quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

QUEM PERDE e quem ganha na Bahia com a queda de Aécio, p TASSO FRANCO

São três questões básica. leia.
30/08/2014 às 19:20
 1. A pesquisa DataFolha mostra uma polarizaçãoa na campanha presidencial entre Marina Silva (PSB) x Dilma Rousseff PT (34x34) e deixa o tucano Aécio Neves, com 15%, de fora. Não há mais como recuperar essa diferença e, pelo que tem anotado as pesquisas, a continuar nesse ritmo, Marina pode levar a eleição no primeiro turno. 

   2. Evidente que, a candidata do PSB não dará doravante saltos tão expressivos como os que já deu até agora, porque, é real, a presidente Dilma e o PT têm um estoque de votos e de feitos que a deverão mantê-la nesse patamar dos 30% até o final da eleição. Dilma tem fôlego e mantém a guarda em alta.

   3. O que se depreende, também, é que a apresidente Dilma vem perdendo eleitorado para Marina nas pessoas que ganham entre 2 e 5 salários mínimos e não se apresenta com fôlego para recuperar o que já teve, astronômicos 55%, depois 45%, em seguida 38% e agora 34%. 

   4. A curva de Dilma é descendente e sua rejeição é a maior entre os candidatos, com 36%. Ou seja, o PT está num buraco sem saída, salvo se houver algum outro fato inesperado que pode modificar essa situação. A politica tem mistérios que a própria razão desconhece e ainda faltam 35 dias para o pleito.

   5. O caso de Aécio é praticamente perdido. Ele se mantém otimista e diz que, na "hora da razão", vai ao segundo turno. Mas, desidratou de vez. Sua situação só não é pior por causa do Sudeste, Minas e SP. 

   6. Vai ter que segurar esse pepino até o final do primeiro turno com risco de ir pra 8% a 10%, quando muito, e ainda ter a possibilidade de perder seu principal reduto eleitoral, Minas Gerais, para o candidato petista Fernando Pimental, o qual está com 10 pontos percentuais à frente de Pimenta da Veiga. A essa altura, o menos traumático para Aécio é cuidar do seu milharal mineiro para não perder o mel e a cabaça. 

   7. Na Bahia, o PSDB que já era quase nanico, dois deputados federais e dois estaduais, tende a manter essa pequena bancada, no cenário da Câmara dos Deputados uma disputa grande entre Imbassahy, Jutahy e Gualberto. 

   8. Se antes, o PSDB era Jutahy e João Almeida, depois Jutahy e Imbassahy, agora entrou uma terceira via, o ex-prefeito de Mata de São João apoiado pelos empresários do setor varejista de supermercados, dobradinha com Mirela (Atakarejo) na RMS, o que poderá mudar essa representação na Câmara. Na Assembleia, Augusto Castro e Adolfo Viana são os preferenciais.

   9. A pergunta que se faz em relação a majoritária é a seguinte: a queda de Aécio prejudica Paulo Souto? 

   10. Sim. Mas, em termos. Uma vez que Souto nunca dependeu de Aécio desde o inicio de sua campanha. Ao contrário: Aécio é quem dependia de Souto. De toda sorte, Souto fica sem o discurso de ter um presidente aliado. E, chamusca sua campanha porque ele e ACM Neto foram os patronos do lançamento do Projeto Nordeste Forte, de Aécio, feito em Salvador com toda pompa. Esqueçam esse projeto. Acabou.

   11. Há ainda mais duas perguntas. A segunda é a seguinte: a queda de Dilma prejudica Rui Costa?

   12. Sim. Neste caso, mais do que em termos porque Rui tem feito sua campanha baseada nos feitos do governo federal na Bahia - o Minha Casa Minha Vida, as 5 Universidades, etc - e perde sua madrinha na medida em que, também, a perspectiva de vitória de Dilma diminuiu. 

   13. Ou seja, Rui fica sem uma presidente aliada. De toda sorte, Dilma ainda está mais forte na Bahia (45%) do que Rui (21%) e, portanto, ajuda. Só que, Dilma vai ter que correr atrás onde está a maioria dos votos, Sul/Sudeste onde Marina já lhe ultrapassou.

   14. A terceira e última pergunta é a seguinte: Lidice será beneficiada com a asecensão de Marina?

   15. Sem dúvida, desde que deixe de chorar pitangas na falta de recursos e tempo na TV, agregue sua campanha de Marina (os conceitos) básicos e esqueça os comparativos da Bahia com Pernambuco. Se fizer uma campanha inteligente, se apresentar menos nervosa nos debates, poderá surpreender. Tem tudo para issso.