segunda-feira, 14 de outubro de 2019
Colunistas / Política
Tasso Franco

Documento do PMDB distancia Temer de Dilma e provoca novas indagações

O PMDB estaria de olho no presente do Palácio do Planalto
01/11/2015 às 19:56

   1. O documento divulgado pelo PMDB no decorrer desta semana, intitulado "Uma Ponte para o Futuro" - diagnóstico preparado pelo partido para um programa de estabilização da economia - propõe uma reforma fiscal muito mais efetiva e abrangente do que as medidas encaminhadas ao Congresso pelo governo da presidente Dilma Rousseff.

  2. Ao que tudo indica, o PMDB fala na ' numa ponte para o futuro' de olho "numa ponte para o presente'. Não haveria mais tempo a perder e se o PMDB demorar em tomar posições mais cristalinasa junto à sociedade, afundará com o PT num abraço de afogados. Daí que tomou essa atitude em expor seus pontos-de-vista em confronto as ideias defendidas pelo Palácio do Planalto.

   3. Imaginar que o PT vai encampar essa proposta do PMDB parece improvável e a presidente Dilma já respondeu dizendo que seu governo não está prisioneiro de ajustes e possui uma "agenda de estímulo ao investimento". Isso significa dizer que o governo petista, mesmo tendo o PMDB como seu principal aliado, não dará atenção do documento do PMDB. Salvo, no plano politico.

   4. E, como destacou Dilma na fala da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, sua porta-voz em evento de Sete Lagos, MG, "o governo vai trabalhar para criar um ambiente de negócios farovável para empreendimentos bem sucedidos". O que significa dizer, noutras palavras, que 'ama ponte para o futuro' peemedebista não tem acolhida.

   5. Em Brasília, no decorrer da semana que vai se iniciar na terça-feira, 3, certamente vão acontecer no plano politico desdobramentos sobre o documento "Uma Ponte sobre o Futuro", considerado o melhor texto já produzido pelo PMDB em sua história recente, com objetivos bem definidos, encostando o governo da presidente Dilma na parede.

   6. O PMDB é favorável a uma reforma previdenciária que estabeleça uma idade mínima para aposentadoria, pelo menos 65 anos para os homens e 60 anos para as mulheres; identifica dois eixos que levaram o país a situação de estrangulamento fiscal com grande volume de despesas obrigatórias indexadas à inflação e/ou ao salário mínimo; e sugere outras providências de médio e longo prazos para o Brasil sair do atoleiro. 

   7. O documento foi considerado pelos especialistas em economia muito bom, uma agenda de longo pçrazo, efetiva.

   8. No plano politico, a questão agora é saber se o PMDB quer marcar uma posição firme, desde já, mostrando sua insatisfação com a política econômica do governo e a paralisia do país, em recessão, rompendo a aliança com o PT/governo; ou se trata-se do velho jogo político do PMDB para apenas asssustar o Plannalto e se manter no barco petista com mais benefícios.

   9. Desta feita, os analistas acham que o PMDB quer marcar uma posição mais imediata diante da situação em que vive o país, de um futuro incerto, com uma presidente e um governo sem rumos. O PMDB, pelo exposto, quer tomar o timão desde já. 

   10. As próximas semanas serão decisivas para se ter uma idéias mais aproximadas se é isto mesmo.
                                                                           *****