quarta-feira, 23 de outubro de 2019
Colunistas / Política
Tasso Franco

O HORÁRIO ELEITORAL NA TV e as tendências de cada candidato

Wagner diz que vai virar o jogo e Rui ganha
18/08/2014 às 19:26
   1. Começa a partir desta terça-feira, 19, a propaganda eleitoral nos veiculos de comunicação de massa (rádio e TV) dos candidatos a presidente da República, governadores, senadores e deputados federais e estaduais. 

   2. A expectativa é grande, pois, se até recentemente (Copa das Confederações, 2013), a presidente Dilma Rousseff apresentava-se imbatível, com a aprovação do seu governo na casa dos 75%, hoje, houve uma mudança significativa nessa percepção e a disputa será uma das mais duras no país, nos últimos anos.

   3. A politica é muito dinâmica. Os protestos da Copa das Confederações abriram os olhos do governo e na Copa do Mundo, 2014, as forças de segurança conseguiram controlar os manifestantes, mas, o estrago na popularidade de Dilma já havia sido feito.

   4. Ela se manteve como favorita absoluta até depois da Copa, mesmo com a derrota da seleção brasileira, mas, os últimos acontecimentos com a morte de Eduardo Campos e a ascensão (tida como certa) de Marina Silva, mudou o quadro. Dilma deixou de ser a favorita, de acordo com a pesquisa DataFolha de hoje, que aponta uma vitória de Marina num segundo turno, 47%x43%.

   5. O PT aposta muito no horário eleitoral da TV. Não há como difundir uma mensagem da sua candidata sem ser com o uso da TV. E, neste caso, Lula é um fortíssimo cabo eleitoral não só para Dilma, mas também para os candidatos a governador do PT e suas coligações nos estados. 

   6. Aposta que também faz o governador Jaques Wagner em relação a Rui Costa (PT), muito distante de Paulo Souto, segundo as pesquisas Ibope, Babesp e Ipesp. Wagner, aliás, disse várias vezes aos jornalistas que, para ele, a campanha pra valer só começa depois do horário da TV. Está confiante que muda o jogo e vence as eleições com Rui.
 
   7. Em política, tudo é provável embora a situação de Rui não seja tão esperançosa como deseja ou prevê o governador, porque tanto Souto está mais estruturado e com uma densidade eleitoral mais forte do que da eleição de 2010; quanto há o fator Lidice da Mata, senadora que era aliada do PT e que faz uma campanha independente também desejando ser governadora e que é dona de uma sacola de votos acima de 10% do eleitorado. 

   8. Acrescente a isso, a parte emotiva da morte de Eduardo Campos e a presença de Marina no cenário, o que poderá ajudar bastante a Lidice, ainda que ela tenha um tempo minguado na TV.

   9. As apostas são de que Dilma explore os fatos positivos dos 12 anos de PT no governo do país, o que também deverá acontecer com Rui Costa na Bahia. Já o candidato do PSDB, Aécio Neves, enfraquecido com a presença de Marina na cabeça da chapa do PSB, deverá, também, levar a público as realizações que fez em Minas e, além disso, ser crítico à administração petista. 

   10. Marina só tem a alternativa de "bater" nos dois Aécio/Dilma mostrando que é a nova cara do Brasil.

   11. O ex-governador Paulo Souto, de sua parte, tem duas posições que deverão ser exploradas: a primeira delas é mostrar o que fez pela Bahia durante seus governos e o de ACM; e a segunda é criticar o governo Wagner nos pontos vulneráveis, o que já vem fazendo no jornalismo da campanha de rua, especialmene nas áreas da segurança (insegurança), saúde pública e irrigação. Souto também espera levar vantagem sobre Rui nos debates da televisão - segundo seus assessores - diante da maior experiência que tem e do domínio do microfone.

   12. A senadora Lidice da Mata, tal como Marina, com tempo pequeno na TV vai ficar com a opção de ser a novidade na chapa majoritária no sentido de que não é o PT (o poder atual); nem o DEM (o poder que já foi). Lidice, no entanto, tem problemas de gestão quando foi prefeita de Salvador (1993/1996) e não pode entrar de sola nos adversários porque pode receber um troco alto nessa direção, da exposição do que foi Salador em sua época.

   13. Esses são os pontos principais, em nossa opinião, do que vai acontecer a partir desta terça-feira. Vamos acompanhar.