quinta-feira, 04 de junho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

SUCESSÃO 2014: Parlamentar do PT diz ao BJÁ que UNIDADE deve ser alvo

O PT vai se desgastar na disputa interna para presidente da legenda
06/06/2013 às 11:00
 1. Em conversa com um parlamentar centrado do PT ele me confidenciou dois pontos que considera prejudiciais à imagem do partido e suas disputas internas, diante da sucessão do governador Jaques Wagner, em 2014. O primeiro deles, segundo o parlamentar, é que o partido tem 4 nomes como pré-candidatos a governador, e, na sua ótica, não tem nenhum; e o segundo ponto é o esboço de uma disputa interna pela presidência da entidade, entre Everaldo Anunciação e Emiliano José, o que só faz desgastar a entidade.

   2. Na visão deste parlamentar petista o PT deveria, antes de tudo, buscar a unidade nos dois casos, tanto na escolha do nome que disputará a scuessão de Wagner; quanto na sucessão de Jonas Paulo. "Já vimos esse filme quando aconteceu a disputa interna entre Walter Pinheiro x Nelson Pelegrino na campanha de Salvador, e isso não foi bom para o partido", frisou.

   2. Entende esse deputado que está explítico dentro da disputa interna do PT, que o "patrocínio" da candidatura de Everaldo Anunciação para a presidência da entidade faz parte de uma articulação feita pelo secretário Rui Costa, o qual, embora seja o pré-candidato apontado como preferencial do governador, estaria querendo respaldar essa indicação (se for o caso) com o apoio do partido quanto entidade. 

   3. Diante de tal investida, que tem o apoio de ruistas deputados federais, Valmir Assunção, Waldenor Pereira e Josias Gomes, além de vários deputados estaduais; os grupos de outras tendências, captaneados por Nelson Pelegrino, Luis Alberto e outros se contrapõe com o nome do ex-deputado Emiliano José, o que poderá ocorrer uma forte disputa interna. Daí que, embora o PT sempre saia unido em torno do vencedor, ficam sempre as arestas e querelas.

   4. Segundo o parlamentar isso não é bom, mais adiante, na indicação do nome que disputará a eleição governamental, que, em sua opinião, tem outra dimensão, e o peso maior para valer vem de cima, do governador Wagner, do ex-presidente Lula e do projeto da presidente Dilma à re-eleição. Ainda de acordo com a visão deste parlamentar toda essa disputa interna do partido faz com que o PT perca identidade junto ao eleitorado.

   5. Na visão deste parlamentar, hoje, o PT tem tantos candidatos para tudo nessas duas disputas internas que, embora isso não atrapalhe o encaminhamento prático da campanha propriamente dita, até porque cada deputado, no ano de 2014 e na hora da eleição, vai querer salvar a sua pele, sempre deixa sequelas.

   6. Por fim, ele comenta que, a atual direção partidária, deveria ser mais enfática junto à opinião pública e aos entes e correntes internas do partido, em busca de uma unidade.
                                                                *********