ter?a-feira, 20 de agosto de 2019
Tecnologia

Presidente aciona usina solar flutuante no Lago de Sobradinho, Bahia

Bolsonaro faz sua segunda viagem a Bahia
Da Redação ,  Salvador | 06/08/2019 às 09:25
Presidente Bolsonaro pela segunda vez na Bahia
Foto:
o presidente Jair Bolsonaro participou da inauguração da primeira etapa da Usina Solar Flutuante instalada no Reservatório de Sobradinho (BA), da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). No evento, realizado nesta segunda-feira (05), o presidente destacou a importância do uso de fontes de energia limpa.

“Essa inauguração de hoje, da Usina Solar Flutuante de Sobradinho, servirá de modelo para muitas outras regiões do Brasil, para que essa energia limpa cada vez mais floresça no nosso Brasil”, disse.

Segundo Bolsonaro, o Brasil tem condições de mostrar a outros países que preserva o meio ambiente e utiliza a Floresta Amazônica de forma sustentável.“Uma maneira de implementar cada vez mais a energia vinda do sol também é um exemplo para todo o mundo”, registrou. 

O evento marcou a energização da Usina Solar Flutuante, que tem uma potência de geração de 1 megawatt pico (MWp). De acordo com a Chesf, é o maior projeto de pesquisa e desenvolvimento desse tipo de tecnologia flutuante instalado em reservatório de hidrelétrica do país. A segunda etapa do projeto contemplará uma nova usina solar flutuante, também no Reservatório de Sobradinho. O valor do investimento nestas duas plantas solares totaliza R$ 56 milhões.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o projeto é uma iniciativa inovadora. “Servirá de referência para aplicação dos demais reservatórios das usinas em operação, ampliando a capacidade de geração com menores investimentos”. Ele citou ainda que o modelo não traz riscos ambientais, otimiza o aproveitamento dos recursos naturais e gera empregos na instalação, operação e manutenção do sistema.

Usina solar
Este é o primeiro estudo sobre a instalação de usina solar flutuante em lagos de hidrelétricas e permite aproveitar as mesmas subestações e linhas de transmissão que escoam a energia produzida pela hidrelétrica.

A experiência do uso das placas solares flutuantes em Sobradinho vai servir de modelo para  a implementação nos 477 quilômetros de extensão dos canais de transposição, aquedutos e reservatórios do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF).  

Decreto
Na cerimônia, o presidente Bolsonaro assinou decreto qualificando PISF no Programa de Parceria Público Privada (PPI) como programa prioritário para investimentos. O presidente também autorizou o ministro Bento Albuquerque, em articulação com o ministro Gustavo Canuto, a adotar medidas que atraiam o interesse do setor privado para promover leilões de geração de energia renovável na área de transposição do Rio São Francisco. O objetivo é elevar o potencial energético abrangido pelo PISF, estimado em 3,5 GigaWatts, e garantir recursos para o bombeamento das águas do rio, que hoje custam R$300 milhões por ano.