segunda-feira, 24 de setembro de 2018
Tecnologia

Startup baiana é uma das selecionadas para Chamada Cidade Sustentável

A SOLOS está entre as cinco empresas que terão a oportunidade de tirar suas ideias do papel
Litiane , Salvador | 13/09/2018 às 18:15
A startup está entre as três empresas baianas que foram eleitas para participar da iniciativa
Foto: div

         A startup baiana SOLOS foi uma das cinco empresas que teve projetos selecionados para a Chamada Cidade Sustentável, a terceira do Edital de Inovação para a Indústria, promovido pela Prefeitura em parceria com o Senai Cimatec. A startup está entre as três empresas baianas que foram eleitas para participar da iniciativa. Mais de sessenta projetos foram inscritos na seleção.

"Estamos há 2 anos mergulhadas no universo dos resíduos e vemos o tempo inteiro iniciativas expressivas acontecendo no exterior. Ficamos muito felizes em fazer parte ativamente do primeiro grupo da Chamada Cidade Sustentável que trará soluções concretas, prezando eficiência, resilência e equilíbrio, para problemas reais de Salvador", afirma Saville Alves, que fundou a Solos junto com Gabriela Tiemy.

Agora a SOLOS terá a oportunidade de tirar suas ideias do papel, além de receber o financiamento de até R$150 mil para o desenvolvimento dos produtos ou serviços sustentáveis, em seis eixos possíveis eixos: construções sustentáveis, urbanismo integrado, saneamento ambiental, monitoramento e licenciamento ambiental, energias renováveis e mobilidade urbana.

A SOLOS é uma startup baiana que desenvolve soluções para otimizar a gestão de resíduos de grandes geradores, através do tratamento in loco da fração orgânica e do aumento da reciclagem dos secos.

A empresa foi fundada oficialmente no início deste ano, mas o trabalho da startup começou no final de 2016, quando Saville Alves, 26 anos, e Gabriela Tiemy, 29, desenvolveram um projeto e o submeteram para um edital de pré-aceleração de negócios de impacto (Triggers). Das 500 iniciativas inscritas, a SOLOS foi a única do Norte/Nordeste selecionada para participar do programa durante 7 meses, em São Paulo, onde contaram a mentoria de executivos de empresas inovadoras como Google, Spotify e Visa. A volta para a Bahia teve como intuito compartilhar os aprendizados e fortalecer o ecossistema de negócios de impacto na região.