quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
Colunistas / Política
Tasso Franco

O NATAL AMARGO DE RUI COSTA PARA SALVAR A PREVIDÊNCIA NA BAHIA

Na segunda feira, 3 de dezembro, Rui fala à imprensa sobre as mudanças
02/12/2018 às 19:25
  1. O governador Rui Costa (PT) deu um tempo no "Rui Correria" epíteto lançado por seu marketing político para ser o Rui defensor da Reforma da Previdência no sentido mais amplo da palavra. Desta feita, embora o PT e sua bancada federal, em Brasília, se posicionarem contra a reforma proposta pelo presidente Michel Temer, não aprovada, a corda apertou pro seu lado e o deficit que era de R$2 bilhões quando ele assumiu, em 2015, hoje atingiu R$4 bilhões. 

   2. E, segundo o governador, em 2022, será de R$8 bilhões se nada for feito. É uma realidade que não atinge apenas o governo da Bahia, mas, de todos outros estados, Prefeituras e Câmaras e empresas públicas que têm previdência complementar.

   3.. O Executivo enviou para a Assembleia um aumento de 12% para 14% a contribuição dos servidores ativos inativos e pensionistas, promete cortar centenas de cominissionados, deve extinguir algumas empresas públicas e fazer o que o governador chama de "esforço gigantesco e medidas amargas para dar sobrevivência a aposentadoria" dos mais de 100 baianos, entre eles, 44 mil professores. 

   4. Ou seja, o governo vai apertar o cinco o máximo que puder, restabelecer um teto salarial para não ser atingido pelo aumento absurdo de 16% aos ministros do STF com efeito cascata, e apelar para que Judiciário e Legislativo também façam sua parte. Estima-se que o rombo nesses dois últimos poderes, na Bahia, passe de R$300 milhões, em 2018.

   5. O governador Rui Costa está certo quando fala que é preciso "manter a Bahia de pé" para pagar salários em dia (o que alguns outros estados não o fazem), mas, erra quando seu partido, o PT, é contrário a Reforma da Previdência nacional cuja situação é dramática. A bancada governista da Bahia é eterminantemente contra incluindo PCdoB, PSD, PP e PSB.

   6. O governador está sentindo na pele o que significa aposentar professores e policiais com 50 anos de idade, ou até um pouco menos, quando a idade média de vida no Brasil atingiu a marca de 73.5 anos e só tende a aumentar com a melhor qualidade de vida e os avanços da medicina. 

   7. O Planserv, hoje, salva vidas com as novas tecnologias da medicina em cirurgias do coração e outras que eram inimagináveis há 10 anos. Vai chegar um tempo (senão agora) que o Estado terá um contingente enorme de aposentados com 20/30 anos na folha. E aí não há milagre no caixa.

   8. Quando Rui fala em Portugal e Grécia esquece de citar o Brasil. Aqui temos, pra completar os tais supersalários, as aposentadorias vitalicias e um Poder Judiciário com salários nas alturas. Na Bahia, dados da Saeb fala-se em 2.500 supersalários. Tem aposentado do TJ e isso já foi citado no plenário da ALBA que recebe mais de R$30 mil ao mês sem sequer ter nível superior.

   9. O PL enviado pelo governador para a Assembleia deve ser publicado no DAJ neste final de semana e ser apreciado em regime de urgência na terça-feira, 4, dia de Iansã. Como o governo tem maioria absoluta na ALBA deverá ser aprovado até o final do ano para valer em 2019. 

   10. O governador ainda não envou os PLs complementares da Reforma Administrativa e da extinção das empresas se é que vão haver. O Estado é inchado. Tem quase 30 secretarias e centenas de órgãos. É agudar o complemento do  "remédio amargo"