segunda-feira, 25 de junho de 2018
Tecnologia

UFBA celebra ciência e a cultura no primeiro dia Fórum Social Mundial

Acontece dia 13 de março
Cia Comunicação , Salvador | 07/03/2018 às 09:23

A Universidade Federal da Bahia inicia suas atividades no Fórum Social Mundial 2018 na próxima terça-feira, 13 de março, às 14h30, com uma verdadeira celebração da ciência e da cultura produzidas na Bahia. A cerimônia acontece no Salão Nobre da Reitoria, no Canela, e será marcada por uma homenagem ao casal de cientistas Zilton Andrade e Sônia Andrade e ao artista plástico e escritor Mestre Didi, Deoscóredes Maximiliano dos Santos, cujo centenário de nascimento se celebrou em 2 de dezembro de 2017. Antes da solenidade, o público será recepcionado na entrada da Reitoria pela Orquestra de Frevo e Dobrados, sob a regência do maestro Fred Dantas.

Zilton Andrade, prestes a completar 94 anos, professor emérito da UFBA e patologista reconhecido, é um dos mais importantes pesquisadores do Brasil em doenças endêmicas, em especial Esquistossomose e Chagas. Membro da Academia Brasileira, segue ativo, trabalhando diariamente em seu laboratório, junto com Sonia Andrade, na Fundação Oswaldo Cruz, em Salvador, a Fiocruz-Bahia. Sonia completará 90 anos neste ano, é também pesquisadora respeitada, e se notabilizou principalmente com seus estudos experimentais em doença de Chagas.

Juntos, os dois cientistas tiveram seis filhos, e são casados até hoje”. Vale adicionar um pequeno trecho da memória do CNPq para ressaltar a longa parceria e cumplicidade pessoal e científica do casal: “Sonia Andrade se notabilizou pelos estudos em doença de Chagas experimental.  Seu interesse científico nesse campo se manifestou desde o início de sua integração ao Laboratório de Patologia, onde produziu, em 1955, os primeiros trabalhos, em co-autoria com Zilton: “A patologia da doença de Chagas (forma crônica cardíaca)” e “A patogenia da miocardite crônica chagásica (a importância das lesões isquêmicas)”, publicados, respectivamente, no Boletim da Fundação Gonçalo Moniz, e Arquivos Brasileiros de Medicina”.