segunda-feira, 14 de outubro de 2019
Colunistas / Política
Tasso Franco

WAGNER põe fogo na sucessão com anuncio de Rui, por TASSO FRANCO

Veja comentário
29/11/2013 às 17:28
1. Só se surpreendeu quem quis com a declaração do governador Wagner dando conta de que o seu candidato a governador é Rui Costa. Isso está sendo delineado há muito tempo e Rui, inúmeras vezes, representou o governador em solenidades relacionadas à onvivência com a seca entregando máquinas e equipamentos a prefeitos e lideranças políticas do interior. Na Assembleia, o que muitos deputados da base dizem é de que Rui, de fato, já é o governador.

   2. Ainda não é de direito porque precisa passar pelo referendum popular. E também não é nenhum menosprezo a Wagner se dizer que Rui atua como governador porque essa missão foi-lhe dado pelo próprio Wagner. No decorrer do pré-processo se dizia, entre muxoxos de gabrielistas que, Rui tinha tudo; e Gabrielli só tinha a ponte, ainda assim virtual. E Pinheiro não tinha nada, só o verbo. Caetano ninguém levava a sério.

   3. Após o anúncio de Wagner, o senador Walter Pinheiro disse numa emissora de rádio que vai manter seu nome como pré-candidato do PT a governador até a reunião do diretório do Partido dos Trabalhadores, prevista para sábado, 30. Natural que assim o faça até para dar um tom "democrático" ao partido.

   4. “Eu saí da lista do governador, mas continuo na lista do partido. E aí, PT? Está na mão de vocês. O nosso nome está lá à disposição e o PT vai dizer se efetivamente me quer como provável candidato ou se o PT também resolve me dar bilhete azul. Eu estou mantendo na mão do partido para que o PT possa responder sobre essas questões”, comentou.

   5. “Na mão do governador tinha uma lista com quatro nomes e na do PT outra também com quatro. Espero que essa não seja a lista de Schindler”, continuou em tom provocativo o petista.

   6. Já o secretário José Sérgio Gabrielli afirmou à rádio Band News FM não ter se omitido e admitiu, pela primeira vez, o risco de o PT não ganhar a eleição. “Não teremos eleição fácil. Temos dois adversários: um mais tradicional e outra de dentro do nosso projeto: a senadora Lídice da Mata (PSB). O mais importante é manter o partido unido. A militância do PT sempre foi um elemento extremamente importante. Se tentarmos apenas com a vontade do governador, sem mobilizar as bases, teremos risco de ser derrotados”, explicou. 

   7. Questionado diretamente sobre a provável escolha do chefe da Casa Civil, depois das declarações de Wagner hoje, foi taxativo. “O governador anunciou o seu candidato preferido, então… O diretório vai se reunir ”, disse, em tom de derrota, acrescentando que não deve sair candidato a deputado estadual ou federal. “Acho que tenho mais perfil para a área executiva do que parlamentar.

   8. O presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima, ironizou hoje a declaração do governador Wagner: “Não é novidade nenhuma um anúncio que todo mundo já sabia. A novidade é que o governador mostrou que pouca importância tem esse negócio de reunião do diretório do PT e que o partido não é tão democrático quanto se diz. O tal encontro seria uma moldura para consolidar a escolha unipessoal do governador, isso é fato”, criticou.

   9. “Fui convencido de que não havia necessidade de se fazer o anúncio da candidatura das oposições em dezembro porque com essa antecipação do processo eleitoral você acaba causando problemas para quem está no exercício da administração, no caso específico o prefeito ACM Neto. 

   10. - Eu achei que com esse argumento podíamos deixar lá para adiante, mas em política existe de concreto o fato novo e o fato consumado. Surge um fato novo, um fato relevante: talvez para não perder o controle desse processo interno no partido dos trabalhadores, talvez para ter tempo de tentar avançar com o seu candidato, já que todas as pesquisas de opinião colocam todos os postulantes bem acima do patamar do governo, antecipa-se o nome do governo. 

   11. - Evidente que esse é um fato que nos faz repensar a estratégia e a tese que eu defendo é que nós nos reunamos e antecipemos o lançamento dessa candidatura [de oposição]“, defendeu.

   12. Geddel é o candidato das oposições. O que está pegando é convencer Paulo Souto para ser candidato ao Senado, o que ele tem dito que não quer e prefere ser deputado federal. Há esperança, no entanto, uma vez que Souto está muito bem posicionado nas pesquisas para o Senado, com o dobro de aceitação para o governo.

   13. Em recente pesquisa para governador que circula em ambiente socialista, ACM Neto é o primeiro (disparado); Souto o segundo; Geddel o terceiro (colado a Souto); a quarta é a senadora Lidice da Mata. Lidice lança seu nome no final de dezembro em solenidade com Eduardo Campos. Os petistas pontuam a partir do quinto lugar. 

   14. O PDT, em nota de sua direção, diz que manterá a candidatura do presidente da Assembleia, Marcelo Nilo, a governador. Só pode ser pra negociar posições. Caetano, hoje, em Camçari, na solenidade numa fábrica do Pólo esteve com Wagner e Rui e jogou de vez a toalha. Diz que vai apoiar o projeto petista.