sexta-feira, 05 de junho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

A missão ACM Neto na Prefeitura e sua candidatura a Ondina, em 1918

Esse é o caminho traçado pelo jovem politico
30/05/2013 às 10:40
1. O jornal A Tarde descobriu a pólvora e afirma que ACM Neto não será candidato a governador da Bahia, em 2014. Ora, isso qualquer aluno do Carneiro Ribeiro sabia desde que Neto tomou posse como prefeito da capital, pois, não iria deixar a Prefeitura 1 ano e 4 meses depois de assumir a gestão municipal, a cidade vivendo um caos no trânsito e atolada em dívidas, para se meter numa campanha majoritária a governador. Seria insensato e um risco à sua carreira política.

   2. Ademais, no complemento da descoberta da pólvora A Tarde sinaliza que ACM Neto poderia alinhar-se com a campanha da presidente Dilma à reeleição, o que teria sido motivo de escárnio de petistas. Todo mundo também sabe que ACM Neto tem ligações politicas com o senador Aécio Neves (PSDB), desde a última eleição presidencial quando o candidato foi José Serra, e não seria agora, em 2014, que Neto se distanciaria de Aécio para embarcar na canoa de Dilma.

   3. A politica tem determinados limites de sensatez e o DEM, partido que está quase se exaurindo, sempre se posicionou contra o PT e ACM Neto foi um dos parlamentares que lutou muito para acbar com a CPMF. Hoje, Caiado, é um dos articuladores da oposição no parlamento contra Dilma e amigo e correligionário de Neto. Então, não seria crível, uma mudança do político baiano noutra direção passando uma borracha em sua história e na do seu avô ACM.

   4. O que ACM Neto faz, hoje, é a politica da civilidade do administrador de uma capital, com bom relacionamento com o governador Wagner e a presidente Dilma. Não poderia ser diferente no plano da gestão porque a capital baiana, se não está com o pires na mão, não tem recursos nem capacidade de conseguir financiamentos para médias e grandes obras. 

   5. Imagina! Os governos federal e estadual vão gastam R$70 milhões em viadutos na Paralela. Isso corresponde a 18 vezes o orçamento municipal. Tem ainda as obras da Via Expressa mais R$300 milhões, a duplicação da Pinto de Aguiar mais R$60 milhões; e o Metrosal 2 (Iguatemi/Lauro) R$4 bilhões; Minha Casa Minha Vida, Parque São Bartolomeu e assim por diante.

   6. Agora, torna-se evidente que, quando chegar o momento politico, da campanha de 2014, ACM Neto vai para um lado e Jaques Wagner vai para o outro. Veja que, hoje, o ex-governador Paulo Souto, sempre discreto, liberou uma das raras notas à imprensa dizendo que o governo Wagner é "mistificador". Ou seja, enganador, pois, os números da FAEB com R$4.6 bi de prejuizos com a seca não batem com a propaganda glamurosa do governo.

   7. Todo baianinho (a) também sabe que ACM Neto pretende fazer um bom governo na Prefeitura de Salvador, tentar se reeleger, e aí, em 2018, ser candidato a governador. A pisada é essa. O resto é pólvora chinesa.