segunda-feira, 14 de outubro de 2019
Colunistas / Política
Tasso Franco

1 ANO DE ACM NETO: Gestão bem comportada, mas sem inovações, por TF

O grande mérito do prefeito ACM Neto foi retirar Salvador do buraco financeiro e colocar as finanças da Prefeitura em Ordem, um passo essencial para avançar.
29/12/2013 às 12:19
1. O prefeito ACM Neto está completando 1 ano de gestão. Como o próprio tem comentado, foi o ano de arrumação da casa. Certamente, o seu maior mérito tenha sido o equilíbrio das finanças desalinhadas nos governos de João Henrique, o que significa dizer que a arrumação da casa foi eficaz, ainda que, para uma Prefeitura sempre é mais fácil do que para uma empresa da iniciativa privada, reorganizar as finanças, pois, a Prefeitura tem o poder de negociar dividas a longo prazo, deletar outras e renegociar cálculos astronômicos. Não fosse isso, e houve negociações para até 20 anos, não seria possível.

   2. Mérito, no entanto, para o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, o qual já tinha experiência de gestão dessa natureza, na melhoria dos indicadores de eficiência na arrecadação em SP, e aplicou métodos parecidos em Salvador, implantou uma Reforma Tributária, elevou as taxas do IPTU e azeitou a máquina para cobrar o que lhe é devido. 

   3. Assim, espera-se que a receita salte para R$6.4 bilhões, em 2014, o que poderá fazer com que Salvador deixe a rabeira da ineficiência nesse campo. O prefeito certamente vai enfrentar muitos protestos em 2014, quando os carnês do IPTU chegarem às casas e às empresas, mas, a lei foi aprovada pela Câmara de Vereadores.

   4. A gestão de ACM Neto, de uma forma geral, avançou em todos os setores: transporte, saúde, educação (os segmentos básicos), saiu-se bem na administração contornando com eficiências todos os movimentos paredistas, mas, foi apenas linear, sem inovações.

   5. Nesse campo, pelo menos até agora, a Prefeitura não apresentou um projeto que seja inovador no campo das novas tecnologias, do emprego e renda, que possa ser diferente. Que venha a ser um diferencial. Os jovens da capital, massa imensa de pessoas, talvez esteja esperando um projeto dessa natureza que mobilize a cidade. Como o Centro Tecnológico do governo do Estado, também até agora, parece-nos um fiasco, esse espaço em aberto para alguém ocupar.

    6. Alguns projetos lançados pela Prefeitura já são de conhecimento de outras capitais: bilhete integrado, Salvador bike, escola integral, adoção de praças, remodelagem de espaços, ordenamento de ambulantes e assim por diante. 

   7. Salvador, como se sabe, é a capital mais atrasada do país, em quase todos os campos: única das grandes cidades do Brasil (e do mundo) que não tem metrô; única das grandes cidades onde o espaço público é ocupado por barracas, ambulantes, baianas, etc, de qualquer forma; única das grandes cidades onde a civilidade é quase zero: mija-se nas ruas, joga-se latas de cerveja vazia pelas janelas dos carros, etc; única das grandes cidades onde os veiculos não param quando pedestres pissam nas faixas reservadas a eles, mesmo em espaços restritos próximos a shoppings e hospitais.

   8. O trabalho é imenso. O prefeito sabe que se for ordenar na base do modelo Jalon Oliveira, época de Imbassahy, perde popularidade. Mas, também, não poderá permitir que esse modelo atual se preserve, se perpetue. Salvador é uma das únicas grandes cidades do mundo onde se vende jaca, salame, queijo, biscoitos, carnes defumadas nas ruas centrais. O centro histórico entre o Campo Grande e a Sé uma uma babel, uma anarquia. 

   9. Aqui tudo é ciclico: a secretária do ordenamento, no inicio da gestão, esteve no Porto e Farol da Barra com os secretário da Segurança e comandante da PM retirando os ambulantes. Quinze dias depois os camelôs retornaram. A Prefeitura instalou uma passarela em novembro último, na Tancredo Neves, e um camarada veio e instalou uma barraca de chapa para vender lanches.

   10. Bogotá tem em 40 km de um sistema de ônibus chamado Transmilênio. São dezenas de estações que cortam a cidade de ponta a ponta. Bogotá tem 8 milhões de habitantes. Tem uma favela em Bogotá com 1 milhão de habitantes. Pois bem: no trajeto do Transmilênio integrado por passarelas no modelo Jaime Lener (tubos circulares onde se paga a passagem), não há um ambulante nem barracas nesses locais. Os espaços são reservados para os passageiros. 

   11. E daí? Daí que em Salvador tudo pode. A passarela ligando A Tarde ao Salvador Shopping está repleta de ambulantes e tem um pagode de rua que acontece toda sexta-feira, à noite, com vendas de bebidas alcoólicas, esfrega-esfrega, e tudo mais.  E daí? Dai que tiraram uma vez e já voltou. É assustador: isso em frente ao melhor shopping da cidade.

   12. Já pensaram: neguinho instalar um pagode desses em frente a Galeria Laffayete, em Paris; ou nas imediações do El Corte Ingles, em Madrid.Não existe. Por que? Porque as autoridades municipais não permitem. Mas, aqui pode.
 
   13. Onde a Prefeitura avançou significativamente foi na recuperação da planta de atendimento à saúde básica com o secretário José Antonio Rodrigues Alves, um quadro experiente que vem da gestão Souto, e que já colocou em funcionamento 70 unidades (90 até março) e não existem mais queixas da população nesse campo, outra área que foi bastante desorganizada pelo ex-prefeito JH, o qual acabou colocando sua namorada (hoje, esposa) como gestora.

   14. A educação é apenas regular, sem a mínima inovação. Mudou-se o secretário Bacelar para Jorge Khoury, diante denúncias de um contrato cabuloso. De bom foi a valorização dos profissionais da educação com pagamento de um 14 salário. Esse é um segmento que tem tudo para avançar, sobretudo na melhor qualidade do ensino, na meritrocaria dos servidores, na excelência.

   15. O transporte com José Carlos Aleluia fez ações ações pontuais e melhorou um pouco, mas, persiste o calcanhar de Aquiles que é a linha Sul-Norte em direção ao Litoral Norte via Ogunja-Luiz Vianna (Paralela) que requer investimentos, sendo feitos em conjunto com o governo do estado e o governo federal. É tudo muito devagar para as exigência da cidade. A linha 1 do Metrô data de 1999 e até agora não foi inaugurada; a linha 2 até Lauro, ainda não começou. Espera-se que até o bicentenário da Independência da Bahia, 2023, estejam concluidas.

   16. Algumas experiências da Transalvador resultaram em fiasco. A mais infantil delas foi a adoção da pista exclusiva para ônibus no corredor do Iguatemi sem planejamento, sem que a cidade estivesse preparada para isso. A Prefeitura soube recuar. As blitz da lei seca só voltaram no final do ano. 
17. Na cultura e no turismo avanços com alguma expressividade. Os democratas que tanto criticam o governo Wagner por fazer "propaganda enganosa" agora veem a Prefeitura "vender" um réveillo na Cayru, o primeiro neste local, como o "melhor do país", "com 200 mil pessoas/dia". O que é isso? Propaganda enganosa!

   18. A cidade ainda não teve um calendário anual de eventos, mas, está se aproximando disso. O secretário Guilherme Bellitani é bastante dinâmico, mas, sua visão é muito empresarial. Salvador continua tendo apenas um evento com alguma visibilidade internacional: o carnaval. 

   11. Enfim, a Prefeitura está no caminho certo, Neto já tem algumas coisas a comemorar e, certamente, em 2014, tende a melhorar. Agora, se não inovar, vai ser apenas um bom prefeito. Todos os prefeitos que se sobressairam nas Américas (NY, Bogotá, Curitiba, etc) foram inovadores ou desenvolveram projetos inovadores e que melhorar suas cidades. Viraram vitrines.