Fasano Hotel
Foto: BJÁ

Este é o segundo ano que a pandemia afeta o movimento do turismo na Bahia, na Semana Santa. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia, Luciano Lopes, em decorrência das medidas restritivas, espera-se uma queda de 80% para 20% a 15% na ocupação de hotéis no feriado, já que muitas reservas estão sendo canceladas.

"Em 2020, a gente saia de uma alta estação com bons resultados que permitia aos hotéis enfrentarem a situação. Este ano a pandemia segue cobrando um duro preço para a hotelaria. Se não houver melhoras na taxa de contaminação da covid-19, a tendência é um faturamento ainda mais reduzido", explica.

Em janeiro de 2021, tradicional período de alta estação, o aumento dos casos da covid-19 influenciou diretamente o desempenho da hotelaria de Salvador. A Taxa de Ocupação de 54,25% foi a menor já observada na última década. Em fevereiro, período de alta ocupação em virtude do verão e das festas do Carnaval a ocupação média foi de 42,51%, bem inferior à apresentada no mesmo período em 2020 (70,59%). O fluxo de turistas caiu quase 50% em março em relação a fevereiro e a tendência é uma queda acentuada nos próximos seis meses.

"A ABIH-BA espera o apoio das esferas municipais, estadual e federal ao segmento do turismo com a isenção e redução dos impostos, novas linhas de crédito e a reedição da Medida Provisória 936, que permite a redução da jornada de trabalho e do salário para a preservação dos empregos, dentre outras medidas para ajudar o setor. Sem estas medidas a hotelaria baiana entrará em colapso", conta Luciano Lopes.