quinta-feira, 02 de abril de 2020
Turismo

Um dos sinos mais antigos da Bahia será reativado na Câmara Municipal

Evento acontece na próxima quarta-feira (18)
Ascom Setur , Salvador | 16/03/2020 às 13:00
Um dos sinos mais antigos da Bahia será reativado na Câmara Municipal
Foto: Tatiana Azeviche

O projeto de resgate dos sinos da Bahia chegou à Câmara Municipal da primeira capital do Brasil, que, na próxima quarta-feira (18), a parir das 17 horas, terá o som do seu sino ecoando novamente.

Com as diversas reformas e alterações no prédio da Câmara ao longo de quatro séculos e o esquecimento da tradição, o sino ficou sem soar por décadas. A partir da próxima quarta-feira voltará a tocar em ocasiões especiais, sessões solenes, posse de vereadores e prefeitos, dentre outras datas.

O evento de reativação do sino acontecerá no prédio da Câmara Municipal, às 17 horas, com a presença do secretário estadual do Turismo, Fausto Franco, o presidente da Câmara Municipal, Geraldo Júnior, e os representantes do Hospital da Bahia, dentre outras autoridades e convidados.

O historiador Rafael Dantas, responsável pelo acompanhamento do projeto, destaca que o resgate do toque do sino da Câmara Municipal de Salvador é um “dos feitos mais significativos dos últimos anos, pois o equipamento data de 1615, conforme inscrição gravada, figurando-se entre um dos sinos mais antigos da Bahia e do Brasil de que se tem registro entre as reativações feitas no país até o momento".

O sino tocou durante séculos para avisar aos habitantes de Salvador sobre pronunciamentos de autoridades, chegadas de personalidades, invasões e falecimentos.

“É um marco para a capital baiana, pois se trata de um dos sinos mais antigos da Bahia e até agora o mais antigo reativado pela equipe que nos acompanha em todo o Brasil”, afirma Rafael. O historiador acrescenta que a torre do prédio da Câmara é de 1696, erguida na época do governo de D. João de Lencastro.

O secretário do Turismo do Estado da Bahia, Fausto Franco, idealizador do projeto de resgate do toque dos sinos, pontua que Salvador ganhará, com a reativação do sino da Câmara, mais um atrativo, ao lado dos sinos das igrejas que foram reativados no Centro Histórico da cidade.

“Até agora, junto com as seis igrejas que já foram beneficiadas com o projeto, mais a Câmara Municipal, o centro, aos poucos, está voltando com uma tradição secular que estava esquecida”. Fausto Franco faz uma mobilização junto à iniciativa privada para apoiar o projeto.