segunda-feira, 21 de setembro de 2020
Tecnologia

Série retrata atuação dos Agentes Comunitários Rurais no Semiárido

A série estréia nesta quarta-feira(5) em formato podcast
SDR Bahia , Salvador | 05/08/2020 às 13:11
Série retrata atuação dos Agentes Comunitários Rurais no Semiárido
Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (05/08) estreia a série Agentes Comunitários Rurais (ACRs) – Protagonismos e Juventudes. Com 10 depoimentos de jovens rurais que atuam no projeto Pró-Semiárido, ação do Governo do Estado de combate à pobreza rural. Em formato podcast, os  áudios expressam o olhar desses(as) jovens sobre sua atuação como ACR e quais as mudanças pessoais de vida provocadas pela função.


“A série tem o objetivo de dar visibilidade à gama de atividades desempenhadas pelos ACRs, jogar luz sobre aqueles que estão no cotidiano do trabalho, dando capilaridade às ações do Projeto. Vamos mostrar o trabalho que cada ACR realiza na comunidade, pois sem o trabalho de formiguinha desses jovens, homens e mulheres, o Pró-Semiárido não seria aquilo que é e não teria o significado tão grande que tem hoje, enquanto política pública do Governo do Estado da Bahia, voltada para a agricultura familiar”, assinala o subcoordenador do Componente Social, Samuel Lyra.


Os Agentes Comunitários Rurais (ACR) são jovens, homens e mulheres, das comunidades atendidas pelo Pró-Semiárido, responsáveis por mobilizar os agricultores e agricultoras e por apoiar na gestão das associações e também as entidades de assessoramento técnico contínuo. Eles participam de todas as ações propostas nos planos de desenvolvimento e investimento nas comunidades, figurando como elo entre o Território Rural e o projeto.


Atualmente, o Pró-Semiárido conta com 95 ACRs. Para que possa desempenhar suas atividades além das formações, o(a) agente recebe um salário mínimo e uma motocicleta para realizar os deslocamentos e capacitações periódicas. “Atuo como Agente Comunitária Rural desde 2018 e minha experiência como ACR no Pró-Semiárido mudou minha vida de forma significativa. Através deste projeto, eu tive a oportunidade de estar contribuindo com o desenvolvimento das comunidades em que eu atuo, e de participar de diversas capacitações, onde eu adquiri vários conhecimentos e pude passar para os(as) agricultores(as) aqui das comunidades”, destaca a ACR Iara Lima de Jesus, do município de Itiúba.


O trabalho do Agente Comunitário Rural é uma das estratégias metodológicas do projeto Pró-Semiárido, considerado, em janeiro deste ano, o melhor do mundo pela Organização das Nações Unidas (ONU), entre os 231 projetos financiados pelo FIDA em 98 países. O projeto tem como principal objetivo contribuir para a redução da pobreza rural de forma duradoura, por meio do desenvolvimento sustentável da produção, da geração de emprego e renda em atividades agropecuárias e não agropecuárias e o desenvolvimento do capital humano e social.


Na Bahia, cerca de 60 mil famílias do Semiárido, de 782 comunidades, localizadas em 32 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), estão sendo assistidas pelo Pró-Seminário, projeto executado pela executada pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).