sexta-feira, 20 de setembro de 2019
Tecnologia

VLT é apresentado a líderes de comunidades do Subúrbio Ferroviário

O objetivo do evento foi informar à população como vão funcionar as obras, que têm início previsto para outubro
Comunicação Governo da Bahia , Salvador | 27/08/2019 às 19:05
VLT é apresentado a líderes de comunidades do Subúrbio Ferroviário
Foto: Mateus Pereira/GOVBA

Os detalhes do projeto do Veículo Leve de Transporte (VLT) foram apresentados a líderes comunitários do Subúrbio Ferroviário de Salvador nesta terça-feira (27), no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). O objetivo do evento, conduzido por representantes do Governo do Estado, foi informar à população como vão funcionar as obras, que têm início previsto para outubro. O VLT vai ligar Salvador à Ilha de São João, em Simões Filho, município da região metropolitana.

“Convidamos todas as lideranças do subúrbio para apresentarmos o projeto. A ideia é formar um fórum com os líderes dessas comunidades para acompanhar não apenas as obras, mas também o funcionamento de toda a operação. Vamos construir conjuntamente um calendário de visitas a todos os bairros, mostrando como será o projeto, como os moradores podem chegar às estações, quais ônibus pegar, quais são as vias de pedestres. Será uma oportunidade de conhecê-los e de fazer com que participem da implantação desse projeto”, explicou a superintendente de mobilidade da Sedur, Grace Gomes.

De acordo com José Dalmo, líder comunitário de Itacaranha, o diálogo aberto ajuda a aproximar a comunidade da obra. “O fato de termos sido chamados aqui mostra que o Governo do Estado está empenhado em fazer desse projeto uma grande transformação para os moradores do subúrbio. Essa obra irá trazer um desenvolvimento muito grande para nossa comunidade, principalmente para quem mora na região de Itacaranha e tem dificuldade de se locomover pela cidade”, afirmou.

 

VLT

 

Com capacidade para transportar cerca de 150 mil usuários por dia, o VLT será do tipo monotrilho, movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes que prejudicam o meio ambiente. As atuais dez estações dos trens do subúrbio serão desativadas e reaproveitadas para prestação de outros serviços à comunidade, como postos da Polícia Militar e centros de atendimento. As obras envolvem um investimento de R$ 2 bilhões.

A integração física do VLT com o sistema de metrô de Salvador se adequará à lógica de mobilidade do Governo do Estado, que viabiliza o funcionamento dos modais em um sistema de rede, através de serviços complementares. O projeto prevê uma ligação com quatro estações entre a região de São Joaquim, passando pela Via Expressa e fazendo a integração com o sistema metroviário no Acesso Norte, perfazendo um total de 22 quilômetros de extensão.